Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Doxiciclina

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Tetraciclinas)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Doxifin® Tabs 50 mg - Cada comprimido palatável contém:

Doxiciclina base 50 mg

Excipiente q.s.p. 250 mg


Doxifin® Tabs 100 mg - Cada comprimido palatável contém:

Doxiciclina base 100 mg

Excipiente q.s.p. 500 mg


Doxifin® Tabs 200 mg - Cada comprimido palatável contém:

Doxiciclina base 200 mg

Excipiente q.s.p. 1000 mg

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

O acompanhamento do médico veterinário durante e após o término do tratamento da erliquiose é necessário para minimizar as chances de recidiva da erliquiose. Porém, deve-se diferenciar a existência de recidivas com a re-infestação pelo contato com carrapatos portadores de E. canis e considerar a prevenção de infestações por carrapatos.

Obedecer ao modo de uso e dosagens preconizadas. Somente o médico veterinário está apto a fazer alterações nas dosagens recomendadas para o uso do produto.

Diferentemente das outras tetraciclinas, a doxiciclina não é nefrotóxica, podendo ser utilizada em pacientes renais e idosos. Em cães e gatos com doenças hepáticas severas, a doxiciclina deve ser usada com cautela.

A neurotoxicidade foi relatada em humanos (hipertensão benigna intracraniana, quando em uso concomitante com a Vitamina A), bem como a possibilidade de agravamento de lúpus sistêmico eritematoso.

Relata-se que as tetraciclinas podem alterar a população normal de microorganismos no sistema digestivo.

Em gatos, pode-se realizar a administração do comprimido juntamente com 5 a 6 mL de água (via seringa) ou com uma porção de alimento, para evitar possíveis eventos adversos relacionados à administração do produto (desenvolvimento de lesões esofágicas).

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco e fresco, ao abrigo da luz solar, entre 5°C e 30°C, fora do alcance de crianças e animais domésticos. Venda sob prescrição e aplicação sob orientação do médico veterinário.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Doxifin Tabs 50 mg, comprimido (14 un)
  • - Doxifin Tabs 100 mg, comprimido (14 un)
  • - Doxifin Tabs 200 mg, comprimido (12 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

DOXIFIN® TABS é um antibiótico à base de doxiciclina em formulação palatável. Pertencente à classe das tetraciclinas, é conhecida por sua boa eficácia contra um amplo espectro de bactérias, especialmente organismos intracelulares. Sua melhor solubilidade lipídica a faz atingir maiores concentrações intracelulares comparada a outras tetraciclinas.

Com ação bacteriostática, DOXIFIN® TABS é indicado para o tratamento de diversas enfermidades que acometem cães e gatos, causadas pelos seguintes agentes etiológicos sensíveis à doxiciclina: Erlichia canis, Bordetella bronchiseptica, Pasteurella multocida tipo A, Arcanobacterium (Corinebacterium) pyogenes e Escherichia coli; tais como: erliquiose, infecções do trato respiratório, gastrintestinal, geniturinário; bem como pele e anexos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não administrar em animais com histórico de hipersensibilidade à doxiciclina.

Não administrar para animais com menos de 30 dias de idade.

EFEITOS ADVERSOS

Estudos clínicos de segurança conduzidos com o produto, na dose indicada, uma vez ao dia por 30 dias em cães e gatos acima de 1 ano de idade, demonstraram que o mesmo é seguro. A segurança do produto não foi avaliada em animais idosos ou em reprodução.

As tetraciclinas quelam o cálcio dos dentes e ossos; incorporam-se nessas estruturas, inibindo a calcificação, podendo causar, por exemplo, a hipoplasia do esmalte dentário, causando uma coloração amarelada e depois amarronzada. Apesar de este efeito quelante ser menor com a doxiciclina, o seu uso para animais em fase de crescimento e em processo de dentição não é recomendado.

Relatos de literatura apontam a ocorrência mais comum de náusea e vômito e em menor escala, reações de hiperssensibilidade e fotossensibilidade. Em gatos há relatos de estreitamento de esôfago, febre e depressão.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar em cadelas prenhes ou em fase de lactação.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

7 dias consecutivos, ou no tratamento da erliquiose por 28 dias consecutivos, ou a critério do médico veterinário.

Doxifin Tabs 50 mg

Recomendado

Cães e Gatos

1 comprimido / 5 kg

calcular

Doxifin Tabs 100 mg

Recomendado

Cães

1 comprimido / 10 kg

calcular

Doxifin Tabs 200 mg

Recomendado

Cães

1 comprimido / 20 kg

calcular

OBSERVAÇÕES

A partição dos comprimidos deve ser realizada apenas ao meio, respeitando-se o sulco presente nos comprimidos.

Ferro, alumínio, cálcio, zinco e manganês diminuem a concentração sérica e biodisponibilidade das tetraciclinas devido à capacidade desta de formar quelatos com íons metálicos. A doxiciclina tem uma afinidade relativamente baixa para íons de cálcio, entretanto se recomenda um intervalo de uma a duas horas antes ou depois da administração de tetraciclinas com estes fármacos.

As tetraciclinas podem diminuir a atividade da protrombina no plasma e animais sob tratamento com anticoagulantes poderão necessitar de um ajuste na dosagem.

A administração concomitante de tetraciclinas com teofilina pode exacerbar os efeitos colaterais sobre o trato gastrintestinal.

A presença de antihistamínicos H2 pode diminuir a absorção das tetraciclinas.

As tetraciclinas não devem ser administradas concomitantemente a penicilinas ou cefalosporinas, uma vez que estas podem ter seu efeito bactericida antagonizado pelas tetraciclinas.

Antiácidos podem reduzir a biodisponibilidade de doxiciclina em cerca de 85%.

Nestes casos, deve-se manter um intervalo de 2 horas ou mais entre a administração destes fármacos.

Os indutores enzimáticos microssômicos, como o fenobarbital e a fenitoína, encurtam as meias-vidas plasmáticas da doxiciclina.

Vitaminas do complexo B, preparações de ferro, antiácidos e caulim diminuem a atividade das tetraciclinas.

Interações medicamentosas

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

As Tetraciclinas podem afetar a hemostasia

Conduta

Ajustar dose

Barbitúricos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Doxiciclina

Conduta

Ajustar dose

Carbamazepina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Doxiciclina

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Digoxina é metabolizada por bactérias do trato gastrointestinal. Tetraciclina pode impedir este processo ao alterar a microbiota intestinal, permitindo que mais Digoxina possa ser absorvida

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Doxiciclina

Conduta

Dobrar dose da Doxiciclina

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam um quelato insolúvel com sais de alumínio, diminuindo a absorção

Conduta

Evitar o uso

Hidróxido de Magnésio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam um quelato insolúveis com sais de magnésio, diminuindo a absorção

Conduta

Evitar o uso

Metoxiflurano

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Toxicidade renal

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Incompatível

Penicilinas

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido das Penicilinas

Mecanismo de Ação

Ação bacteriostática das tetraciclinas pode preservar uma parte dos microorganismos da atividade bactericida da penicilina

Conduta

Incompatível

Sulfato Ferroso

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam quelatos insolúveis com sais de ferro, diminuindo a absorção e os níveis séricos de ambas as subst.

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

As tetraciclinas são antimicrobianos bacteriostáticos de amplo espectro com ação em bactérias Gram-positivas e Gram-negativas, incluindo alguns anaeróbios; para riquetsias, clamídias, micoplasmas e também para alguns protozoários. Sua ação se deve a uma conjunção sobre a subunidade 30S do ribossoma bacteriano, bloqueando a ligação do aminoacil-tRNA ao sítio aceptor no complexo mRNA-ribossoma. Este bloqueio impede efetivamente a adição de novos aminoácidos à cadeia peptídica em crescimento, inibindo a síntese de proteínas das células bacterianas. 

FARMACOCINÉTICA

Cerca de 95% da doxiciclina é absorvida após administração oral e devido a sua alta lipossolubilidade, alcança excelentes níveis de distribuição e penetração na maioria dos líquidos e tecidos orgânicos. Também possui maior capacidade de ligação a proteínas plasmáticas do que outras tetraciclinas, resultando em uma meia-vida prolongada em humanos e animais.

A doxiciclina é eliminada quase que exclusivamente pelas fezes através de rotas não-biliares em uma forma inativa. Sua eliminação será mais lenta, resultando em níveis séricos persistentes.

Diferentemente de outros antimicrobianos de sua classe, a presença de alimento no estômago não interfere na absorção da doxiciclina.

EFEITOS ADVERSOS

Estudos clínicos de segurança conduzidos com o produto, na dose indicada, uma vez ao dia por 30 dias em cães e gatos acima de 1 ano de idade, demonstraram que o mesmo é seguro. A segurança do produto não foi avaliada em animais idosos ou em reprodução.

As tetraciclinas quelam o cálcio dos dentes e ossos; incorporam-se nessas estruturas, inibindo a calcificação, podendo causar, por exemplo, a hipoplasia do esmalte dentário, causando uma coloração amarelada e depois amarronzada. Apesar de este efeito quelante ser menor com a doxiciclina, o seu uso para animais em fase de crescimento e em processo de dentição não é recomendado.

Relatos de literatura apontam a ocorrência mais comum de náusea e vômito e em menor escala, reações de hiperssensibilidade e fotossensibilidade. Em gatos há relatos de estreitamento de esôfago, febre e depressão.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar em cadelas prenhes ou em fase de lactação.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.