Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Metronidazol

Classificaçāo

Antibiótico

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Pode alterar a coloração da urina que se apresenta vermelho-escura ou castanho- avermelhada (LINDSAY e BLAGBURN, 2013; OLIVEIRA e DI STASI, 2012).

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Metronidazol 250 mg, comprimido
  • - Metronidazol 400 mg, comprimido
  • - Metronidazol 40 mg/mL, solução oral
  • - Metronidazol 5 mg/mL, solução injetável
  • - Helmizol 250 mg, comprimido (20 un)
  • - Helmizol 400 mg, comprimido (24 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Nitroimidazol protozoocida, antibacteriano (anaeróbicos).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em animais muito debilitados. Ajustar a dose em portadores de insuficiência hepática (usar somente 25 - 50% da dose normal).

EFEITOS ADVERSOS

O metronidazol pode provocar glossite, estomatite, náusea e êmese, e ainda toxicidade neurológica se usado em dosagens elevadas (LINDSAY e BLAGBURN, 2013). Ainda pode causar neutropenia, hepatotoxicidade, hematúria e anorexia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O fármaco pode ser excretado no leite. Não é recomendado seu uso durante gestação ou lactação.

SUPERDOSAGEM

Em casos de ingestão de superdoses em humanos os sintomas relatados foram: vômito, ataxia e desorientação leve. Não existe antídoto específico

para superdosagem com metronidazol.

Administração e doses

Via(s)

Oral

EV

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 / 12 horas

VO (VIANA, 2014)

Recomendado

Cães e Gatos

15 - 25 mg / kg

calcular

EV (VIANA, 2014)

Recomendado

Cães e Gatos

15 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Em gatos a dose máxima não deve ultrapassar 50 mg/kg.

Interações medicamentosas

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos Anticoagulantes, com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo hepático

Conduta

Incompatível

Ciclosporina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Ciclosporina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Ciclosporina

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Metronidazol

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Dissulfiram

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Psicose aguda, confusão mental

Mecanismo de Ação

Possivelmente devido ao excesso de atividade dopaminérgica em nível de sistema nervoso centra

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fenitoína

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Fenobarbital

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Inibição da ação do Metronidazol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo do metronidazol pelos barbitúricos, resultando em eliminação mais rápida e menor concentração plasmática do metronidazol

Conduta

Considerar outra terapia

Micofenolato

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Micofenolato

Mecanismo de Ação

Redução da circulação entero-hepática do Micofenolato

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Quando o metronidazol penetra no organismo parasita, as enzimas redutoras geram nitroderivados que possuem toxicidade seletiva para microrganismos anaeróbios. Essa toxicidade se deve pelos metabólitos formarem complexos com o DNA e provocarem rupturas na estrutura helicoidal, se decompondo em compostos inativos posteriormente (LINDSAY e BLAGBURN, 2013; OLIVEIRA e DI STASI, 2012).

FARMACOCINÉTICA

O metronidazol é bem absorvido no trato gastrointestinal e possui ampla distribuição nos tecidos, atingindo altas concentrações. Sofre extensa biotransformação hepática, gerando metabólitos tóxicos, portanto deve-se realizar ajuste de dose para pacientes com disfunção hepática. Possui meia vida de aproximadamente oito horas e é excretado pelos rins e pequenas quantidades podem ser encontradas na saliva e no leite. (LINDSAY e BLAGBURN, 2013; OLIVEIRA e DI STASI, 2012).

EFEITOS ADVERSOS

O metronidazol pode provocar glossite, estomatite, náusea e êmese, e ainda toxicidade neurológica se usado em dosagens elevadas (LINDSAY e BLAGBURN, 2013). Ainda pode causar neutropenia, hepatotoxicidade, hematúria e anorexia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

O fármaco pode ser excretado no leite. Não é recomendado seu uso durante gestação ou lactação.

SUPERDOSAGEM

Em casos de ingestão de superdoses em humanos os sintomas relatados foram: vômito, ataxia e desorientação leve. Não existe antídoto específico

para superdosagem com metronidazol.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

LINDSAY D. S. e BLAGBURN B. L. Fármacos Antiprotozoários. In: ADAMS, H. R. Farmacologia e terapêutica em veterinária / editoria de H. Richard Adams; [tradução Cid Figueiredo]. - Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2013.

OLIVEIRA D. M. C. e DI STASI L. C. Antiprotozoários. In: BARROS, C. M. e DI STASI, L. C. Farmacologia veterinária. Manole. Barueri-SP, 2012.

VIANA, F. A. B. Guia Terapêutico Veterinário. 3 ed. Minas Gerais: Editora CEM, 2014. 560 p.