Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Ocitocina

Classificaçāo

Hormônio

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Deve ser armazenado em sua embalagem original, em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz e umidade e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Ocitocina
  • - Orastina, frasco-ampola, 10 mL a 10 UI/mL

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É indicada para induzir ou manter o trabalho de parto; em cirurgia é usada após a cesariana para facilitar a involução do útero e a resistÊncia ao grande influxo de sangue. Auxilia nas contrações uterinas durante o parto; na descida do leite e na expulsão da placenta no pós-parto.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser utilizada para facilitar o parto se este puder ocorrer normalmente.

Não administrar em pacientes cuja cérvix não esteja totalmente relaxada.

Não administrar quando o feto apresentar posicionamento anormal.

Não administrar em casos de hipertonia uterina; obstrução das vias fetais; inércia uterina; toxemia e doença cardiovascular.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos colaterais são incomuns se usada com cuidado.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar a animais prenhes, a menos que para indução do trabalho de parto

SUPERDOSAGEM

Doses elevadas causam hipotensão, espasmo uterino, hipertonia, asfixia e morte fetal, ruptura uterina, náuseas, vômitos, arritmias.

Administração e doses

Via(s)

IV

IM

SC

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

30 a 60 minutos em casos de atonia uterina.

Doses

Recomendado

Cães

5 - 20 unidade / animal

Gatos

2,5 - 3 unidade / animal

OBSERVAÇÕES

Em felinos a dose máxima é 3 unidades/animal.

Interações medicamentosas

Observações da interação

Agonistas beta-adrenérgicos inibem a indução do parto.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Atua em dois tipos de receptores: 1 - impede o bloqueio dos canais de cálcio, permitindo a entrada de cálcio extracelular para o meio intracelular; 2 - favorece a produção do inositol 3,4,5, trifosfato (IP3), que libera o cálcio do retículo sarcoplasmático.

A ocupação de ambos os receptores pela ocitocina aumenta o nível citosólico de cálcio, levando à contração uterina.

Possui ainda ação vasodilatadora e antidiurética fraca (OLIVEIRA, 2006).

FARMACOCINÉTICA

A ocitocina é inativada pelo fígado e rins. Estima-se que sua meia-vida seja em torno de 5 a 12 minutos.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos colaterais são incomuns se usada com cuidado.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar a animais prenhes, a menos que para indução do trabalho de parto

SUPERDOSAGEM

Doses elevadas causam hipotensão, espasmo uterino, hipertonia, asfixia e morte fetal, ruptura uterina, náuseas, vômitos, arritmias.

MONITORAMENTO

Monitorar cuidadosamente o stress fetal e progressão do trabalho de parto normal.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

LUCAS, S. S. et al. Piometrite em cães e gatos: revisão de 103 casos. Revista da FZVA Uruguaiana, v. 7/8, n.1, p. 123-131. 2000/2001.

OLIVEIRA, C. M. Medicamentos que atuam na motilidade uterina. In: SPINOSA H. S. et al. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária 5. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

PAPICH, M. G. Manual Saunders de terapia veterinária. 3ª ed. Elsevier, Rio de Janeiro, 2012

WIRTHMANN, R. Cesarianas em cães e gatos: Revisão. Nucleus Animalium, v.6, n.1, 2014 (Supl.)