Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cetoconazol

Classificaçāo

Antifúngico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Ceto C 200 mg

Cada comprimido de 650 mg contém:

Cetoconazol 200,0 mg

Excipiente q.s.p. 650,0 mg


Ceto-C 400 mg

Cada comprimido de 1 g contém:

Cetoconazol 400,0 mg

Excipiente q.s.p. 1,0 g

ARMAZENAMENTO

Conservar em local fresco e seco, ao abrigo de luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Ceto-C 200 mg, comprimido (10 un)
  • - Ceto-C 200 mg, comprimido (20 un)
  • - Ceto-C 200 mg, comprimido (30 un)
  • - Ceto-C 400 mg, comprimido (10 un)
  • - Ceto-C 400 mg, comprimido (20 un)
  • - Ceto-C 400 mg, comprimido (30 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É indicado para o uso em cães e gatos, no tratamento das infecções cutâneas e sistêmicas causadas por fungos e leveduras, tais como Microsporum canis, M. gypseum, Trichophyton mentagrophytes, Malassezia pachydermatis, Candida spp., Cryptococcus spp., Histoplasma spp. e Blastomyces spp..

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não administrar CETO-C® com antiácidos e antagonistas histaminérgicos H2 (por exemplo: cimetidina e ranitidina). Não administrar em pacientes com insuficiência hepática.

EFEITOS ADVERSOS

Quando administrado por via oral, os eventuais efeitos secundários do cetoconazol em cães podem ser inapetência, vômitos, prurido, alopecia e alteração da coloração da pelagem. Em gatos o tratamento via oral, pode provocar anorexia, vômitos, abatimento, diarréia e febre.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar em fêmeas gestantes e em lactação.

SUPERDOSAGEM

A administração oral de doses muito elevadas (acima de 80 mg/kg/dia) durante longos períodos, pode causar hepatite grave. Em casos de qualquer sinal de intolerância ao tratamento, suspender a medicação e consultar o Médico Veterinário.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

Micoses cutâneas: 3 a 4 semanas

Micoses sitêmicas e onicomicoses: 6 a 12 meses

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

10 - 20 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

As dosagens poderão ser ajustadas a critério do Médico Veterinário.

A duração do tratamento depende da avaliação clínica pelo Médico Veterinário.

Interações medicamentosas

Acetato de Fludrocortisona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico exacerbado

Mecanismo de Ação

Diminuição do clearance

Conduta

Ajustar doseObservações:

Acetato de Metilprednisolona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico do acetato de metilprednisolona exacerbado

Mecanismo de Ação

Diminuição do clearance hepático

Conduta

Ajustar dose

Alcalóides de Ergot

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento do risco de toxicidade dos Alcalóides de Ergot (vasoespasmo periférico, isquemia das extremidades)

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático dos derivados do Ergot

Conduta

Incompatível

Observações da interação

Ergotamina, Diidroergotamina, Ergometrina (Ergonovina), Metilergometrina (Metilergonovina)

Alprazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito sedativo do Alprazolam, com aumento da depressão do SNC prolongada e disfunção psicomotora

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo oxidativo do Alprazolam

Conduta

Incompatível

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático dos Anticoagulantes

Conduta

Evitar o uso

Antiácidos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do cetoconazol

Mecanismo de Ação

Absroção diminuida na ausência de ácido gástrico

Conduta

Intervalo de 2 horas entre as medicações

Astemizol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do astemizol

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo do astemizol

Conduta

Evitar o uso

Atropina

Tipo de Interação

Cetoconazol

Grau de Interação

Antagonismo

Efeito Clínico

Moderado

Mecanismo de Ação

Efeito terapêutico diminuido do cetoconazol

Conduta

Diminuição da absorção de Cetoconazol

Observações da interação

Administrar com intervalo de pelo menos 2 horas

Bicarbonato de sódio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do cetoconazol

Mecanismo de Ação

Absorção diminuida do cetoconazol

Conduta

Ajustar dose

Budesonida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico e toxicidade aumentados da budesonida

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da budesonida e diminuição da sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Buspirona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da buspirona

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo hepático da buspirona

Conduta

Ajustar dose

Carbamazepina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da carbamazepina, com possível reações adversas

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da carbamazepina

Conduta

Ajustar dose

Cefovecina

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeitos adversos

Mecanismo de Ação

Substâncias com nível elevado de ligação às proteínas plasmáticas podem competir com a ligação da cefovecina

Conduta

Evitar o uso

Ciclosporina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Ciclosporina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático e intestinal da Ciclosporina

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cetoconazol

Mecanismo de Ação

Diminuição da biodisponibilidade do Cetoconazol causada pela diminuição da sua solubilidade em Phs aumentados

Conduta

Incompatível

Cisaprida

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da cardiotoxicidade da Cisaprida

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Cisaprida

Conduta

Incompatível

Clonazepam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da depressão do SNC e disfunção psicomotora

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo oxidativo do Clonazepam

Conduta

Incompatível

Dexametasona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Dexametasona, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Dexametasona e diminuição da sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Famotidina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cetoconazol

Mecanismo de Ação

Diminuição da biodisponibilidade de Antifúngico Azol causada pela diminuição da sua solubilidade em Phs aumentados

Conduta

Evitar o uso

Fluticasona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Fluticasona, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do Corticosteróide e diminuição da sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Fosfato Dissódico de Dexametasona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Dexametasona, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Dexametasona e diminuição da sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cetoconazol

Mecanismo de Ação

Diminuição da biodisponibilidade do Cetoconazol, que parece estar relacionado com a diminuição da dissolução do comprimido de Cetoconazol na presença de aumento do pH gástrico

Conduta

Administrar os antiácidos, pelo menos duas horas após a administração do cetoconazol

Loratadina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Loratadina

Mecanismo de Ação

Antifúngicos azólicos inibem o metabolismo da Loratadina

Conduta

Ajustar dose

Nevirapina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do cetoconazol

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático do Cetoconazol

Conduta

Evitar o uso

Pimozide

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Arritmia cardíaca grave

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Pimozida

Conduta

Incompatível

Prednisolona

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Prednisolona, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do Corticosteróide e diminuição da sua eliminação

Conduta

Ajustar dose

Ranitidina

Tipo de Interação

Sinergismo/Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Antifúngicos e aumentado da Ranitidina

Mecanismo de Ação

Inibição da secreção tubular renal

Conduta

Administrar com intervalo de 2 horas

Rifampicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico diminuido de ambas as substâncias

Mecanismo de Ação

Rifampicina induzir as enzimas hepáticas e o metabolismo do Cetoconazol. Cetoconazol interferi com a absorção da Rifampicina

Conduta

Ajustar dose

Sucralfato

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cetoconazol

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Administrar Cetoconazol 2 horas antes do Sucralfato

Triazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito sedativo do Triazolam, com aumento da depressão do SNC prolongada e disfunção psicomotora

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo oxidativo do Triazolam

Conduta

Incompatível

Vimblastina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Vimblastina

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O cetoconazol é uma droga sintética, pertencente ao grupo dos imidazóis, com atividade antifúngica de amplo espectro. O cetoconazol tem demonstrado ainda atividade contra bactérias Gram-positivas.

Os mecanismos de ação do cetoconazol consistem na inibição da biossíntese do ergosterol e na sua união aos fosfolipídeos da membrana da célula fúngica. Ambos os mecanismos alteram a permeabilidade da membrana permitindo a saída do conteúdo celular. Além disso, parece haver uma inibição da atividade da citocromoxidase C e da peroxidase, o que ocasiona um aumento de peróxido intracelular e a morte da célula fúngica.

FARMACOCINÉTICA

Quando administrado por via oral, o cetoconazol é absorvido e após uma dose de 10 mg/kg de peso, atinge uma concentração máxima no plasma, da ordem de 8,9 µg/mL dentro de 1 a 2 horas. A total absorção da droga requer meio ácido. A metabolização se dá no fígado, onde é transformado em substâncias inativas, as quais são eliminadas mediante excreção biliar. O cetoconazol apresenta uma boa distribuição nos tecidos.

EFEITOS ADVERSOS

Quando administrado por via oral, os eventuais efeitos secundários do cetoconazol em cães podem ser inapetência, vômitos, prurido, alopecia e alteração da coloração da pelagem. Em gatos o tratamento via oral, pode provocar anorexia, vômitos, abatimento, diarréia e febre.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar em fêmeas gestantes e em lactação.

SUPERDOSAGEM

A administração oral de doses muito elevadas (acima de 80 mg/kg/dia) durante longos períodos, pode causar hepatite grave. Em casos de qualquer sinal de intolerância ao tratamento, suspender a medicação e consultar o Médico Veterinário.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.