Sobre

Aviso

Este medicamento pode ser encontrado em apresentações de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Cloridrato de Bromexina

Classificaçāo

Secretolítico, Mucolítico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Utilizado como adjuvante no tratamento de bronquites e penumonias.

Não deve ser utilizado como único medicamento em infecções.

Apresentações e concentrações

Opções veterinárias

Apresentações e concentrações

  • - Cloridrato de Bromexina 4 mg / 5 mL, solução oral (120 mL)
  • - Cloridrato de Bromexina 8 mg / 5 mL, solução oral (120 mL)
  • - Bisolvon Xarope 4 mg / 5 mL, frasco (120 mL)
  • - Bisolvon Xarope 8 mg / 5 mL, frasco (120 mL)
  • - Bisolvon Gotas 2 mg / mL, frasco (50 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Indicado para a terapia secretolítica e expectorante nas afecções broncopulmonares agudas e crônicas associadas à secreção mucosa anormal e transtornos do transporte mucoso.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Evitar em gestantes e lactantes.

EFEITOS ADVERSOS

Pode causar efeitos gastrintestinais leves, mas efeitos adversos não são frequentes.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Dados sobre o uso da bromexina durante gestação e lactação são escassos, sendo preferível evitar seu uso nessas condições.

SUPERDOSAGEM

Nenhum efeito específico foi observado em humanos.

Em sobredose os efeitos adversos são agravados e o tratamento é sintomático.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

A critério do médico veterinário

Cães

Recomendado

Cães

3 - 15 mg / animal

Gatos

Recomendado

Gatos

3 - 6 mg / animal

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O mecanismo de ação da bromexina ainda não é totalmente conhecido. Acredita-se que ela atue nas glândulas brônquicas, liberando enzimas lisossomais das células produtoras de muco, o que ocasionaria a digestão das fibras mucopolissacarídicas (RIZZO e CRUZ, 2010).

Atua na redução da viscosidade das secreções pulmonares e auxilia na atuação de outros medicamentos (como antibióticos) por alterar a permeabilidade da barreira alvéolo-capilar.

FARMACOCINÉTICA

Em humanos é rapidamente absorvida pela via oral, apresentando sua ação cerca de 5 horas após a administração.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode alterar o nível de transaminase sérica, porém não foram comprovados efeitos de toxicidade hepática.

EFEITOS ADVERSOS

Pode causar efeitos gastrintestinais leves, mas efeitos adversos não são frequentes.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Dados sobre o uso da bromexina durante gestação e lactação são escassos, sendo preferível evitar seu uso nessas condições.

SUPERDOSAGEM

Nenhum efeito específico foi observado em humanos.

Em sobredose os efeitos adversos são agravados e o tratamento é sintomático.

MONITORAMENTO

Monitorar a eficácia do medicamento.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

KRÜGER, Renan Marcel. Tosse em cães: revisão de fisiopatologia, métodos diagnósticos e etiologias. 2010.

RIZZO, J. A. e CRUZ, A. A. Drogas Muciativas (Mucolíticos, Expectorantes) e Antitussígenas. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.