Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Milbemicina Oxima

Classificaçāo

Endectoparasiticida

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, à temperatura ambiente (15°C a 30°C), ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Milbemicina Oxima 2,5 mg, comprimido, cada comprimidos contém 2,5 mg de Milbemicina e 25 mg de Praziquntel
  • - Milbemicina Oxima 12,5 mg, comprimido, cada comprimidos contém 2,5 mg de Milbemicina e 25 mg de Praziquntel

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É usada na prevenção da dirofilariose, como acaricida e como microfilaricida.

É também empregada para o tratamento de infecções por nematodeos.

A milbemicina é ativa contra parasitas intestinais, ácaros, bernes, microfilárias e larvas em desenvolvimento, mas não é eficaz contra trematódeos ou cestódeos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não use em cães sensíveis à ivermectina ou a outras substâncias desta classe.

EFEITOS ADVERSOS

Avermectinas podem causar indiossincrasia em gatos, porém sinais de toxicidade são raros. Nas doses recomendadas apresentam boa segurança. Em casos raros, pode promover ataxia, depressão e salivação em cães.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Pode ser usado seguramente em fêmeas em qualquer fase da gestação ou da lactação.

SUPERDOSAGEM

Entre as raças que apresentam maior sensibilidade às avermectinas, incluem-se Collies, Pastores Australianos, Old English Sheepdogs, Whippets de pelo longo e Pastores de Shetland. A milbemicina é neurotóxica pode provocar depressão, ataxia, perda de visão, coma e morte.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

Prevenção dirofilariose e controle de endoparasitas

Caninos

Cães

0,5 mg / kg

calcular

Felinos

Gatos

2 mg / kg

calcular

Demodicose, sarna sarcóptica, queiletielose

Caninos

Cães

2 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

As doses utilizadas dependem do agente etiológico da doença.

O tratamento da demodicose requer doses maiores do que as usadas na prevenção da dirofilariose e administração diária.

O emprego de protocolo de administração de 1 mg/kg/dia até a cura clínica e de 3 mg/kg/semana até a cura parasitológica requer 4 meses para cura clínica e 8 meses para

cura parasitológica.

Interações medicamentosas

Digoxina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade

Conduta

Evitar o uso

Doxorrubicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

As avermectinas (medicamentos similares à ivermectina) e as milbemicinas (milbemicina e moxidectina) são lactonas macrocíclicas e compartilham algumas propriedades e o mecanismo de ação.

Atua de modo semelhante ao da ivermectina. São absorvidas pelo parasito tanto por via oral (parasitos hematófagos) quanto cuticular (nematódeos) e atuam potencializando os canais de cloro.

Elas se ligam ao glutamato nos canais iônicos, proporcionando a hiperpolarização que resulta na paralisia flácida e morte do parasito.

Agem também sobre a neurotransmissão mediado pelo GABA.

FARMACOCINÉTICA

É biotransformada no fígado e tem seu pico de concentração plasmática por volta de 24 horas. Seus resíduos são encontrados principalmente na gordura da carne e do leite de forma inalterada. A eliminação ocorre através das fezes.

EFEITOS ADVERSOS

Avermectinas podem causar indiossincrasia em gatos, porém sinais de toxicidade são raros. Nas doses recomendadas apresentam boa segurança. Em casos raros, pode promover ataxia, depressão e salivação em cães.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Pode ser usado seguramente em fêmeas em qualquer fase da gestação ou da lactação.

SUPERDOSAGEM

Entre as raças que apresentam maior sensibilidade às avermectinas, incluem-se Collies, Pastores Australianos, Old English Sheepdogs, Whippets de pelo longo e Pastores de Shetland. A milbemicina é neurotóxica pode provocar depressão, ataxia, perda de visão, coma e morte.

MONITORAMENTO

Monitorar a situação da dirofilariose antes da instituição do tratamento com milbemicina em cães.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

ALMEIDA, M. A. O e AYRES, M. C. C. Agentes Antinematódeos. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

DELAYTE, E. H. et al. Efficacy of systemics macrocyclic lactones (ivermectin and moxidectin) for the treatment of generalized canine demodicosis. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 58, n. 1, p. 31-38, 2006.

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012