Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Pseudoefedrina

Classificaçāo

Descongestionante

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

ARMAZENAMENTO

Deve ser mantido em sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C).

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Pseudoefedrina, (este princípio ativo não tem apresentação, pois usualmente é encontrado em compostos, manipulações farmacológicas ou não existe comercialização industrial no Brasil)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É usada em doenças alérgicas das vias aéreas, rinites, prurido e outros processos alérgicos.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

A pseudoefedrina é contraindicada em pacientes com hipertensão arterial grave ou coronariopatia grave, glaucoma de ângulo fechado, retenção urinária, ou naqueles que demonstraram sensibilidade aos agentes adrenérgicos (manifestações incluindo insônia, vertigem, fraqueza, tremor ou arritmia); A pseudoefedrina é contraindicada em pacientes sob tratamento com inibidores da monoaminoxidase (MAO).

A pseudoefedrina deve ser utilizada com cautela em pacientes com diabetes mellitus, hipertensão, doença cardíaca isquêmica, pressão intraocular aumentada, hipertiroidismo, hipertrofia prostática, doença renal e hiperreatividade à efedrina.

EFEITOS ADVERSOS

Em humanos há relatos de estimulação moderada do SNC. Pode ocorrer nervosismo, excitabilidade, agitação, vertigem, fraqueza, insônia, anorexia, náusea ou boca seca. Foram relatados também cefaléia, sonolência, taquicardia, palpitação, hipertensão/ atividade pressora, arritmia cardíaca, colite isquêmica e pustulose exantemática generalizada aguda.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinada a reprodução.

SUPERDOSAGEM

A pseudoefedrina, como outras aminas simpatomiméticas, também pode produzir estimulação do SNC com convulsões ou colapso cardiovascular.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24/24 horas

OBSERVAÇÕES

As doses são derivadas de extrapolações das doses utilizadas em seres humanos ou da experiência empírica.

Não existem estudos disponíveis bem controlados sobre sua eficácia para animais.

Interações medicamentosas

Observações da interação

O uso concomitante de pseudoefedrina com drogas anti-hipertensivas que interferem na atividade simpatomimética (como por exemplo: metildopa, mecamilamina e reserpina) podem reduzir os seus efeitos anti-hipertensivos. O uso concomitante de pseudoefedrina com agentes simpatomiméticos pode provocar efeitos cardiovasculares adicionais.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A pseudoefedrina é uma amina simpatomimética eficaz por via oral como descongestionante da mucosa nasal, com alívio da congestão nasal associada à rinite alérgica. A pseudoefedrina produz efeitos periféricos similares àqueles da efedrina e similares também aos efeitos centrais, porém, em menor intensidade do que as anfetaminas. A pseudoefedrina apresenta potencial para efeitos colaterais excitatórios. Nas doses orais recomendadas, apresenta pouco ou nenhum efeito pressórico em adultos normotensos.

FARMACOCINÉTICA

Em humanos, a meia-vida plasmática da pseudoefedrina é de aproximadamente 4 a 8 horas. A meia-vida de eliminação pode ser diminuída em pH urinário < 6 e pode ser aumentada em pH > 8. Cerca de 43% a 96% da dose administrada é excretada de forma inalterada na urina; o restante é aparentemente metabolizado no fígado.

EFEITOS ADVERSOS

Em humanos há relatos de estimulação moderada do SNC. Pode ocorrer nervosismo, excitabilidade, agitação, vertigem, fraqueza, insônia, anorexia, náusea ou boca seca. Foram relatados também cefaléia, sonolência, taquicardia, palpitação, hipertensão/ atividade pressora, arritmia cardíaca, colite isquêmica e pustulose exantemática generalizada aguda.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usada por fêmeas gestantes, lactantes ou destinada a reprodução.

SUPERDOSAGEM

A pseudoefedrina, como outras aminas simpatomiméticas, também pode produzir estimulação do SNC com convulsões ou colapso cardiovascular.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Este produto ainda não tem distribuidores

Referências Bibliográficas

AVISO: algumas informações foram retiradas da bula do medicamento referência, que consta na base de dados da ANVISA. Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp>

MIZIARA, L. J. Adrenérgicos e Antiadrenérgicos. In: SILVA, P., 1921. Farmacologia/Penildon Silva – 8 ed. [Reimpr.]. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.