Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Diazepam 5 mg
  • Difenilhidantoína Sódica 100 mg

Classificaçāo

Anticonvulsivante

Receita

Controle Especial - Veterinário

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido de 300 mg contém:

Diazepam 5,00 mg

Difenilhidantoína Sódica 100,00 mg

Excipiente q.s.p. 300,00 mg

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco e fresco, a temperatura entre 4°C e 35°C e ao abrigo da luz solar direta.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Episol, comprimido (18 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Controle de convulsões ou acessos epiléticos de origem central em cães e gatos. Ação sedativa e controle das seguintes afecções: hiperexcitabilidade, neuroses, hipersexualidade, problemas observados pelo transporte em automóvel ou viagens prolongadas, modificações bruscas do habitat, sedação pré e pós-cirúrgicas.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não administrar outros depressores do SNC paralelamente, a menos que não se obtenha resposta esperada com esse produto.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 / 12 horas

Canino - Cães

Convulsão ou Epilepsia

1 comprimido / 10 kg

calcular

Sedativo

0,5 - 1 comprimido / 10 kg

calcular

Felino - Gatos

Convulsão

0,5 comprimido / 5 kg

calcular

Sedativo

0,5 - 1 comprimido / 5 kg

calcular

OBSERVAÇÕES

1) Controle de convulsões ou acessos epiléticos de origem central, em cães:

a) Terapia profilática anti-convulsiva na Moléstia de Carré ou Mucosidade Canina: indica-se nesses casos uma dose inicial de 1 comprimido para cada 10 kg de peso corpóreo, por dia, dividida em 2 tomadas diárias durante 30 dias. Em seguida, administra-se 1 comprimido para cada 20 kg de peso corpóreo, por dia, também dividida em 2 tomadas diárias nos 30 dias subseqüentes. Se no decorrer do tratamento apresentarem-se descargas de focos epileptogênicos, indica-se manter a dose inicial adaptando logo a terapia de manutenção, de acordo com a resposta do paciente e a evolução do processo, por um período de 3 a 6 meses. O Médico Veterinário deverá controlar periodicamente o paciente e advertir seu proprietário de que a suspensão ou administração incorreta do medicamento, sem que o paciente obtenha alta, implicará na ineficácia do tratamento.

b) Epilepsia: para o controle das convulsões provocadas pela epilepsia, desde que ela seja de origem idiopática adquirida (traumas, seqüelas da moléstia de Carré, etc). A dose recomendada para esses casos é de ½ a 1 comprimido para cada 10 kg de peso corporal, por dia, dividida em 2 tomadas diárias durante os primeiros 20 dias, acertando logo a dose de manutenção adaptada a resposta clínica do paciente.


2) Por sua ação sedativa e neuroreguladora, EPISOL é indicado para o controle das seguintes afecções: Hiperexcitabilidade, neuroses, hipersexualidade, alterações imprevistas do meio ambiente, problemas observados pelo transporte em automóvel ou viagens prolongadas, modificações bruscas do habitat, sedação pré e pós-cirúrgicas, etc. Durante a lactação, EPISOL tem se mostrado como um preventivo eficaz do fator “stress” de origem central, que provoca a eclâmpsia nas cadelas. A dose recomendada para esses casos varia de ½ a 1 comprimido diário para cada 10 kg de peso corpóreo, dividida em 2 tomadas.


3) EPISOL pode ser usado em gatos, como medicação sedativa: fêmeas no cio; para facilitar o transporte e exames clínicos; sedação pré e pós cirúrgica; viagens longas, etc, ou como anticonvulsivo. A dose é de ½ a 1 comprimido para cada 5 kg de peso corpóreo, dividida em 2 tomadas diárias para efeito sedativo. Para tratamento anti-convulsivo, a dose é de ½ comprimido para cada 5 kg de peso corpóreo.


NOTA: As doses indicadas são de orientação. Elas variam de acordo com a afecção a ser tratada e a resposta individual do paciente. Devem ser determinadas pelo Médico Veterinário que fará o controle do paciente periodicamente.

Interações medicamentosas

Buprenorfina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Depressão respiratória prolongada

Mecanismo de Ação

Os efeitos de opióides e benzodiazepínicos são sinérgicos

Conduta

Incompatível

Cimetidina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Diazepam, incluse a sedação

Mecanismo de Ação

Inibição das enzimas envolvidas no metabolismo oxidativo hepático do Diazepam

Conduta

Ajustar dose

Cisaprida

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico com início de ação mais rápida

Mecanismo de Ação

Aumento da motilidade gastrointestinal causada pela Cisaprida leva ao aumento da velocidade da absorção do Diazepam

Conduta

Tratamento com doses múltiplas resolve o problema

Cloridrato de Atipamezol

Grau de Interação

Moderado

Conduta

Incompatível

Fentanil

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado do Fentanil

Mecanismo de Ação

-

Conduta

Ajustar dose

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido ou uma demora no efeito sedativo dos Benzodiazepínicos

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Levodopa

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Levodopa

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Ajustar dose

Maropitant

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de uma das subst.

Mecanismo de Ação

Competição por canais de cálcio

Conduta

Evitar o uso

Melatonina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito sedativo dos Benzodiazepínicos

Mecanismo de Ação

-

Conduta

Evitar o uso

Metadona

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Depressão respiratória

Mecanismo de Ação

Os efeitos de opióides e benzodiazepínicos são sinérgicos

Conduta

Incompatível

Mirtazapina

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento do efeito sedativo dos Benzodiazepínicos

Mecanismo de Ação

-

Conduta

Ajustar dose

Teofilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Diminuição dos efeitos sedativos do Diazepam

Mecanismo de Ação

Ligação competitiva aos receptores cerebrais de adenosina

Conduta

Ajustar dose

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

Este produto ainda não tem informações de Farmacologia.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.