Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Vimblastina

Classificaçāo

Antineoplásico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Não faça a administração sem equipamentos de proteção ou sem conhecimento prévio sobre reconstituições, manuseio e aplicações de antineoplásicos.

ARMAZENAMENTO

Deve ser conservado sob refrigeração (entre 2°C e 8°C), protegido da luz.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Vimblastina 1 mg/mL, frasco
  • - Velban 1 mg/mL, frasco

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Alcalóide da vinca, indicado no tratamento de linfomas e mastocitomas.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser usada por paciente com hipersensibilidade conhecida ao medicamento. Não utilizar em pacientes com insuficiência grave de medula óssea ou hepática.

EFEITOS ADVERSOS

A vimblastina é menos neurotóxica que a vincristina, no entanto podem ocorrer anorexia, mielosupressão de grau leve, parestesia, alopecia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser utilizada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinadas à reprodução.

SUPERDOSAGEM

O uso prolongado e em altas doses pode causar mielosupressão e hepatotoxicidade.

Administração e doses

Via(s)

IV

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

1 vez/semana

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

2 - 2,5 mg / m²

OBSERVAÇÕES

O extravasamento perivacular provoca danos tissulares graves. Por isso recomenda-se que a administração seja feita por profissional capacitado.

Interações medicamentosas

Antifúngicos Azóis

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Vimblastina

Conduta

Evitar o uso

Bleomicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da cardiotoxicidade

Conduta

Ajustar dose

Cisplatina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da cardiotoxicidade

Conduta

Ajustar dose

Doxorrubicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade

Conduta

Evitar o uso

Eritromicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade da Eritromicina

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Vimblastina

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Vimblastina

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção ou aumento do metabolismo da Fenitoína

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Atua durante a fase M, promovendo ruptura do fuso mitótico.

FARMACOCINÉTICA

Após administração IV, o medicamento se liga as proteínas e a outros elementos sanguíneos. É biotransformada no fígado e excretada pela bile.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Esta relacionada a supressão da medula óssea; então pode ocorrer leucopenia, neutropenia e trombocitopenia.

EFEITOS ADVERSOS

A vimblastina é menos neurotóxica que a vincristina, no entanto podem ocorrer anorexia, mielosupressão de grau leve, parestesia, alopecia.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser utilizada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinadas à reprodução.

SUPERDOSAGEM

O uso prolongado e em altas doses pode causar mielosupressão e hepatotoxicidade.

MONITORAMENTO

Os pacientes devem ser monitorados com exames clínicos e hematológicos semanalmente.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

ANDRADE, S. F. Terapêutica antineoplásica. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008, 912 p.

DAGLI, M. L. Z., LUCAS, S. R. R. Agentes antineoplásicos. In: Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária, 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

SIMERMANN, N. F. S. Sulfato de vincristina no tratamento do tumor venéreo transmissível frente à caracterização citomorfológica. Dissertação (mestrado) - Ciência Animal. Goiânia - Universidade Federal de Goiás, 2009.