Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloridrato de Cetamina

Classificaçāo

Anestésico Dissociativo

Receita

Controle Especial - Veterinário

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL contém:

Cloridrato de cetamina 11,54 g (*)

Veículo q.s.p. 100,00 mL

(*)equivalente a 10 g de cetamina base.

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

O uso pelo homem pode causar graves riscos à saúde.

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, à temperatura ambiente (15°C a 30°C), ao abrigo da luz solar direta.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Ketamina Agener 10%, frasco (50 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Dependendo da associação anestésica, a Ketamina Agener pode ser indicada em vários tipos de intervenções cirúrgicas, de curta ou longa duração, inclusive cesarianas, procedimentos de alto risco e em situações emergenciais. O produto também é indicado na contenção química de animais domésticos e silvestres e na indução anestésica que precede a intubação do animal, para instituição de anestesia inalatória.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Em animais com hipertermia maligna, doença cardíaca grave, hipertensão aterial sistêmica e em doenças em que o sistema nervoso simpático esteja estimulado, como no hipertireoidismo. Nos quadros de traumatismo craniano ou associados ao aumento da pressão intracraniana. Não se recomenda a administração de cloridrato de cetamina em animais que apresentam glaucoma, úlcera de córnea e descemetocele, pois pode causar aumento da pressão intra-ocular. embora não seja comprovado que o cloridrato de cetamina diminua o limiar convulsivo, recomenda-se que o seu uso seja contra-indicado ou realizado de forma cautelosa em animais epilépticos ou que serão submetidos a mielografia. Utilizar com cautela em animais hepatopatas e nefropatas. Não utilizar em animais que tenham apresentado qualquer reação de hipersensibilidade prévia ao cloridrato de cetamina ou a algum agente do grupo das fenciclidinas.

EFEITOS ADVERSOS

Os efeitos colaterais observados são mais evidentes quando o cloridrato de cetamina é utilizado em altas doses ou seu uso não é associado ao de outros fármacos, como os opióides, relaxantes musculares de ação central, benzodiazepínicos ou fenotiazínicos. Dentre os efeitos que podem ser observados, destaca-se a hipersalivação e aumento da produção das secreções traqueobrônquicas, o que pode ser minimizado com a administração de agentes anticolinérgicos, como o sulfato de atropina ou escopolamina; o aumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial; o aumento da pressão intracraniana e intra-ocular; a hipertonicidade muscular com movimentos involuntários; a ocorrência de alucinações com vocalização, não necessariamente associadas aos estímulos dolorosos; a excitação; o aumento da temperatura corpórea e a ocorrência de depressão respiratória. Nesse último caso, os animais devem ser preferencialmente submetidos a procedimentos de respiração assistida. Para os quadros em que se observa excitação intensa durante a recuperação, recomenda-se o uso de barbitúricos de ação curta ou ultra-curta, a critério e aplicação do Médico Veterinário.

Administração e doses

Via(s)

IV

IM

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

A critério do Médico Veterinário.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

A critério do Médico Veterinário.

Ketamina Agener 10% - Cães e Gatos

IV

05 - 08 mL / kg

calcular

IM

0,15 - 0,2 mL / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

VENDA SOB PRESCRIÇÃO DO MÉDICO VETERINÁRIO COM RETENÇÃO OBRIGATÓRIA DA NOTIFICAÇÃO DE RECEITA.

A via de administração e a dose a ser utilizada devem ser estabelecidas pelo Médico Veterinário, de acordo com o tipo de procedimento a ser realizado e os fármacos utilizados na pré-anestesia, na indução ou manutenção anestésica. Caso necessário, o produto pode ser reaplicado, a critério do Médico Veterinário. Geralmente, é administrada a metade da dose da aplicação inicial. Para se evitar possíveis quadros de aspiração de conteúdos de vômitos, recomenda-se que os pacientes sejam mantidos em jejum prévio à administração do medicamento.

Quando utilizada via endovenosa, recomenda-se administrar a dose preoconizada de forma lenta, num período de 1 minuto, a menos que se utilize uma técnica de indução de sequencia rápida. No caso de administração de doses mais altas do que a indicada para esta via, o animal pode apresentar depressão respiratória, apnéia e hipertensão.

O período de latência do cloridrato de cetamina, com perda do reflexo de endireitamento é de 30 a 90 segundos (pela via endovenosa) e 3 a 5 (pela via intramuscular). O período hábil de ação dependerá das associações. isoladamente, atua durante 10 minutos quando aplicada pela via IV e 30 a 45 minutos quando administrada pela via IM. Quando da associação com alfa-2-agonistas, como cloridrato de xilazina, recomenda-se que se administre esse agente cerca de 5 a 10 minutos antes da cetamina.

Interações medicamentosas

Observações da interação

De forma geral, os anestésicos voláteis halogenados (como enfluorano, halotano, isoflorano e metoxifluorano) podem aumentar o período de meia-vida do cloridrato de cetamina, diminuindo a sua eliminação. A associação do cloridrato de cetamina (especialmente quando administrado de forma rápida ou em altas doses) com medicamentos que produzem depressão do SNC (incluindo os que comumente são utilizados como medicação pré-anestésica, indução, suplementação ou manutenção da anestesia) pode aumentar o risco de hipotensão e/ou depressão respiratória. Utilizar com cautela em animais medicados com hormônios da tireóide devido ao risco de hipertensão e taquicardia. O uso associado a fármacos que causam intensa depressão respiratória pode potencializar o efeito depressor da cetamina sobre o sistema respiratório.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O cloridrato de cetamina é um agente anestésico dissociativo do grupo das fenciclidinas. Devido às caracteristicas do fármaco descritas abaixo, de modo geral, não se recomenda o uso do produto isoladamente, mas em associação com analgésicos opióides, alfa-2-agonistas, benzodiazepínicos e/ou fenotiazínicos, a critério do Médico Veterinário. A narcoanalgesia após a administração do cloridrato de cetamina apresenta as seguintes características:

- analgesia superficial imediata, logo após a administração.

- catalepsia com manutenção do tônus muscular, dos reflexos ocular, laringofaríngeo e da deglutição, podendo ocorrer hipertonicidade não relacionada à dor.

- estado anestésico dissociativo, sem depressão bulbar, com hipersialorréia, manutenção de olhos abertos e ocorrência de midríase.

- despertar com possibilidade de alucinações, dependendo dos estímulos externos e da associação de outros fármacos ao protocolo anestésico.

- efeito depressivo improvável, salvo se ocorrer potencialização mais acentuada devido à pré-medicação.

no sistema cardiorrespiratório os efeitos esperados são: taquicardia, aumento da pressão arterial, aceleração do fluxo sanguíneo e ligeira vasodilatação periférica, respiração lenta e compassada, diminuição da amplitude respiratória, broncodilatação.

EFEITOS ADVERSOS

Os efeitos colaterais observados são mais evidentes quando o cloridrato de cetamina é utilizado em altas doses ou seu uso não é associado ao de outros fármacos, como os opióides, relaxantes musculares de ação central, benzodiazepínicos ou fenotiazínicos. Dentre os efeitos que podem ser observados, destaca-se a hipersalivação e aumento da produção das secreções traqueobrônquicas, o que pode ser minimizado com a administração de agentes anticolinérgicos, como o sulfato de atropina ou escopolamina; o aumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial; o aumento da pressão intracraniana e intra-ocular; a hipertonicidade muscular com movimentos involuntários; a ocorrência de alucinações com vocalização, não necessariamente associadas aos estímulos dolorosos; a excitação; o aumento da temperatura corpórea e a ocorrência de depressão respiratória. Nesse último caso, os animais devem ser preferencialmente submetidos a procedimentos de respiração assistida. Para os quadros em que se observa excitação intensa durante a recuperação, recomenda-se o uso de barbitúricos de ação curta ou ultra-curta, a critério e aplicação do Médico Veterinário.

MONITORAMENTO

A monitorização da função cardiovascular e respiratória devem ser realizadas em qualquer animal submetido a procedimento anestésico.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.