Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloridrato de Tetraciclina

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Tetraciclinas)

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Informe ao Médico Veterinário a ocorrência de gestação ou lactação durante ou logo após o tratamento.

A interrupção do tratamento e a modificação de dose não devem ser feitas sem a orientação do Médico Veterinário. Os microrganismos são capazes de desenvolver resistência nos casos de subdosagem.

O medicamento só deve ser prescrito por um Médico Veterinário. O uso indiscriminado de antimicrobianos pode ser perigoso para a saúde dos animais.

As embalagens vazias podem ser recicladas ou descartadas no lixo comum após serem inutilizadas.

Continue o tratamento pelo tempo determinado pelo médico veterinário, mesmo se o animal apresentar melhora.

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado em sua embalagem original, em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz e umidade e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Cloridrato de Tetraciclina 250 mg, cápsula (16 un)
  • - Cloridrato de Tetraciclina 100 mg / 5 mL, frasco-ampola (30 mL)
  • - Cloridrato de Tetraciclina 500 mg, cápsula (12 un)
  • - Cloridrato de Tetraciclina 100 mg / mL, frasco-ampola (10 mL)
  • - Cloridrato de Tetraciclina 45 mg / mL, frasco-ampola (20 mL)
  • - Cloridrato de Tetraciclina 100 mg / 5 mL, frasco-ampola (60 mL)
  • - Cloridrato de Tetraciclina 500 mg, cápsula (8 un)
  • - Ambra-Sinto T 100 mg / 5 mL, frasco (30 mL)
  • - Ambra-Sinto T 100 mg / 5 mL, frasco (60 mL)
  • - Tetrex 500 mg, cápsula (8 un)
  • - Talcin 250 mg, cápsula (16 un)
  • - Talcin 100 mg / mL, frasco-ampola (10 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Antibiótico, do grupo das tetraciclinas, de amplo espectro, bacteriostático, obtido semi-sinteticamente, de ação curta, efetivo contra bactérias gram-positivvas, gram-negativas aeróbicas e anaeróbicas, clamídias, riquétsias (Ehrlichia sp.), espiroquetas, micoplasma, e alguns protozoários como Anaplasma sp. e Haemobartonella sp.

São utilizadas em tratamento de doenças do trato respiratório, urinário, gastrentérico, e doenças oftálmicas bacterianas dos animais domésticos. Doenças específicas incluem anaplasmose (Anaplasma sp.), Actinobacilose (Actinobacillus lignieresii), Acti-nomicose (Actinomyces bovis), borreliose (Borrelia burgdorferi - doença de Lyme), brucelose (Brucella sp.), hemobartonelose (Haemobartonella sp.), doenças por Chlamydia e Mycoplama, e erliquiose (Ehrlichia sp.) (ANDRADE et al., 2008).

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser utilizada em animais jovens, pois pode afetar a formação dos ossos e alterar a coloração dos dentes. Nos pacientes com insuficiência renal ou problemas hepáticos, deve ser usada com cautela (VIEIRA & PINHEIRO, 2004).

EFEITOS ADVERSOS

As tetraciclinas causam irritação tecidual, logo alguns efeitos adversos incluem:

Nefrotoxicidade: São potencialmente nefrotóxicas (com exceção da doxiciclina), por isso devem ser evitadas em pacientes com função renal alterada. Devem ser evitadas em associação com anestesia inalatória com metoxiflurano, devido à possibilidade de indução de insuficiência renal aguda.

Hepatotoxicidade: Por degeneração parenquimatosa.

Fototoxicidade.

Necrose tecidual.

Descoloração dentária e inibição da calcificação afetando estrutura óssea.

Supra-infecções: Quando se utiliza um antibiótico de amplo espectro, sempre existe a possibilidade de ocorrer superinfecções por patógenos não suscetíveis, como fungos, leveduras e bactérias resistentes.

Diarreia grave: Quando utilizada por via oral em ruminantes por destruição da microflora bacteriana;

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser utilizada durante a gestação e lactação, pois promove descoloração e displasia dentária, bem comoretardo do crescimento ósseo (ANDRADE et al., 2008).

SUPERDOSAGEM

Devido à capacidade de as tetraciclinas se ligarem ao cálcio, elas podem provocar efeitos cardiovascular - arritmias, bem como necrose hepática e renal, pelo uso prolongado ou em altas doses.

Administração e doses

Via(s)

IV

IM

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

VO: 6/6 horas ou 8/8 horas;

IV, IM: 12/12 horas

Doses - Cães e Gatos

VO

25 - 50 mg / kg

calcular

IV, IM

7 - 10 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Alimentos e antiácidos diminuem a absorção das tetraciclinas quando administradas por via oral. A medicação deve ser administrada então, 1 hora antes ou 2 horas depois da alimentação.

A escolha do antimicrobiano deve ser baseada na experiência do clínico, resultados dos testes de sensibilidade e função renal do paciente (CALVERT, 1982). A administração do medicamento por via parenteral, deve seguir os procedimentos de assepsia e utilização de seringas e agulhas descartáveis.

Interações medicamentosas

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

As Tetraciclinas podem afetar a hemostasia

Conduta

Ajustar dose

Bicarbonato de sódio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cloridrato de Tetraciclina

Mecanismo de Ação

Diminuição da reabsorção tubular das tetraciclinas devido à urina alcalina

Conduta

Administrar com intervalo de 3 a 4 horas, ajustar dose

Cimetidina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cloridrato de Tetraciclina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Contraceptivos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos contraceptivos

Mecanismo de Ação

Diminuição da absorção dos Contraceptivos

Conduta

Evitar o usoObservações:

Digoxina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade da Digoxina

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Metoxiflurano

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Aumento da nefrotoxicidade

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Incompatível

Penicilinas

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido das Penicilinas

Mecanismo de Ação

A ação bacteriostática das tetraciclinas pode preservar uma parte dos microorganismos da atividade bactericida da penicilina

Conduta

Incompatível

Rocurônio

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Conduta

Ajustar dose

Subst. Hipoglicemiantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito hipoglicemiante

Mecanismo de Ação

Aumento da resposta extra-pancreática de Insulina

Conduta

Monitorar glicemia, ajustar dose

Subst. contendo Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cloridrato de Oxitetraciclina

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam um quelato insolúvel com sais de alumínio, diminuindo a absorção

Conduta

Administrar com intervalo de 3 a 4 horas

Subst. contendo Cálcio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido do Cloridrato de Oxitetraciclina

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam um quelato insolúvel com sais de cálcio, diminuindo a absorção

Conduta

Administrar com intervalo de 3 a 4 horas

Sulfato Ferroso

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam quelatos insolúveis com sais de ferro, diminuindo a absorção e os níveis séricos de ambas as subst.

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

As tetraciclinas inibem a síntese protéica dos microorganismos sensíveis, ligando-se aos ribossomos. Eles se ligam à subunidade 30 S, impedindo que o RNA-transportador se fixe ao ribossomo, o que impede a síntese protéica (SPINOSA, 2006; ANDRADE et al., 2008))

FARMACOCINÉTICA

As tetraciclinas podem ser administradas tanto por via oral, como por vias parenterais, no entatno a injeção intramuscular provoca dor local. A presença de aliemtnos no trato digestivo pode prejudicar a absorção das tetraciclinas administradas por via oral, com exceção da minociclina e doxiciclina. As tetraciclinas formam quelatos insolúveis com o cálcio, magnésio, zinco, ferro e alumínio. A presença do leite e derivados, as preparações vitamínicas, os antiácidos, e os catárticos podem reduzir a absorção das tetraciclinas. As concentrações plasmáticas máximas são alcançadas cerca de 1 a 3 horas após administração oral. Todas as tetraciclinas, com exceção da doxiciclina e minociclina, são excretadas na sua forma ativa pela urina, ou em menor proporção pela bile. A filtração glomerular é o processo responsábel pelo mecanismo de excreção renal destes antibióticos (SPINOSA, 2006; ANDRADE et al., 2008)

EFEITOS ADVERSOS

As tetraciclinas causam irritação tecidual, logo alguns efeitos adversos incluem:

Nefrotoxicidade: São potencialmente nefrotóxicas (com exceção da doxiciclina), por isso devem ser evitadas em pacientes com função renal alterada. Devem ser evitadas em associação com anestesia inalatória com metoxiflurano, devido à possibilidade de indução de insuficiência renal aguda.

Hepatotoxicidade: Por degeneração parenquimatosa.

Fototoxicidade.

Necrose tecidual.

Descoloração dentária e inibição da calcificação afetando estrutura óssea.

Supra-infecções: Quando se utiliza um antibiótico de amplo espectro, sempre existe a possibilidade de ocorrer superinfecções por patógenos não suscetíveis, como fungos, leveduras e bactérias resistentes.

Diarreia grave: Quando utilizada por via oral em ruminantes por destruição da microflora bacteriana;

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser utilizada durante a gestação e lactação, pois promove descoloração e displasia dentária, bem comoretardo do crescimento ósseo (ANDRADE et al., 2008).

SUPERDOSAGEM

Devido à capacidade de as tetraciclinas se ligarem ao cálcio, elas podem provocar efeitos cardiovascular - arritmias, bem como necrose hepática e renal, pelo uso prolongado ou em altas doses.

MONITORAMENTO

Deve ser monitorada a eficácia do tratamento, caso não haja melhora do paciente, nova terapia deve ser estabelecida.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

ANDRADE, S.F. et al. Quimioterápicos, antimicrobianos e quimioterápicos. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008, 912 p.

CALVERT, C. A. Valvular bacterial endocarditis in the dog. Journal of the American Veterinary Medical Association, v. 180, n. 9, p. 1080-1084, 1982.

SPINOSA, H. S. Antibióticos: tetraciclinas, cloranfenicol e análogos. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.

VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Monografias farmacêuticas. In: VIEIRA, F. C.; PINHEIRO, V. A. Formulário veterinário farmacêutico. 1. ed. São Paulo: Pharmabooks, 2004 p