Sobre

Aviso

Este medicamento é de uso humano, porém com literatura técnica que baseia seu uso na medicina veterinária. O uso de suas informações é de responsabilidade do médico veterinário.

Princípio(s) Ativo(s)

  • Isetionato de Fenamidina

Classificaçāo

Antiprotozoário

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Este medicamento não deve ser utilizado continuamente, ou sem a orientação do médico veterinário.

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco e fresco, ao abrigo da luz solar, fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Isetionato de Fenamidina

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

É usado em animais para tratamento de patógenos intracelulares transmitidos por carrapatos: Babesia sp.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não deve ser usado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao princípio ativo.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos adversos correlacionados são: diarreia, salivação, tremores musculares e alterações da pressão sanguínea (FERREIRA e PIZARRO,2017).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usado em animais gestantes, lactantes ou destinados à reprodução.

SUPERDOSAGEM

Doses múltiplas, mesmo em níveis terapêuticos, podem causar lesões nervosas graves em cães, e ocasionar casos de degeneração (gordurosa) hepática, renal, do miocárdio e musculatura esquelética.

Administração e doses

Via(s)

IM

SC

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

Dose única ou à critério do médico veterinário.

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

À critério do médico veterinário

(BRANDÃO & HAGIWARA, 2002)

Recomendado

Cães

8 - 13 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Não administrar por via intravenosa.

Interações medicamentosas

Esse produto não contém interações, pois não há referências sobre ou ainda não foi preenchida por nossa equipe técnica.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Inibe o metabolismo energético, levando a paralisia e morte dos parasitas.

FARMACOCINÉTICA

As diamidinas podem se acumular no sistema nervoso central, fígado e rins dos animais vertebrados, porém são bem toleradas em dose única.

EFEITOS ADVERSOS

Efeitos adversos correlacionados são: diarreia, salivação, tremores musculares e alterações da pressão sanguínea (FERREIRA e PIZARRO,2017).

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não deve ser usado em animais gestantes, lactantes ou destinados à reprodução.

SUPERDOSAGEM

Doses múltiplas, mesmo em níveis terapêuticos, podem causar lesões nervosas graves em cães, e ocasionar casos de degeneração (gordurosa) hepática, renal, do miocárdio e musculatura esquelética.

MONITORAMENTO

Monitorar a eficácia do tratamento.

Monitorar função hepática e renal.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

BRANDÃO, L. P.; HAGIWARA, M. K. Babesiose canina-revisão. “Revista clínica veterinária”. Ano VII, n41. São Paulo: Guará, 2002. p.50-59.

FERREIRA, A. J. P. e PIZARRO, L. D. C. Agentes Antiprotozoários. In: SPINOSA, Helenice Souza, GÓRNIAK, Silvana Lima, BERNARDI, Maria Martha. Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária, 6ª edição. Guanabara Koogan, 2017.

LEATCH, G. B. V. Parasitas sanguíneos. In: Manual Merck de veterinária. 8. ed. São Paulo: Editora Roca, 2001. p. 20-23.

MADRIGAL, C. U. Farmacología y manejo de productos veterinarios - princípios básicos. 1. ed. San José, Costa Rica: Editorial Universidad Estatal a Distancia, 2000.