Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Verapamil

Classificaçāo

Bloqueador de Canais de Cálcio

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Dilacoron 240 mg, comprimido
  • - Verapamil 240 mg, comprimido
  • - Verapamil 80 mg, comprimido
  • - Dilacoron 120 mg, comprimido
  • - Dilacoron 80 mg, comprimido
  • - Verapamil 120 mg, comprimido

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Bloqueador canal de cálcio (antiarrítmico classe IV), indicado para tratamento de taquicardia supraventricular

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Contraindicado em insuficiência cardíaca congestiva descompensada ou bloqueio cardíaco avançado.

Não é indicado seu uso em gatos.

EFEITOS ADVERSOS

Hipotensão, bradicardia, edema periférico, bloqueio atrioventricular, edema pulmonar, náusea, anorexia, constipação e letargia.

Pode ocasionar parada cardíaca súbita quando administrado pela via intravenosa.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não é recomendado para uso em gestação e lactação, apesar de não existirem estudos que comprovem efeitos negativos nessas condições. É excretado do leite.

SUPERDOSAGEM

A superdose pode causar hipotensão, bradicardia, bloqueio atrioventricular, parada sinusal, hiperglicemia e acidose metabólica.

O tratamento deve ser principalmente de suporte e individualizado.

Administração e doses

Via(s)

IV

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

A cada 10 a 30 minutos.

IV (PAPICH, 2012)

Recomendado

Cães

0,05 mg / kg

calcular

Gatos

0,5 - 1 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Pela alta incidência de efeitos adversos com o uso do Verapamil, seu uso não é frequente em medicina veterinária.

Sendo o Diltiazém recomendado preferencialmente para tratamento de arritmias.

Interações medicamentosas

Atenolol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as substâncias

Mecanismo de Ação

Possivelmente devido aos efeitos aditivos ou sinérgicos entre as substâncias

Conduta

Incompatível

Buspirona

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da buspirona, com possível toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo hepático da buspirona

Conduta

Ajustar dose

Carbamazepina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da carbamazepina, com possível toxicidade

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo hepático da carbamazepina

Conduta

Ajustar dose

Carvedilol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Efeitos aditivos ou sinérgicos entre o Beta-bloqueador e o Verapamil

Conduta

Evitar o uso

Ciclosporina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Ciclosporina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo da Ciclosporina

Conduta

Ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Verapamil

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo do Verapamil

Conduta

Ajustar dose

Claritromicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da cardiotoxicidade da Claritromicina

Mecanismo de Ação

Aumento da absorção da Claritromicina

Conduta

Evitar o uso

Dantroleno

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipercalemia e depressão miocárdica

Mecanismo de Ação

Efeitos aditivos do Verapamil e da hiperpotassemia

Conduta

Evitar o uso

Diazepam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Depressão do SNC e efeito sedativo mais prolongado

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo do benzodiazepínico

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina , resultando em toxicidade

Mecanismo de Ação

Verapamil e Digoxina tem efeitos aditivos no sentido de diminuir a velocidade na condução atrioventricular, além disso o Verapamil diminui a eliminação da Digoxina

Conduta

Ajustar dose

Eritromicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da cardiotoxicidade da Eritromicina

Mecanismo de Ação

Aumento da absorção da Eritromicina

Conduta

Evitar o uso

Esmolol

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Parada cardíaca

Conduta

Incompatível

Fenobarbital

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Verapamil

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo de primeira passagem hepática do Verapamil

Conduta

Ajustar dose

Imipramina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Imipramina, levando a toxicidade

Conduta

Evitar o uso

Lovastatina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado e toxicidade de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo de primeira passagem da Lovastatina, e aumento da absorção do Verapamil

Conduta

Evitar o uso

Midazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Depressão do SNC e efeito sedativo mais prolongado

Mecanismo de Ação

Diminuição do metabolismo do benzodiazepínico

Conduta

Ajustar dose

Prazosina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Evitar o uso

Primidona

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Verapamil

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo de primeira passagem hepática do Verapamil

Conduta

Ajustar dose

Propanolol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Efeitos aditivos ou sinérgicos entre o Beta-bloqueador e o Verapamil

Conduta

Evitar o uso

Quinidina

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipotensão, bradicardia, taquicardia ventricular e bloqueio AV

Mecanismo de Ação

Além dos efeitos farmacológicos sinérgicos o verapamil parece interferir com a eliminação da quinidina e prolongar seu tempo de meia-vida

Conduta

Evitar o uso

Remifentanila

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Hipotensão e bradicardia

Conduta

Ajustar dose

Rifampicina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Perda da eficácia do Verapamil

Mecanismo de Ação

Aumento da primeira passagem do metabolismo hepático do Verapamil

Conduta

Incompatível

Sinvastatina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado e toxicidade de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo de primeira passagem da Sinvastatina, e aumento da absorção do Verapamil

Conduta

Evitar o uso

Sotalol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Hipotensão, bradicardia, sinais de insuficiência cardíaca

Mecanismo de Ação

Possivelmente devido aos efeitos aditivos ou sinérgicos entre as substâncias

Conduta

Incompatível

Teofilina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Teofilina

Mecanismo de Ação

Inibição do metabolismo hepático da Teofilina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

O verapamil é solúvel em água apresentando estabilidade de até 3 meses em solução aquosa.

O pH ideal para a solução é de 3,6.

Pode ser misturado a soluções de infusão.

FARMACODINÂMICA

O veparamil apresenta um efeito inotrópico negativo, provoca vasodilatação e cronotropismo negativo.

Atua no nas fibras de resposta lenta, bloqueando os canais de cálcio, o que aumenta o período refratário e reduz a velocidade de contração do impulso.

FARMACOCINÉTICA

É bem absorvido pela mucosa intestinal, porém apresenta níveis plasmáticos baixos ou instáveis, pois é extensamente metabolizado pelo fígado.

Se liga às proteínas plasmáticas e sofre excreção em maior parte renal (metabólitos) e em menor quantidade em sua forma original pelas fezes.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode alterar glicemia.

EFEITOS ADVERSOS

Hipotensão, bradicardia, edema periférico, bloqueio atrioventricular, edema pulmonar, náusea, anorexia, constipação e letargia.

Pode ocasionar parada cardíaca súbita quando administrado pela via intravenosa.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não é recomendado para uso em gestação e lactação, apesar de não existirem estudos que comprovem efeitos negativos nessas condições. É excretado do leite.

SUPERDOSAGEM

A superdose pode causar hipotensão, bradicardia, bloqueio atrioventricular, parada sinusal, hiperglicemia e acidose metabólica.

O tratamento deve ser principalmente de suporte e individualizado.

MONITORAMENTO

Monitorar frequência e ritmo cardíaco durante o uso da droga.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012.

SANTANA, O. O. Antiarrítmicos. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.