Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Carvedilol

Classificaçāo

Beta-Bloqueador

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Carvedilol 6,25 mg, comprimido
  • - Carvedilol 3,125 mg, comprimido
  • - Carvedilol 12,5 mg, comprimido
  • - Cardilol 3,125 mg, comprimido
  • - Cardilol 6,25 mg, comprimido
  • - Cardilol 12,5 mg, comprimido
  • - Cardilol 25 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Indicado no tratamento de arritmias, hipertensão sistêmica e para bloquear beta-receptores cardíacos em animais com taquicardia.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não usar em animais desidratados ou hipotensos. Usar com cautela em animais com reserva cardíaca limitada e portadores de doenças respiratórias.

EFEITOS ADVERSOS

Bradicardia, depressão miocárdica, redução do débito cardíaco

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não é recomendado o uso em gestantes e lactantes.

SUPERDOSAGEM

Altas doses podem causar hipotensão grave, insuficiência cardíaca, choque cardiogênico e parada cardíaca.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 / 12 horas

(VIANA, 2014) - Cães

Inicial

0,2 mg / kg

calcular

Aumentos graduais

0,2 - 0,8 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Alguns animais não apresentam resposta clínica a este medicamento.

A eficácia do medicamento é baseada em relatos, extrapolações de observações realizadas em humanos

Interações medicamentosas

Adrenalina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido ou inativado do atenolol

Conduta

Evitar o uso

Amiodarona

Tipo de Interação

Hipotensão arterial, bradicardia e parada cardíaca

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipotensão arterial, bradicardia e parada cardíaca

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do atenolol pela amiodarona

Conduta

Incompatível

Ampicilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do atenolol

Mecanismo de Ação

Redução da absorção do atenolol devido a disfunção do trato gastrointestinal causado pela ampicilina

Conduta

Ajustar dose

Antipirina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Antipirina

Mecanismo de Ação

Redução do metabolismo hepático da Lidocaína

Conduta

Evitar o uso

Ciclosporina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da ciclosporina, até mesmo toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição no metabolismo da ciclosporina

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Cimetidina

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Cimetidina

Conduta

Ajustar dose

Clonidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do carvedilol, levando a hipertensão grave

Mecanismo de Ação

Interação farmacodinâmica em nível de receptores Adrenérgicos

Conduta

Evitar o uso

Clorpromazina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

A Clorpromazina pode inibir o metabolismo hepático do Propranolol

Conduta

IncompatívelObservações:

Digoxina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da digoxina, podendo ocorrer bradicardia

Mecanismo de Ação

Aumento da biodisponibilidade da digoxina. Depressão da condução cardíaca e diminuição da secreção tubular renal da digoxina

Conduta

Evitar o uso

Diltiazem

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão, bradcardia, sinais de insuficiência cardíaca

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

Fenobarbital

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pelo Fenobarbital

Conduta

Ajustar dose

Hidralazina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Aumento transitório do fluxo sanguíneo esplênico e diminuição do metabolismo hepático de primeira passagem

Conduta

Ajustar dose

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Redução da absorção intestinal

Conduta

Administrar com intervalo de tempo de 2 horas

Levotiroxina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Levotiroxina

Mecanismo de Ação

Redução no fluxo sanguíneo hepático, ocorrendo aumento do efeito do Propanolol. Quando faz uso de Levotiroxina pode ocorrer diminuição da eficácia do Propanolol

Conduta

Ajustar dose

Lidocaína

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Lidocaína, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Redução do metabolismo hepático da lidocaína e possivelmente a diminuição do fluxo sanguíneo hepático pode contribuir

Conduta

Evitar o uso

Naproxeno

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Beta-bloqueadores, levando a hipertensão

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Nifedipina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as substâncias

Mecanismo de Ação

Possivelmente devido aos efeitos aditivos ou sinérgicos entre as substâncias

Conduta

Monitorar função cardiovascular, ajustar dose

Remifentanila

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão e bradicardia

Conduta

Ajustar dose

Rifampicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Propanolol

Mecanismo de Ação

Indução do metabolismo hepático causado pela Rifampicina

Conduta

Ajustar dose

Subs. Hipoglicemiantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Teofilinas

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado das Teofilinas

Mecanismo de Ação

Redução do metabolismo hepático das Teofilinas

Conduta

Ajustar dose

Verapamil

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Efeitos aditivos ou sinérgicos entre o Beta-bloqueador e o Verapamil

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O carvedilol é um bloqueador adrenérgico de terceira geração, que atua sobre receptores do tipo beta1 e beta2 do coração e dos demais tecidos.

O carvedilol é único por também apresentar propriedades de bloqueador alfa, provocando vasodilatação.

Relata-se também que o carvedilol tem propriedades antioxidantes (PAPICH, 2012).

FARMACOCINÉTICA

Em cães, a meia-vida do fármaco é curta (1,2 hora). A absorção oral é baixa e variável, dados a alta depuração sistêmica e os efeitos de primeira passagem.

Em humanos, demonstrou-se que o tratamento com carvedilol prolongou a sobrevida de pacientes com insuficiência cardíaca, mas esse efeito não foi demonstrado em animais (PAPICH, 2012).

EFEITOS ADVERSOS

Bradicardia, depressão miocárdica, redução do débito cardíaco

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não é recomendado o uso em gestantes e lactantes.

SUPERDOSAGEM

Altas doses podem causar hipotensão grave, insuficiência cardíaca, choque cardiogênico e parada cardíaca.

MONITORAMENTO

Monitorar cuidadosamente a frequência e o ritmo cardíacos do paciente durante o tratamento.

No início da terapia, monitore os pacientes quanto a piora da insuficiência cardíaca.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

LEOMIL NETO, M. et al. Clínica de cães com cardiomiopatia dilatada idiopática, tratados ou não com carvedilol. Ciência Rural, Santa Maria, Online, 2011

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012

VIANA, F. A. B. Guia Terapêutico Veterinário. 3 ed. Minas Gerais: Editora CEM, 2014. 560 p.