Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Brometo de Piridostigmina

Classificaçāo

Anticolinesterásico, Antimiastênico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Brometo de Piridostigmina 60 mg, comprimido (20 un)
  • - Brometo de Piridostigmina 60 mg, comprimido (60 un)
  • - Mestinon 60 mg, comprimido (20 un)
  • - Mestinon 60 mg, comprimido (60 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É usado como um antídoto para a intoxicação anticolinérgica e tratamento (antídoto) para bloqueio neuromuscular.

Também é usada como tratamento para miastenia grave, íleo e retenção urinária (como no pós-operatório), aumentando o tônus do músculo liso da bexiga.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não indicado para pacientes com hipersensibilidade conhecida ao princípio ativo.

Pacientes com obstrução urinária, obstrução intestinal, asma ou broncoconstrição, pneumonia e arritmias cardíacas.

EFEITOS ADVERSOS

A piridostigmina apresenta menos efeitos colaterais que a neostigmina. Distúrbios gastrointestinais, miose, bradicardia, fraqueza muscular e constrição dos brônquios e ureteres.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser usada com cautela em pacientes gestantes ou lactantes, pois fetos e recém nascidos são mais sensíveis aos efietos deste relaxante.

SUPERDOSAGEM

A superdose de piridostigmina pode resultar na crise colinérgica, caracterizada por fraqueza muscular progressiva e paralisia dos músculos respiratórios levando à morte

Administração e doses

Via(s)

IM

IV

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8/8 horas ou 12/12 horas - via oral

2/2 horas - IV (miastenia)

Antimiastênico - Cães e Gatos

Oral

0,5 - 3 mg / kg

calcular

IV

0,02 - 0,04 mg / kg

calcular

Antídoto para bloqueio muscular

IM, IV

Cães e Gatos

0,15 - 0,3 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O fármaco inibe a enzima que desdobra a acetilcolina. Portanto, prolonga a ação da acetilcolina na sinapse.

FARMACOCINÉTICA

Os carbamatos quaternários, devido à sua carga elétrica, são pouco absorvidos pela pele, pulmões e conjuntiva, o que exige o uso de maiores doses quando se utiliza a via oral em vez da parenteral.

Os carbamatos se distribuem muito pouco para o sistema nervoso central, são relativamente estáveis em solução aquosa e podem ser metabolizados pela acetilcolinesterase e por esterases inespecíficas.

A eliminação renal se processa principalmente por filtração glomerular e, no caso das aminas quaternárias, também por secreção tubular.

EFEITOS ADVERSOS

A piridostigmina apresenta menos efeitos colaterais que a neostigmina. Distúrbios gastrointestinais, miose, bradicardia, fraqueza muscular e constrição dos brônquios e ureteres.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Deve ser usada com cautela em pacientes gestantes ou lactantes, pois fetos e recém nascidos são mais sensíveis aos efietos deste relaxante.

SUPERDOSAGEM

A superdose de piridostigmina pode resultar na crise colinérgica, caracterizada por fraqueza muscular progressiva e paralisia dos músculos respiratórios levando à morte

MONITORAMENTO

Monitore os efeitos gastrointestinais, bem como a frequência e o ritmo cardíacos.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

KANASHIRO, G. P. Miorrelaxantes de ação central e periférica. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica Veterinária, 3 ed. São Paulo: Editora Roca, 2008

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012

SILVA, P. Colinérgicos e Anticolinérgicos. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.

VITAL, M. A. B. F. Agonistas e antagonistas colinérgicos. In: SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L.; BERNARDI, M. M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 4ª edição, 2006