Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Sulfato de Gentamicina

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Aminoglicosídeos)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Cada 100 mL contém:

Gentamicina (Sulfato)* 6,80 g

Veículo q. s. p. 100 mL

*correspondendo à 4,0 g de gentamicina base.

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Venda sob prescrição obrigatória e aplicação sob orientação do Médico Veterinário. Proibido para uso humano.

ARMAZENAMENTO

Conservar a temperatura ambiente (15°C a 30°C), em local seco e ao abrigo da luz solar direta. Manter fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Registro no mapa

Licenciado no Ministério da Agricultura sob n° 8.237 em 24/02/2002.

Responsável técnico

Dra. Vera de Fátima Costa Calixto - CRF/SP n° 11.427.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Gentomicin (Gentamicina 4%) Injetável, frasco-ampola (10 mL)
  • - Gentomicin (Gentamicina 4%) Injetável, frasco-ampola (50 mL)
  • - Gentomicin (Gentamicina 4%) Injetável, frasco-ampola (100 mL)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Gentomicin injetável é indicado para o tratamento de doenças infecciosas causadas por microrganismos sensíveis ao Sulfato de Gentamicina, tais como : Gram-positivos (Staphylococcus sp, Streptococcus sp) e Gram-negativos (Escherichia coli, Proteus sp, Klebsiella sp, Salmonella spp, Aerobacter aerogenes, Neisseria sp, Pseudomonassp), indicado para os seguintes animais:

- Cães: Tratamento de infecções do trato urinário (cistite e nefrite), infecções do trato respiratório (tonsilite, pneumonia e traqueobronquite), infecções da pele e tecidos moles (piodermatite, feridas, lacerações e peritonite), sensíveis ao princípio ativo da formulação.

- Gatos: Tratamento de infecções do trato urinário (cistite e nefrite), infecções do trato respiratório (pneumonite, pneumonia e infecções do trato respiratório superior), infecções da pele e tecidos moles (feridas, lacerações e peritonite), como terapia de suporte para infecções bacterianas secundárias associadas com panleucopenia felina sensíveis à gentamicina.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Esta droga é contraindicada para animais que tenham histórico de reações de sensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula e a outros aminoglicosídeos.

A gentamicina, bem como outros aminoglicosídeos, não deve ser administrado em animais com miastenia grave. A nefrotoxicidade se manifesta mais frequentemente por proteinúria transitória e retenção de nitrogênio não proteico. O tratamento prolongado e/ou altas doses, pode causar necrose tubular aguda.

EFEITOS ADVERSOS

A gentamicina pode prejudicar a função renal, bem como lesar as porções coclear e vestibular do oitavo par de nervos cranianos.

O prejuízo auditivo é máximo em sons médios de alta frequência; entretanto, a lesão vestibular é observada mais frequentemente.

Os pacientes com a função renal prejudicada apresentam maior probabilidade de apresentar distúrbios ototóxicos; assim, devem receber dosagem reduzida (recomenda-se a metade da dose indicada) e o intervalo entre as doses de manutenção deve ser aumentado.

Quando houver a necessidade de aplicação do medicamento em altas dosagens, deve-se fazer um teste de função renal.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A Gentamicina atravessa a placenta e pode induzir lesão renal e ototoxicidade no feto. Não deve ser administrado em animais prenhes, pois pode causar ototoxicidade e nefrotoxicidade ao feto.

SUPERDOSAGEM

A nefrotoxicidade se manifesta mais frequentemente por proteinúria transitória e retenção de nitrogênio não proteico. O tratamento prolongado e/ou altas doses, pode causar necrose tubular aguda. Em caso de superdosagem a droga pode causar toxicidade renal com desenvolvimento de cristalúria e deposição de cristais nos túbulos renais, além de neurotoxicidade e prejuízo auditivo. Portanto, nos casos de tratamento prolongado deverá haver acompanhamento constante dos animais.

Administração e doses

Via(s)

IV

IM

IV

SC

IM

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

- 12 / 12 horas (primeiro dia)

- 24 / 24 horas (dias subsequentes)

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

4-6 dias. Após este período, recomenda-se reavaliar o tratamento.

Gentomicin (Gentamicina 4%)

Cães

Cães

2 - 4,4 mg / kg

calcular

Gentomicin (Gentamicina 4%); SC

Gatos

Gatos

2,5 mg / kg

calcular

Gentomicin (Gentamicina 4%); IM, IV

Gatos

Gatos

2,4 - 4,4 mg / animal

Interações medicamentosas

Ampicilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Inativação da ampicilina

Mecanismo de Ação

Inativação química

Conduta

Incompatível

Besilato de Atracúrio

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Depressão respiratória prolongada

Mecanismo de Ação

Possível sinergismo farmacológico

Conduta

Incompatível

Brometo de Rocurônio

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terpêutico aumentado do brometo de rocurônio

Mecanismo de Ação

Sinergismo farmacológico

Conduta

Ajustar dose

Carboplatina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito nefrotóxico dos aminoglicosídeos

Conduta

Evitar o uso

Cefalosporinas

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da nefrotoxicidade

Conduta

Evitar o uso

Ciclosporina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Nefrotoxicidade

Mecanismo de Ação

Efeito aditivo ou nefrotoxicidade sinérgica

Conduta

Evitar o uso

Cisplatina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da toxicidade dos Aminoglicosídeos

Conduta

Evitar o uso

Citarabina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuído da Citarabina

Conduta

Ajustar dose

Cloreto de Succinilcolina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Succinilcolina

Mecanismo de Ação

Possível sinergismo farmacológico

Conduta

Evitar o uso

Cloridrato de Vancomicina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da nefrotoxicidade

Mecanismo de Ação

Toxicidade combinada

Conduta

Evitar o uso

Cloxacilina Benzatina

Conduta

Incompatível

Colistina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Nefrotoxicidade

Conduta

Evitar o uso

Furosemida

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Ototoxicidade grave

Mecanismo de Ação

Toxicidade auditiva sinérgica entre as drogas envolvidas

Conduta

Incompatível

Indometacina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Gentamicina

Mecanismo de Ação

Os antiinflamatórios podem reduzir a taxe de filtração glomerular e levar ao acúmulo de aminoglicosídeos

Conduta

Evitar o uso

Neostigmina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuído da Neostigmina

Conduta

Ajustar dose

Penicilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido dos Aminoglicosídeos

Mecanismo de Ação

Inativação química

Conduta

Administrar em local diferente e com intervalo

Succinilcolina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Succinilcolina

Mecanismo de Ação

Possível sinergismo farmacológico

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

COMPATIBILIDADE

A Gentamicina pode interagir com inúmeras drogas: ela pode causar paralisia neuromuscular e acentuar a ação de drogas bloqueadoras neuromusculares, anestésicas gerais e as propriedades relaxantes musculares do magnésio. A Gentamicina também precipita a heparina. A inativação da carbenicilina pela Gentamicina se toma significativa quando o fluxo urinário está prejudicado. Alguns diuréticos como as tiazidas, furosemida e ácido etacrínico, podem potencializar os efeitos ototóxicos desse antibiótico.

O maior suprimento sanguíneo é capaz de facilitar a captação.

FARMACODINÂMICA

O sulfato de Gentamicina é um antibiótico bactericida, do grupo dos aminoglicosídeos, muito estável em solução. É obtido de culturas de Micromonospora putpurea indicado para o tratamento e controle das doenças infecciosas dos animais causadas por bactérias sensíveis ao Sulfato de Gentamicina. Gentomicin injetável é eficaz contra muitos microrganismos Gram-positivos (Streptococcus sp, Staphylococcus sp) e Gram-negativos (Escherichia coli, Proteus sp, Klebsiella sp, Salmonella sp, Aerobacter aerogenes, Neisseria, Pseudomas sp). A Gentamicina é ativa contra Enterobacter aerogenes, Escherichia coli e Klebsiella pneumonias, espécies de Proteus indol-positivas e indol-negativas, Pseudomonas aeruginosa, algumas espécies de Sentia não-pigmentada e muitas espécies de Salmonella e Shigella.

A Gentamicina penetra através da membrana celular da bactéria, particularmente, por transporte ativo. Dentro da célula se liga a subunidade 30S (e em menor proporção à subunidade 505) do ribossomo bacteriano, inibindo a síntese proteica e gerando erro na transcrição do código genético. Isso resulta em uma leitura errônea do RNA mensageiro e, consequentemente, na produção de proteínas defeituosas. Um regime de tratamento especial pode combinar Gentamicina e Penicilina.

FARMACOCINÉTICA

O Sulfato de Gentamicina é pouco absorvido por via gastrintestinal ou por administração intrauterina, porém é rapidamente absorvido por via intramuscular. A biodisponibilidade da injeção extravascular (intramuscular ou subcutânea) é maior que 90%.

Tem sido reportada absorção sistêmica de Gentamicina e de outros aminoglicosídeos após uso tópico em peles e queimaduras seguindo instilação e irrigação de feridas, cavidades corpóreas e articulações. Uma hora após a aplicação das doses recomendadas, a Gentamicina alcança níveis séricos bactericidas que se mantém de seis a doze horas.

A Gentamicina apresenta baixos níveis de ligação às proteínas séricas (<30%) e são liberadas à medida que a droga é excretada através dos glomérulos. Atravessa a barreira placentária. A Gentanicina produz concentrações máximas de 30 a 60 minutos após administração intramuscular.

Nenhuma diferença envolvendo a disposição da gentamicina foi notada em animais sadios ou doentes. A meia-vida de eliminação para gatos que receberam 2,5 mg/kg foi de aproximamente 10 horas; no cão foi de 60,9 minutos, o volume de distribuição foi de 353 L/100kg e a depuração corpórea, 4,1 mL/min/kg. Pacientes com função renal diminuída podem ter suas meias-vidas prolongadas. As recomendações para uso humano de gentamicina estabelecem que os picos séricos de concentração não devem exceder 10pg/mL e os valores mínimos não devem ser menores do que 2 pg/mL por período maior do que 10 dias. Os volumes de distribuição relatados são de 0,15-0,30 L/kg em cães e gatos adultos.

Volumes de distribuição podem ser ligeiramente maiores em neonatos e em animais jovens devido a suas altas frações de fluídos extracelulares.

A Gentamicina é eliminada principalmente por filtração glomerular. 50 a 60% de uma dose são excretados sem sofrer modificações no prazo de 24 horas. Altas concentrações da forma ativa são encontradas na urina (50-100% da Gentamicina é excretada pela urina). Uma pequena quantidade é excretada na bile.

As concentrações de Gentamicina no soro servem como guia útil no estabelecimento de níveis terapêuticos eficientes. As concentrações sanguíneas terapêuticas estão geralmente na faixa de 5 a 7 ug/mL, ao passo que as concentrações séricos em excesso de 12 pg/mL são perigosas.

A farmacocinética dos aminoglicosídeos é afetada por muitos fatores, por causa das relativamente pequenas diferenças entre concentrações terapêuticas e concentrações tóxicas, reforçando a necessidade de monitoramento.

A absorção intramuscular pode ser reduzida em pacientes críticos, especialmente em condições que reduzam a perfusão como um choque. As concentrações de plasma podem também ser reduzidas em pacientes com condições na qual haja a expansão do volume do fluído extracelular ou aumento da depuração renal (incluindo ascites, cirroses, falhas cardiológicas, queimaduras, fibrosa cística e leucemia). Dano renal ou redução da depuração renal por muitas razões (por exemplo, em neonatos com função renal imatura, ou no idoso em que a função glomerular declina com a idade) podem resultar em um aumento das concentrações de plasma e/ou meia-vida prolongada.

EFEITOS ADVERSOS

A gentamicina pode prejudicar a função renal, bem como lesar as porções coclear e vestibular do oitavo par de nervos cranianos.

O prejuízo auditivo é máximo em sons médios de alta frequência; entretanto, a lesão vestibular é observada mais frequentemente.

Os pacientes com a função renal prejudicada apresentam maior probabilidade de apresentar distúrbios ototóxicos; assim, devem receber dosagem reduzida (recomenda-se a metade da dose indicada) e o intervalo entre as doses de manutenção deve ser aumentado.

Quando houver a necessidade de aplicação do medicamento em altas dosagens, deve-se fazer um teste de função renal.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

A Gentamicina atravessa a placenta e pode induzir lesão renal e ototoxicidade no feto. Não deve ser administrado em animais prenhes, pois pode causar ototoxicidade e nefrotoxicidade ao feto.

SUPERDOSAGEM

A nefrotoxicidade se manifesta mais frequentemente por proteinúria transitória e retenção de nitrogênio não proteico. O tratamento prolongado e/ou altas doses, pode causar necrose tubular aguda. Em caso de superdosagem a droga pode causar toxicidade renal com desenvolvimento de cristalúria e deposição de cristais nos túbulos renais, além de neurotoxicidade e prejuízo auditivo. Portanto, nos casos de tratamento prolongado deverá haver acompanhamento constante dos animais.

MONITORAMENTO

Quando se tratam infecções urinárias, é válido alcalinizar a urina, porque o antibiótico é mais eficiente em meio alcalino. A terapia com Gentamicina para infecções renais, sempre deve ser acompanhada de rigoroso monitoramento renal, especialmente em animais jovens. Alterações na dosagem podem ser feitas a critério do Médico Veterinário.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Distribuidores

Distribuidores Syntec

Syntec

E-MAIL

sac@syntecvet.com.br

TELEFONE

(11) 4702-5425

CONTATO(S)

Marcello Cabrera

REGIÕES ATENDIDAS

Todo o Brasil

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.