Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Firocoxib

Classificaçāo

Anti-inflamatório Não Esteroidal (AINE)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

COMPOSIÇÃO

Previcox 57 mg - Cada comprimido contém:

Firocoxib 57 mg


Previcox 227 mg - Cada comprimido contém:

Firocoxib 227 mg


Lista de excipientes: Lactose monohidratada, Celulose microcristalina, Sabor a nogueira fumada, Hidroxipropil celulose, Croscarmelose sódica, Estearato de magnésio, Caramelo, Dióxido de silicone coloidal, Óxidos de ferro.

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Lavar as mãos depois de administrar o medicamento veterinário.

Em caso de ingestão acidental, dirija-se imediatamente a um médico e mostre-lhe o folheto informativo ou o rótulo.

Repor os comprimidos seccionados no blister e longe do alcance das crianças.

ARMAZENAMENTO

Não conservar acima de 30°C. Conservar na embalagem de origem.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Previcox 57 mg, comprimido (10 un)
  • - Previcox 227 mg, comprimido (10 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Para o alívio da dor e inflamação associadas à osteoartrite, em cães. Para o alívio da dor e inflamação pós-operatória associada à cirurgia de tecidos moles, ortopédica e

dentária, em cães

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não administrar a animais com menos de 10 semanas de idade ou menos de 3 Kg de peso corporal.

Não administrar a animais que sofram de hemorragias gastro-intestinais, discrasia sanguínea ou

perturbações hemorrágicas.

Não administrar em simultâneo com corticosteróides ou outros medicamentos anti-inflamatórios não

esteróides (AINEs).

EFEITOS ADVERSOS

Foram relatados, em casos muito raros, distúrbios renais e/ou hepáticos em cães, após a administração da dose recomendada de tratamento. É possível que uma parte destes casos tenham tido associada uma doença subclínica renal ou hepática, prévia ao início da terapia. Por conseguinte, recomenda-se a realização de testes de laboratório apropriados para estabelecer parâmetros bioquímicos renais ou hepáticos de referência, prévia e periodicamente, durante a administração.

No caso de reações adversas, tais como vômitos, diarreia repetida, sangue oculto nas fezes, súbita perda de peso, anorexia, letargia, degradação dos parâmetros bioquímicos hepáticos ou renais, a administração do medicamento veterinário deve ser interrompida e deve ser consultado o médico veterinário. Como com outros AINEs, podem ocorrer efeitos adversos que, em casos muito raros, podem ser fatais.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar a cadelas gestantes ou lactantes. Os estudos de laboratório efetuados em coelhos revelaram a ocorrência de efeitos fetotóxicos e maternotóxicos, em doses aproximadas à dose de tratamento recomendada para cães.

SUPERDOSAGEM

Em cães com 10 semanas de idade, no início do tratamento, com doses iguais ou superiores a 25 mg/Kg/dia (5 vezes a dose recomendada), durante três meses, foram observados os seguintes sintomas de toxicidade: perda de peso corporal, falta de apetite, alterações hepáticas (acumulação de lípidos), cérebro (vacuolização), duodeno (úlceras) e morte. Em doses iguais ou superiores a 15 mg/Kg/dia (3 vezes a dose recomendada), durante seis meses, foram observados sinais clínicos similares, embora a severidade e frequência fossem menores e as úlceras duodenais estivessem ausentes.

Nestes estudos de segurança com a espécie- alvo, os sinais clínicos de toxicidade foram reversíveis

em alguns cães a seguir à interrupção do tratamento.

Em cães com 7 meses de idade, no início do tratamento, com doses superiores ou iguais a 25 mg/Kg/dia (5 vezes a dose recomendada), durante seis meses, foram observados efeitos adversos gastrointestinais,por exemplo vômitos. Não foram efectuados estudos de sobredosagem em animais com idade superior a 14 meses. Se forem observados sinais clínicos de sobredosagem, interromper o tratamento.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

24 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

Para alívio da dor e inflamação pós-operatória: 3 dias. Após cirurgia ortopédica e dependendo da resposta observada, pode-se continuar o tratamento diário,

após os três primeiros dias, segundo decisão do médico veterinário responsável.

Para o tratamento da osteoartrite: Como os estudos de campo foram limitados a 90 dias, o tratamento a longo prazo deve ser cuidadosamente avaliado, e monitorizado regularmente sob supervisão do médico veterinário.

Doses

Recomendado

Cães

5 mg / kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Os comprimidos podem ser administrados com ou sem alimento.

Interações medicamentosas

Observações da interação

O tratamento anterior com outras substâncias anti-inflamatórias, pode resultar em efeitos adversos aumentados ou adicionais. Deve, portanto, ser observado um período sem tratamento, com estes medicamentos, durante, pelo menos, 24 horas antes do início de tratamento com o medicamento veterinário. O período sem tratamento, deve, contudo, tomar em conta as propriedades farmacocinéticas dos medicamentos previamente administrados. O medicamento veterinário não deve ser administrado em simultâneo com outros AINEs ou glucocorticosteróides. A ulceração gastrointestinal pode ser exacerbada pelos corticosteróides em animais que tenham recebido medicamentos anti-inflamatórios não esteróides.

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

O Firocoxib é um anti-inflamatório não esteróide (AINE) pertencente ao grupo dos Coxibes, que actua por inibição selectiva da síntese da prostaglandina mediada pela cicloxigenase-2 (COX-2). A cicloxigenase é responsável pela produção das prostaglandinas. A COX-2 é a forma isomorfa da enzima que tem demonstrado ser induzida por estímulos pro-inflamatórios e que tem sido postulada como sendo a responsável primária pela síntese dos mediadores prostanóides da dor, inflamação e febre. Os Coxibes apresentam, portanto, propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antipiréticas. Pensa-se, também, que a COX-2 esteja envolvida na ovulação, implantação e fecho do canal arterial e em funções do sistema nervoso central (indução da febre, percepção da dor e função cognitiva). Em doseamentos de sangue total canino, in vitro, o Firocoxib apresenta uma selectividade, para a COX-2, aproximadamente 380 vezes maior que para a COX-1. A concentração de Firocoxib requerida para inibir 50 % da enzima COX-2 (i.e., a CI50) é 0,16 (± 0,05) µM, enquanto que a CI50 para a COX-1 é 56 (± 7) µM.

FARMACOCINÉTICA

Após administração oral em cães, na dose recomendada de 5 mg por Kg de peso corporal, o Firocoxib é rapidamente absorvido e o tempo de concentração máxima (Tmáx) é 1,25 (± 0,85) horas. O pico de concentração (Cmáx) é 0,52 (± 0,22) µg/ml (equivalente a aproximadamente 1,5 µM), a área sob a curva (AUC 0-24) é 4,63 (± 1,91) µg. xhr/ml e a biodisponibilidade oral é 36,9 % (± 20,4). A semivida de eliminação (t1/2) é 7,59 ± 1,53) horas. O Firocoxib está aproximadamente 96 % ligado às proteínas plasmáticas. Após administrações orais múltiplas, alcança-se o volume “steady-state”, por volta da terceira dose diária. O Firocoxib é, predominantemente, metabolisado por desalquilação e glucoronidação no fígado. A eliminação é feita, principalmente, pela bílis e no tracto intestinal.

EFEITOS ADVERSOS

Foram relatados, em casos muito raros, distúrbios renais e/ou hepáticos em cães, após a administração da dose recomendada de tratamento. É possível que uma parte destes casos tenham tido associada uma doença subclínica renal ou hepática, prévia ao início da terapia. Por conseguinte, recomenda-se a realização de testes de laboratório apropriados para estabelecer parâmetros bioquímicos renais ou hepáticos de referência, prévia e periodicamente, durante a administração.

No caso de reações adversas, tais como vômitos, diarreia repetida, sangue oculto nas fezes, súbita perda de peso, anorexia, letargia, degradação dos parâmetros bioquímicos hepáticos ou renais, a administração do medicamento veterinário deve ser interrompida e deve ser consultado o médico veterinário. Como com outros AINEs, podem ocorrer efeitos adversos que, em casos muito raros, podem ser fatais.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Não administrar a cadelas gestantes ou lactantes. Os estudos de laboratório efetuados em coelhos revelaram a ocorrência de efeitos fetotóxicos e maternotóxicos, em doses aproximadas à dose de tratamento recomendada para cães.

SUPERDOSAGEM

Em cães com 10 semanas de idade, no início do tratamento, com doses iguais ou superiores a 25 mg/Kg/dia (5 vezes a dose recomendada), durante três meses, foram observados os seguintes sintomas de toxicidade: perda de peso corporal, falta de apetite, alterações hepáticas (acumulação de lípidos), cérebro (vacuolização), duodeno (úlceras) e morte. Em doses iguais ou superiores a 15 mg/Kg/dia (3 vezes a dose recomendada), durante seis meses, foram observados sinais clínicos similares, embora a severidade e frequência fossem menores e as úlceras duodenais estivessem ausentes.

Nestes estudos de segurança com a espécie- alvo, os sinais clínicos de toxicidade foram reversíveis

em alguns cães a seguir à interrupção do tratamento.

Em cães com 7 meses de idade, no início do tratamento, com doses superiores ou iguais a 25 mg/Kg/dia (5 vezes a dose recomendada), durante seis meses, foram observados efeitos adversos gastrointestinais,por exemplo vômitos. Não foram efectuados estudos de sobredosagem em animais com idade superior a 14 meses. Se forem observados sinais clínicos de sobredosagem, interromper o tratamento.

MONITORAMENTO

A administração a animais muito jovens ou animais com deficiência da função renal, cardíaca ou hepática suspeita ou confirmada, pode envolver risco adicional. Se esta administração não puder ser evitada, estes cães requerem monitorização cuidadosa pelo médico veterinário. Administrar o medicamento veterinário sob monitorização estrita do médico veterinário, nos casos em que haja risco de hemorragia gastrointestinal, ou se o animal desencadeou, previamente, intolerância aos AINEs.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.