Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Levomepromazina

Classificaçāo

Sedativo

Receita

Controle Especial - Humano

Espécies

Cães e Gatos

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Levomepromazina 4%, frasco (20 mL)
  • - Levomepromazina 100 mg, comprimido (20 un)
  • - Levomepromazina 25 mg / 5 mL, ampola (5 mL), caixa com 5
  • - Levomepromazina 25 mg, comprimido (20 un)
  • - Levomepromazina, conta-gotas (20 mL)
  • - Levozine 25 mg, comprimido (20 un)
  • - Levozine 100 mg, comprimido (20 un)
  • - Levozine, conta-gotas (20 mL)
  • - Neozine 25 mg, comprimido (20 un)
  • - Neozine 100 mg, comprimido (20 un)
  • - Neozine 25 mg / 5 mL, ampola (5 mL)
  • - Neozine 4%, frasco (20 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Tranquilizante e analgésico.

EFEITOS ADVERSOS

Sonolência, apatia, excitação paradoxal, hipotermia, diminuição do limiar convulsivo e taquicardia.

Os felinos podem apresentar reações extra-piramidais (tremores musculares, trismo da musculatura mastigatória, ausência de reflexos posturais, letargia, diarréia e perda do tônus do esfíncter anal).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em humanos pode causar letargia em lactentes.

Usar com cautela na gestação.

SUPERDOSAGEM

Possui alto índice terapêutico, sendo bastante seguro para uso.

Doses extemamente altas podem causar complicações sérias e até a morte.

Administração e doses

Via(s)

IM

IV

Videos da(s) via(s)

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

1 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

Não pode ser misturado à soluções alcalinas.

FARMACODINÂMICA

Apresenta efeitos antieméticos sem apresentar efeitos procinéticos. Causa também sedação e hipotensão.

Os fenotiazínicos atuam bloqueando os receptores dopaminérgicos pós-sinápticos, impedindo a resposta aos neurotransmissores endógenos.

Esse bloqueio produz o efeito de catalepsia, o que permite que os membros se posicionem de acordo com o desejado, sem ocorrer movimentação.

Causa também hiperexcreção de prolactina e a diminuição da secreção de TSH, ACTH, LH, FSH e ADH.

FARMACOCINÉTICA

Pode ser absorvida pelo trato gastrointestinal e por via parenteral.

Os fenotiazínicos são distribuídos por diversos tecidos do organismo, encontrados em maior quantidade em fígado, pulmões e encéfalo, e sofrem processos de biotransformação como oxidação, hidroxilação ou conjugação.

Por fim são eliminados tanto pela urina quanto pelas fezes.

EFEITOS ADVERSOS

Sonolência, apatia, excitação paradoxal, hipotermia, diminuição do limiar convulsivo e taquicardia.

Os felinos podem apresentar reações extra-piramidais (tremores musculares, trismo da musculatura mastigatória, ausência de reflexos posturais, letargia, diarréia e perda do tônus do esfíncter anal).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Em humanos pode causar letargia em lactentes.

Usar com cautela na gestação.

SUPERDOSAGEM

Possui alto índice terapêutico, sendo bastante seguro para uso.

Doses extemamente altas podem causar complicações sérias e até a morte.

MONITORAMENTO

Acompanhamento de ritmo cardíaco e respiratório. Avaliação de efeitos sedativos e antieméticos.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

ANDRADE, S. F. e CAMARGO, P. L. Terapêutica do Sistema Digestivo de Pequenos Animais. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica veterinária. 3ª ed. – São Paulo: Roca, 2008.

MASSONE, F. Anestesiologia Veterinária: Farmacologia e Técnicas. 5ª ed. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2008 p.592

SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L. Tranquilizantes, relaxantes musculates de ação central e antidepressivos. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2006.