Informações

Substância(s) Ativa(s)

Cloridrato de Dexmedetomidina

Tipo

Sedativo

Apresentações e concentrações

  • - Dexdomitor frasco (10 mL)

INDICAÇÕES

Sedação e analgesia em cães e gatos em procedimentos e exames pouco a moderadamente dolorosos, como exames não invasivos, procedimentos dentários e cirúrgicos menores, tais como exames radiográficos, limpeza dentária, limpeza de orelha, suturas, excisão de pequenos tumores e debridamento de feridas.

Como medicação pré-anestésica em cães antes da indução e manutenção de anestesia geral. A avaliação de eficácia e segurança dessa indicação foi feita pela administração de

Dexdomitor 20 minutos antes da indução com propofol ou tiopental, com ou sem manutenção da anestesia com isofluorano.

Como medicação pré-anestésica em gatos, antes de anestesia geral com cetamina.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não utilizar em cães e gatos com menos de 2 Kg de peso;

Não administrar em animais com doenças cardiovasculares ou com hipóxia, bradicardia ou hipotensão preexistentes;

Não administrar em animais com distúrbios respiratórios, hepáticos ou renais, com doenças sistêmicas severas, debilitados ou em choque;

Não administrar em animais idosos, já que a segurança do uso do produto nestes animais não foi avaliada;

Não utilizar em casos de hipersensibilidade conhecida ao princípio ativo ou a qualquer outra substância da fórmula.

Espécie de animal

Canino, Felino

Interações

Isoflurano

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Cloridrato de Dexmedetomidina

Conduta

Ajustar dose

Midazolam

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Cloridrato de Dexmedetomidina

Conduta

Ajustar dose

Propofol

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Cloridrato de Dexmedetomidina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Utilização

Via

Cães: IM ou IV Gatos: IM

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Dose Única. A segurança de utilização de doses repetidas não foi avaliada.

COMPOSIÇÃO

Cada 1,0 mL contém:

Cloridrato de Dexmedetomidina 0,5 mg

Veículo q.s.p. 1,0 mL

OBSERVAÇÕES

Cães: sedação e analgesia: 500 mcg / m² (IM) ou 375 mcg / m² (IV); pré-anestesia: 375 ou 125 mcg / m² (IM).

Gatos: 40 mcg / kg (IM) para analgesia, sedação e pré-anestesia.

Recomenda-se que os animais sejam mantidos em jejum alimentar por 12 horas, e jejum hídrico por 2 horas, antes da administração de Dexdomitor.

Recomenda-se que a aplicação via intravenosa em cães seja realizada lentamente.

Os animais devem ser mantidos em ambiente tranquilo e quietos durante 15 minutos após a administração do produto. A sedação e a analgesia ocorrem dentro de 5 a 15 minutos, com o pico de eficácia ocorrendo 30 minutos após a administração.

ARMAZENAMENTO

Deve ser mantido em sua embalagem original, em temperatura ambiente (15°C a 30°C) e protegido da luz solar. Após a retirada da primeira dose, utilizar todo o conteúdo dentro de 30 dias.

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

INTOXICAÇÃO E PRECAUÇÕES EM SERES HUMANOS: Devido à potente atividade farmacológica da dexmedetomidina, recomenda-se que o contato do produto Dexdomitor com pele e mucosas seja evitado. Recomenda-se a utilização de luvas impermeáveis durante a manipulação e administração do produto. No caso de contato do produto com pele ou mucosa, lavar abundantemente com água. No caso de auto-injeção ou ingestão acidental, procurar ajuda médica imediatamente, levando consigo a bula ou embalagem do produto. Sintomas da absorção de dexmedetomidina incluem sedação dose-dependente, boca seca e redução de pressão sanguínea e frequência cardíaca. Pessoas com sabida hipersensibilidade ao ativo ou qualquer dos excipientes da fórmula, devem administrar o produto com cuidado, e utilizar luvas impermeáveis ao manipulá-lo.

Sedação e analgesia (agente único) - Cães

IV

375 mcg / m² área de superfície corporal

IM

500 mcg / m² área de superfície corporal

Pré-anestesia

Recomendado

Cães

125 - 375 mcg / m² área de superfície corporal

Sedação, analgesia, pré-anestesia

Recomendado

Gatos

40 mcg / m² área de superfície corporal

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Não misturar o produto com outros na mesma seringa. Anticolinérgicos devem ser utilizados com precaução junto com a dexmedetomidina.

EFEITOS ADVERSOS

Devido a sua atividade alfa-2 adrenérgica, a dexmedetomidina provoca diminuição da frequência cardíaca e respiratória e da temperatura corporal. A pressão sanguínea tende

a elevar-se no início (em virtude da vasoconstrição periférica) para, posteriormente, voltar à normalidade ou a valores mais baixos. A vasoconstrição também pode promover a

ocorrência de membranas mucosas pálidas ou levemente cianóticas.

Podem ocorrer casos isolados de hipersensibilidade e resposta paroxística (excitação), além de depressão das funções motoras e secretórias do trato gastrointestinal, diurese,

hiperglicemia e efeitos na secreção de alguns hormônios - a estimulação dos receptores alfa-2 adrenérgicos diminui a liberação de norepinefrina central e perifericamente,

consequentemente diminuindo a atividade simpática do sistema nervoso central, bem como reduzindo a concentração de catecolaminas circulante e outros hormônios de estresse.

A ocorrência de vômito é frequente após a administração do produto (5 a 10 minutos), embora possa ocorrer também durante o período de recuperação.

Tremores musculares podem ocorrer durante a sedação, especialmente em cães.

Quando a dexmedetomidina e a cetamina são usadas sequencialmente, com um intervalo de 10 minutos, gatos podem ocasionalmente apresentar bloqueio atrioventricular ou extra-sístole. Eventos respiratórios esperados são bradipnéia, padrão respiratório intermitente, hipoventilação e apnéia. Em testes clínicos, a incidência de hipoxemia foi comum, especialmente nos 15 primeiros minutos da anestesia com dexmedetomidina-cetamina. Também foram reportados vômito, hipotermia e nervosismo, após essa associação.

Quando a dexmedetomidina é utilizada como medicação pré-anestésica em cães, pode ocorrer: bradipnéia, taquipnéia e vômito. Bradi e taquiarritmias foram relatadas, e incluem bradicardia sinusal profunda, bloqueio átrio-ventricular de 1º e 2º grau e parada sinusal. Em casos raros, pode-se observar complexos supraventriculares e ventriculares prematuros, pausa sinusal e bloqueio atrioventricular de 3º grau.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não utilizar em fêmeas prenhes ou lactantes, em animais destinados a reprodução.

SUPERDOSAGEM

CÃES: Em caso de overdose, ou se os efeitos da dexmedetomidina se tornem potencialmente letais, o antagonista apropriado é o atipamezole, em uma dose 10 vezes a dose inicial de dexmedetomidina (microgramas/Kg p.v. ou microgramas/m2 de área corporal). O volume de atipamezole a ser administrado, na concentração de 5 mg/mL, é igual ao volume administrado de Dexdomitor, independente da via de administração deste.

GATOS: Em caso de overdose, ou se os efeitos da dexmedetomidina se tornem potencialmente letais, o antagonista apropriado é o atipamezole, administrado via intramuscular, na seguinte dose: 5 vezes a dose inicial de dexmedetomidina em microgramas/Kg p.v..

MONITORAMENTO

Uma vez que em dose clínica há redução da temperatura em ambas as espécies alvo, os animais devem ser mantidos em ambiente quente e com temperatura equilibrada durante o procedimento, até a total recuperação.

A função cardiovascular e respiratória deve ser adequadamente monitorada após a administração do produto, até a recuperação total dos animais. Da mesma forma, deve ser

feito o controle da temperatura corpórea até a recuperação completa, em virtude da ocorrência de hipotermia, ressaltando-se que esta pode persistir além dos efeitos sedativos e analgésicos do produto.

Pode ocorrer redução do reflexo de piscar durante a sedação e, por isso, o uso de lubrificante ocular, particularmente em gatos, evita a ocorrência de opacidade reversível da córnea.

Os animais devem ser mantidos em ambiente calmo, uma vez que o aumento de catecolaminas endógenas pode reduzir a resposta farmacológica de agonistas alfa-2 adrenérgicos.

Isso é particularmente importante em animais excitáveis, agressivos ou de temperamento nervoso.

O uso da dexmedetomidina como pré-anestésico em cães reduz os requerimentos de anestésicos necessários para a indução e manutenção. Por isso é necessário monitoramento dos animais durante a indução e manutenção da anestesia, de forma a evitar a ocorrência de superdosagem anestésica.

A analgesia promovida pela dexmedetomidina é dose-dependente e pode não ser suficiente para o controle adequado da dor pós-operatória ou pós-procedimento, marcadamente naqueles moderadamente dolorosos; nesses casos pode ser necessário um manejo adequado da dor, com o uso de analgesia adicional.

No caso de ocorrência de apnéia severa, deve ser administrado oxigênio adicional.

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório