Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Dexametasona

Classificaçāo

Anti-inflamatório Esteroidal

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Não interrompa o tratamento sem orientação do médico veterinário. Evite o contato direto com o produto. Gestantes que tenham contato direto com o produto devem informar ao médico responsável.

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, à temperatura ambiente (15°C a 30°C), ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Azium 2 mg/mL, solução injetável
  • - Dexametasona 4 mg, comprimido
  • - Dexametasona 0,5 mg, comprimido
  • - Azium 0,5 mg, comprimido
  • - Dexametasona 0,5 mg, elixir (5 mL)
  • - Dexametasona 0,75 mg, comprimido
  • - Decadron 0,5 mg, comprimido
  • - Decadron 0,75 mg, comprimido
  • - Decadron 4 mg, comprimido
  • - Decadron 0,5 mg, elixir (5 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

A dexametasona é um corticóide usado no tratamento de dermatoses e condições inflamatórias, doenças auto-imunes, traumas e edemas (VIEIRA & PINHEIRO, 2004). Eles são capazes de bloquear desde as manifestações mais precoces do processo inflamaatório, como dor, calor e rubor, até as mais tardias como reparação e proliferação tecidual (ANDRADE & MARCO, 2006)

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Deve ser usada com cautela em animais com problemas de úlcera ou infecções, diabéticos, com insuficiência renal (VIEIRA & PINHEIRO, 2004).

Deve ser usado com cautela em animais com predisposição a tromboembolismo, pois níveis elevados de glicocorticóides na corrente sanguínea durante muito tempo pode induzir a um estado de hipercoagulabilidade sanguínea, além de pacientes cardiopatas e com pancreatite (ANDRADE & MARCO, 2006).

EFEITOS ADVERSOS

Podem ocorrer polifagia, poliúria, polidpsia, ulceração gastrintestinal, diabetes, hiperlipidemia, diminuição do hormônio da tireóide e diminuição de síntese proteica.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A segurança do uso de corticosteroides tópicos durante a gestação ainda não foi estabelecida. Deve ser utilizados em fêmeas gestantes unicamente se os benefícios potenciais justificarem os riscos potenciais para o feto. Por não se saber se a administração tópica de corticosteroides pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis dessas substâncias no leite materno, não é recomendado seu uso para lactantes.

SUPERDOSAGEM

A sobredosagem ou o uso prolongado de glicocorticóides pode conduzir a uma série de complicações sistêmicas para o paciente, como por exemplo a insuficiência adrenal iatrogênica e o hiperadrenocorticismo iatrogênico.

Administração e doses

Via(s)

SC

IV

IM

Tópica

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

A frequência de administração varia de acordo com a queixa e o estado do paciente.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

A duração do tratamento varia de acordo com a queixa e o estado do paciente.

(VIANA, 2014)

Anti-inflamatório (24 / 24 h)

Cães

0,25 - 1 mg / animal

Gatos

0,125 - 0,5 mg / animal

(VIEIRA & PINHEIRO, 2004; ANDRADE & MARCO, 2006) - Cães e Gatos

Traumas e edemas cerebro-espinhal (IV)

1 - 4 mg / kg

calcular

Choque (IV)

4 - 8 mg / kg

calcular

(NELSON, 2010)

Crise addisoniana aguda (IV)

Cães e Gatos

0,5 - 1 mg / kg

calcular

(ANDRADE & MARCO, 2006)

Imunosupressão (IV/Oral)

Cães e Gatos

0,3 - 0,6 mg / kg

calcular

(VIEIRA & PINHEIRO, 2004)

Reações alérgicas

Cães e Gatos

0,1 - 0,5 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Os gatos são extremamente resistentes à corticoideterapia, ou seja, em alguns casos é necessário dobrar a dose indicada para se obter o efeito desejado.

Interações medicamentosas

Anfotericina B

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipocalemia

Conduta

Evitar o uso

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Anticoagulantes

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Carprofeno

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Úlceras gastrintestinais e toxicidade renal

Conduta

Evitar o uso

Cetoconazol

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Dexametasona, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Dexametasona e diminuição da sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Ciprofloxacina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumenta o risco de ruptura de tendão

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Decanoato de Nandrolona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da formação de edema

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Dexametasona

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo da Dexametasona, aumentando sua eliminação hepática

Conduta

Ajustar dose

Fenobarbital

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Dexametasona

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Dexametasona

Conduta

Evitar o uso

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Corticosteróides

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Praziquantel

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Praziquantel

Conduta

Ajustar dose

Rifampicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Dexametasona

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Dexametasona

Conduta

Evitar o uso

Salicilatos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos salicitados

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático dos Salicilatos, aumentando sua eliminação renal

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A dexametasona é um glicocorticóide sintético potente e de longa ação, devido à sua baixa ligação as proteínas plasmáticas, menor velocidade de excreção e possível maior afinidade com os receptores. Essa classe de medicamentos interagem com a superfamília dos receptores nucleares; estes agentes são capazes de atravessar a membrana celular e se ligar às proteínas receptoras, localizadas no interior do núcleo, modificando a sua expressão gênica (ANDRADE & MARCO, 2006)

FARMACOCINÉTICA

A biotransformação se dá principalmente no fígado, onde eles sofrem processos de oxidação, redução, hidroxilação e conjugação, sendo inativados em sua maioria. Uma vez transformados, são excretados por via renal. Parte dos corticosteróides metabolizados é adicionada a bile e excretava pelo intestino (ANDRADE & MARCO, 2006)

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode interferir em exames de colesterol sérico, glicosúria, hormônios tireoidianos, potássio sérico e testes alérgicos, dependendo da quantidade absorvida.

EFEITOS ADVERSOS

Podem ocorrer polifagia, poliúria, polidpsia, ulceração gastrintestinal, diabetes, hiperlipidemia, diminuição do hormônio da tireóide e diminuição de síntese proteica.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A segurança do uso de corticosteroides tópicos durante a gestação ainda não foi estabelecida. Deve ser utilizados em fêmeas gestantes unicamente se os benefícios potenciais justificarem os riscos potenciais para o feto. Por não se saber se a administração tópica de corticosteroides pode resultar em absorção sistêmica suficiente para produzir quantidades detectáveis dessas substâncias no leite materno, não é recomendado seu uso para lactantes.

SUPERDOSAGEM

A sobredosagem ou o uso prolongado de glicocorticóides pode conduzir a uma série de complicações sistêmicas para o paciente, como por exemplo a insuficiência adrenal iatrogênica e o hiperadrenocorticismo iatrogênico.

MONITORAMENTO

Infecções secundárias podem ocorrer durante o tratamento, o médico veterinário deve estar atento e constantemente monitorando o paciente pois os sinais de infecção podem ser ocultados pelo uso do medicamento.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

ANDRADE, M. M. J.; MARCO, V. de. Antiinflamatórios esteroidais. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

NELSON, R. W. Distúrbios da glândula adrenal. In: NELSON, R. W.; COUTO, C. G. Medicina interna de pequenos animais. Tradução: Aline Santana da Hora. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010

VIANA, F. A. B. Guia Terapêutico Veterinário. 3 ed. Minas Gerais: Editora CEM, 2014. 560 p.

VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Monografias farmacêuticas. In: VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Formulário veterinário farmacêutico. 1. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2004