Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Furosemida
  • Cloreto de Potássio

Classificaçāo

Diurético de Alça

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Deixe água de qualidade à disposição do animal.

Informe ao médico veterinário sobre o aparecimentos de sinais adversos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Furosemida; Cloreto de Potássio, comprimido, 40 mg furosemida e 100 mg cloreto de potássio
  • - Hidrion, comprimido, 40 mg furosemida e 100 mg cloreto de potássio

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Indicado para tratamento da hipertensão arterial e edemas de origem sistêmica.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Contraindicada em pacientes com anúria ou hipersensíveis à droga.

Cautela em portadores de diabetes mellitus, disfunções hepáticas e doenças que causem desequilíbrio eletrolítico.

EFEITOS ADVERSOS

Desidratação, hipocalemia, azotemia pré-renal, hipocloremia, hiponatremia, hipomagnésia, ototoxicidade, queda do débito cardíaco, colapso circulatório e insuficiência renal.

Gatos estão mais propensos a apresentação de sinais adversos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Cautela no uso em gestação e lactação. A furosemida é excretada no leite.

SUPERDOSAGEM

Em doses altas além de causar ototoxicidade pode causar a redução da função renal.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

8 a 12 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

A critério do médico veterinário

Doses

Recomendado

Cães e Gatos

2 - 4 mg / kg

calcular

Interações medicamentosas

Observações da interação

Antagonismo: Anticoagulantes orais. Sinergismo: antihipertensivos, probenecida. Risco de Hipercalemia quando utilizado juntamento com benazepril, enalapril, indometacina, espironolactona.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A furosemida atua através da inibição da reabsorção de sódio, potássio e cloreto no segmento espesso do ramo ascendente da alça de Henle.

O efeito diurético alcançado leva também ao aumento da concentração urinária destes íons.

O cloreto de potássio suplementa o potássio eventualmente depletado pela ação da furosemida, elevando o seu nível de segurança medicamentosa.

FARMACOCINÉTICA

A furosemida é facilmente absorvida quando administrada oralmente. Também pode ser utilizada pelas vias oral, subcutânea e intravenosa.

Quando utilizada pela via IV auxilia no tratamento de edema pulmonar por apresentar também efeito venodilatador.

Por ser ligar às proteínas plasmáticas logo após a absorção, apenas uma pequena parcela é metabolizada e a maior parte da dose terapêutica é transportada através dos túbulos contornados proximais.

Após administração intravenosa de furosemida, o início da ação ocorre entre 5 e 30 minutos (com duração dos efeitos de 2 a 3 horas) e quando administrada por via oral ocorre em 1 ou 2 horas e seus efeitos duram até 6 horas.

CONSIDERAÇÕES LABORATORIAIS

Pode ocasionar anemia e leucopenia como efeitos adversos.

EFEITOS ADVERSOS

Desidratação, hipocalemia, azotemia pré-renal, hipocloremia, hiponatremia, hipomagnésia, ototoxicidade, queda do débito cardíaco, colapso circulatório e insuficiência renal.

Gatos estão mais propensos a apresentação de sinais adversos.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Cautela no uso em gestação e lactação. A furosemida é excretada no leite.

SUPERDOSAGEM

Em doses altas além de causar ototoxicidade pode causar a redução da função renal.

MONITORAMENTO

Monitorar a hidratação do paciente, se necessário fazer reposição hídrica de maneira lenta para não agravar quados de ICC.

Hipovolemia e distúrbios de eletrólitos também devem ser monitorados durante o tratamento.

Avaliar sinais de ototoxicidade em terapias prolongadas.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

FIORINI, Emiliana Andrades et al. Utilização da furosemida em bolus e em infusão contínua em cães e gatos: revisão de literatura. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 15, n. 1, p. 54-60, 2017.

PEREIRA, J. D. G. et al. Parâmetros eletrocardiográficos e valores séricos e urinários de sódio e potássio em cães tratados com furosemida. Arquivo brasileiro de medicina veterinária e zootecnia, p. 677-684, 1998.

SCHWARTZ, D. S. e MELCHERT, A. Terapêutica do Sistema Cardiovascular em Pequenos Animais. In: ANDRADE, S. F. Manual de terapêutica veterinária. 3ª ed. – São Paulo: Roca, 2008.