Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Sulfato de Gentamicina
  • Valerato de Betametasona
  • Miconazol

Classificaçāo

Otológico, Antibiótico, Antifúngico

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães

COMPOSIÇÃO

Cada 100 g contém:

Gentamicina (sulfato) 300,00 mg

Betametasona (valerato) 122,00 mg

Miconazol 1.000,00 mg

Excipiente q.s.p. 100,00 g

INFORMAÇÕES AO CLIENTE

Obedecer ao modo de uso e dosagens preconizadas. Não utilizar o medicamento com a data de validade vencida

ARMAZENAMENTO

Conservar o produto na embalagem original, em local seco e fresco, entre 15°C e 30°C, ao abrigo da luz solar direta e fora do alcance de crianças e animais domésticos.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Aurigen, pomada (15 g)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Aurigen é um agente antibacteriano, antifúngico e anti-inflamatório de uso otológico indicado no tratamento de otites agudas e/ou crônicas causadas pelos seguintes fungos e bactérias que acometem os cães: Staphylococcus aureus, Arcanobacterium pyogenes, Proteus mirabilis, Proteus vulgaris, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus pyogenes, Escherichia coli, Microsporum canis, Mallassezia pachydermatis, Trichophyton rubrum, Trichophyton mentagrophytes, Candida albicans.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não administrar em animais com histórico de hipersensibilidade aos componentes da formulação. Utilizar com cautela em pacientes que apresentarem doença renal preexistente, neonatos ou pacientes geriátricos e animais diabéticos.

EFEITOS ADVERSOS

Estudos clínicos de segurança conduzidos com o produto demonstraram que o mesmo é seguro nas dosagens indicadas. Entretanto relatos de literatura apontam a ocorrência de reações adversas. O uso de antibióticos aminoglicosídeos, dentre eles a gentamicina, pode acarretar nefrotoxicidade e ototoxicidade. Os aminoglicosídeos podem causar bloqueio neuromuscular, edema facial neuropatia periférica e reações de hipersensibilidade. Raramente sinais clínicos gastrointestinais, efeitos hepáticos e hematológicos são registrados. Pode ocorrer ototoxicidade em tratamentos prolongados, porém, a reversão desses quadros geralmente ocorre após a suspensção do tratamento.

Irritação causada por eritema, prurido e ocasionalmente exsudação podem raramente ser vistas com o uso do miconazol. É raro a ocorrência de reação adversa na aplicação tópica de miconazol, entretanto podem ocorrer queimação, prurido e irritação após aplicação tópica.

A via tópica é útil em determinadas situações em que há necessidade de obter altas concentrações de corticoides em uma área restrita, com o mínimo de efietos colaterais. Por outro lado, sendo os glicocorticoides permeáveis a barreira cutânea, podem levar a supressão do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e ao aparecimento de efeitos adversos, qunado utilizados cronicamente, em áreas extensas ou que apresentam solução de continuidade. Os efeitos adversos provenientes do uso sistêmico de corticosteroides incluem polifagia, polidipsia/poliúria, supressão do eixo- hipotálamo-pituitária-adrenal, ulceração gastrointestinal, hepatopatia, diabetes,hiperlipidemia, diminuição do hormônio tiroidiano, diminuição da síntese proteica, prejuízo na cicatrização de feridas e imunossupressão.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Utilizar com cautela em pacientes gestantes.

Administração e doses

Via(s)

Tópica

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

7 a 9 dias consecutivos ou a critério do Médico Veterinário. O tratamento deve ser continuado por até 48 horas após o desaparecimento do quadro clínico

Doses

Recomendado

Cães

4 - 8 gota / ouvido

OBSERVAÇÕES

Cães com até 15 Kg de peso: 4 gotas; Cães com 15 Kg de peso ou mais: 8 gotas.

Antes da aplicação do produto, recomenda-se a limpeza total do ouvido externo, removendo todas as sujidades e corpos estranhos, utilizando um produto específico. Após a aplicação de Aurigen, deve-se massagear o local cuidadosamente para que haja uma boa distribuição do produto no ouvido externo.

A administração de Aurigen após o sétimo dia de tratamento deve ser supervisionada, pois o uso excessivo do produto pode retardar as cicatrizações das lesões oriundas da otite.

Preparações de betametasona são geralmente bem toleradas, mas a possível supressão do sistema imune aumenta a susceptibilidade do pacientes à infecção.

Interações medicamentosas

Anfotericina B

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da ototoxicidade

Conduta

Incompatível

Carbenicilina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Inativação da Gentamicina

Conduta

Evitar o uso

Furosemida

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Aumento da nefrotoxicidade

Conduta

Incompatível

Relaxantes neuromusculares

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos Relaxantes Neuromusculares

Conduta

Incompatível

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

A gentamicina é um antimicrobiano constituinte da classe de compostos aminoglicosídeos que exercem a sua ação bacteriana pela ligação irreversível a uma ou mais proteínas receptoras na subunidade 30S do ribossomo bacteriano, interferindo em vários mecanismos de translação do RNA mensageiro causando a terminação prematura da cadeia ou provocando a incorporação de um aminoácido incorreto no produto proteico.

O miconazol é um composto azólico que exerce seu efeito antifúngico na membrana celular do fungo por inibir a síntese do ergosterol-esterol primário da membrana celular fúngica. A inibição de uma série de processos resulta na incapacidade de desmetilar os esteróis C14-metil e de reduzir a síntese do ergosterol.

O mecanismo clássico de ação hormonal esteroide, dentre eles a betametasona, começa com a permeação na membrana do esteroide e ligação subsequente aos receptores citossólicos. Essas proteínas provavelmente se originam de núcleos, mas em seguida migram para o citossol quando glicocorticoides estão presentes. Na ligação, uma proteina conhecida como proteína de “choque térmico” é liberada e pode desempenha um papel nas ações do hormônio. O complexo hormônio-receptor é então transportado para o núcleo, onde se liga aos elementos de resposta glicocorticoides (ERG) em vários genes e alteram sua expressão. O hormônio facilita a ligação da proteina receptora ao DNA. Em determinados tecidos, outras proteínas também devem ligar-se ao gene para permitir a expressão dos ERG particulares. A maioria das ações mediadas nuclearmente possui o início dos efeitos farmacológicos dos esteroides,requerendo no mínimo várias horas pra ocorrer. Os efeitos anti-inflamatórios são mediados por ligação direta do glicocorticoide ou do complexo glicocorticoide-receptor aos ERG na região promotora dos genes, ou por uma interação desse complexo com outros fatores de transcrição. Os glicocorticoides inibem muitas moléculas associadas à inflamação, como as citocinas, quimicinas, metabólitos do ácido aracdônico e moléculas de aderência.

FARMACOCINÉTICA

Quando os antibióticos são usados topicamente na terapia otológica, as concentrações atingidas no canal auditivo são maiores que na terapia sistêmica, frequentemente uma bactéria considerada resistente, pode ser sensível a estas altas concentrações. A eficácia de gentamicina, assim como qualquer combinação de antibióticos contendo aminoglicosídeo aplicada no canal auditivo, será maior após a limpeza da área acometida, eliminando-se o exsudato antes da aplicação. O miconazol é mais comumente usado por via tópica e, raramente por via intravenosa, sendo esta via restrita pra o tratamento de infecções sistêmicas graves. A via parenteral apresenta ainda como desvantagem o curto tempo de meia-vida plasmática devendo ser administrado a cada 8 horas. Os corticoides podem ser bem absorvidos em sítios locais de aplicação. A via tópica é útil em determinadas situações em que há necessidade obter altas concentrações de corticoides em uma área restrita, com o mínimo de efeitos colaterais. Entretanto, quando administrado no canal auditivo, pode ser absorvido em quantidade suficiente pra causar efeitos sistêmicos, de modo que tratamentos longos com essa droga devem ser considerados com cautela.

EFEITOS ADVERSOS

Estudos clínicos de segurança conduzidos com o produto demonstraram que o mesmo é seguro nas dosagens indicadas. Entretanto relatos de literatura apontam a ocorrência de reações adversas. O uso de antibióticos aminoglicosídeos, dentre eles a gentamicina, pode acarretar nefrotoxicidade e ototoxicidade. Os aminoglicosídeos podem causar bloqueio neuromuscular, edema facial neuropatia periférica e reações de hipersensibilidade. Raramente sinais clínicos gastrointestinais, efeitos hepáticos e hematológicos são registrados. Pode ocorrer ototoxicidade em tratamentos prolongados, porém, a reversão desses quadros geralmente ocorre após a suspensção do tratamento.

Irritação causada por eritema, prurido e ocasionalmente exsudação podem raramente ser vistas com o uso do miconazol. É raro a ocorrência de reação adversa na aplicação tópica de miconazol, entretanto podem ocorrer queimação, prurido e irritação após aplicação tópica.

A via tópica é útil em determinadas situações em que há necessidade de obter altas concentrações de corticoides em uma área restrita, com o mínimo de efietos colaterais. Por outro lado, sendo os glicocorticoides permeáveis a barreira cutânea, podem levar a supressão do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal e ao aparecimento de efeitos adversos, qunado utilizados cronicamente, em áreas extensas ou que apresentam solução de continuidade. Os efeitos adversos provenientes do uso sistêmico de corticosteroides incluem polifagia, polidipsia/poliúria, supressão do eixo- hipotálamo-pituitária-adrenal, ulceração gastrointestinal, hepatopatia, diabetes,hiperlipidemia, diminuição do hormônio tiroidiano, diminuição da síntese proteica, prejuízo na cicatrização de feridas e imunossupressão.

REPRODUÇÃO, GESTAÇÃO E LACTAÇÃO

Utilizar com cautela em pacientes gestantes.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.