Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Terbutalina

Classificaçāo

Broncodilatador

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Obedeça as dosagens prescritas pelo médico veterinário. Superdoses podem causar efeitos graves.

Este medicamento pode causar excitação do animal.

ARMAZENAMENTO

Não utilize caso a coloração esteja alterada.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Terbutalina 2,5 mg, comprimido
  • - Terbutalina 0,5 mg/mL, solução injetável
  • - Terbutalina 0,3 mg/mL, xarope
  • - Bricanyl 0,5 mg/mL, solução injetável
  • - Bricanyl 0,3 mg/mL, xarope
  • - Bricanyl 2,5 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Broncodilatador. Agonista Beta-adrenérgico indicado em doenças respiratórias.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com cautela em portadores de diabetes, hipertireoidismo, hipertensão, manifestações convulsivas e alterações cardíacas.

EFEITOS ADVERSOS

Taquicardia, excitação, tremores musculares, hipocalemia transitória.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Os beta2-agonistas apresentam potencial inibitório das contrações uterinas ao final da gestação.

Deve ser evitada a administração neste período. Usar com cautela em lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em sobredosagem pode provocar vômito, arritmia, hipertensão, febre, midríase e estimulação do SNC.

Pode ser feito tratamento com suplementação de KCl, na taxa de 0,5 mEq/kg/h (PAPICH, 2012).

Administração e doses

Via(s)

SC

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Caninos via subcutânea: dose única ou 4 / 4 horas se necessário;

Caninos via oral: 8 / 8 horas;

Felinos: 8 / 8 - 12 / 12 horas.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

De acordo com protocolo médico.

Via Subcutânea

Recomendado

Cães

003 - 005 mg / kg

calcular

Via Oral (PAPICH, 2012)

Recomendado

Cães

1,25 - 5 mg / kg

calcular

Gatos

0,1 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Beta-Bloqueadores

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido ou inibido da Terbutalina

Conduta

Incompatível

Diuréticos

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipocalemia

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

O sulfato de terbutalina é hidrossolúvel.

FARMACODINÂMICA

Atua principalmente nos receptores beta2-adrenérgicos provocando alívio através da diminuição do o broncoespasmo e a broncoconstrição.

O estímulo destes receptores causa o relaxamento da musculatura lisa dos brônquios e inibição da liberação de alguns mediadores inflamatórios, como mastócitos e neutrófilos.

Apresenta pouca atuação nos receptores beta1-adrenérgicos.

FARMACOCINÉTICA

Pode ser administrado tanto por dia oral quanto parenteral sem apresentar grandes diferenças de metabolismo no cão (DAVIES et al, 1974).

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode causar hiperglicemia ou hipocalemia como efeitos adversos.

EFEITOS ADVERSOS

Taquicardia, excitação, tremores musculares, hipocalemia transitória.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Os beta2-agonistas apresentam potencial inibitório das contrações uterinas ao final da gestação.

Deve ser evitada a administração neste período. Usar com cautela em lactantes.

SUPERDOSAGEM

Em sobredosagem pode provocar vômito, arritmia, hipertensão, febre, midríase e estimulação do SNC.

Pode ser feito tratamento com suplementação de KCl, na taxa de 0,5 mEq/kg/h (PAPICH, 2012).

MONITORAMENTO

Monitorar concentrações de potássio sérico (risco de hipocalemia) e glicemia (hiperglicemia).

A frequência cardíaca deve ser monitorada durante o tratamento.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

DAVIES, D. S. et al. Metabolism of terbutaline in man and dog. British journal of clinical pharmacology, v. 1, n. 2, p. 129-136, 1974.

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012.