Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Lactulose

Classificaçāo

Laxante

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos. Não congelar.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Lactulona 10 g / 15 mL, xarope
  • - Lactulona 10 g / 15 mL, xarope

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Usada no tratamento de constipação intestinal e encefalopatia hepática.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Usar com cautela em pacientes diabéticos. Não usar em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao princípio ativo.

EFEITOS ADVERSOS

Há relatos de distensão abdominal, flatulência e meteorismo.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não há evidências que indicam risco durante a gestação ou lactação, no entanto, a administração durante esses períodos deve ser avaliada cuidadosamente pelo Médico Veterinário.

SUPERDOSAGEM

Altas doses podem causar perda de fluidos e eletrólitos, causando desidratação.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8 / 8 - 12 / 12 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

5 dias

Constipação

Recomendado

Cães e Gatos

1 mL / 4,5 kg

calcular

Encefalopatia hepática

Recomendado

Cães

0,5 mL / kg

calcular

Gatos

2,5 - 5 mL / animal

Interações medicamentosas

Antiácidos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Inibição da Lactulona

Conduta

Incompatível

Neomicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Lactulona

Mecanismo de Ação

A eliminação de certas bactérias do cólon pela Neomicina pode interferir na degradação da Lactulona e impedir a acidificação adequada do cólon

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

É um dissacarídeo foramado por uma molécula de sacarose e uma de galactose.

Retém água no intestino, diminui o pH intestinal e consequentemente diminui as concentrações séricas de amônia.

FARMACOCINÉTICA

Não é absorvida pelo trato gastrointestinal, chega ao lúmen intestinal praticamente intacta, sofre fermentação pelas bactérias sacarolíticas, produzindo ácido láctico, acidificando o meio, desencadeando os mecanismos responsáveis pela sua ação.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode causar aumento da concentração plasmática da glicose e queda nos níveis séricos de potássio.

EFEITOS ADVERSOS

Há relatos de distensão abdominal, flatulência e meteorismo.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não há evidências que indicam risco durante a gestação ou lactação, no entanto, a administração durante esses períodos deve ser avaliada cuidadosamente pelo Médico Veterinário.

SUPERDOSAGEM

Altas doses podem causar perda de fluidos e eletrólitos, causando desidratação.

MONITORAMENTO

Quando no tratamento de encefalopatia hepática, monitorar a função hepática e o estado do paciente.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

DUARTE, R.; USHIKOSHI, W. S. Encefalopatia hepática em cães. Bol. Med. Vet. – UNIPINHAL – Espírito Santo do Pinhal - SP, v. 01, n. 01, jan./dez. 2005

KEMPER, B. et al. Consequências do trauma pélvico em cães. Ciência Animal Brasileira, v. 12, n. 2 (2011)

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012.