Sobre

Princípio(s) Ativo(s)

  • Hiclato de Doxiciclina

Classificaçāo

Antibiótico (grupo Tetraciclinas)

Receita

Receita Simples

Espécies

Cães e Gatos

COMPOSIÇÃO

Doxifin® 50 mg - Cada comprimido revestido de 250 mg contém:

Doxiciclina (hiclato) 50 mg

Excipiente q.s.p. 250 mg


Doxifin® 100 mg - Cada comprimido revestido de 500 mg contém:

Doxiciclina (hiclato) 100 mg

Excipiente q.s.p. 500 mg


Doxifin® 200 mg - Cada comprimido revestido de 600 mg contém:

Doxiciclina (hiclato) 200 mg

Excipiente q.s.p. 600 mg

ARMAZENAMENTO

Conservar em local seco e fresco, ao abrigo da luz solar, entre 5°C e 30°C, fora do alcance de crianças e animais domésticos. Venda sob prescrição e aplicação sob orientação do médico veterinário.

Apresentações e concentrações

Apresentações e concentrações

  • - Doxifin 50 mg, comprimido (14 un)
  • - Doxifin 100 mg, comprimido (14 un)
  • - Doxifin 200 mg, comprimido (14 un)

Indicações e contraindicações

INDICAÇÕES

Doxifin Comprimidos é indicado para o tratamento de diversas enfermidades que acometem os cães e gatos, causadas pelos seguintes agentes etiológicos sensíveis à doxiciclina:

Para cães: Infecções respiratórias: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Haemophilus spp, Mycoplasma spp. Infecções urinárias: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Escherichia coli Anaplasmose: Anaplasma spp Erliquiose canina: Ehrlichia canis Leptospirose: Leptospira spp Pododermatite: Fusobacterium spp, Staphylococcus spp Diarréias e gastroenterites: Escherichia coli, Salmonella spp Tétano: Clostridium tetani Otite: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Pasteurella multocida Feridas infectadas e pós-operatórios: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Corynebacterium spp, Escherichia coli, Pasteurella multocida.

Para gatos: Infecções respiratórias: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Haemophilus spp, Mycoplasma spp Infecções urinárias: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Escherichia coli Leptospirose: Leptospira spp Pododermatite: Fusobacterium spp, Staphylococcus spp Diarréias e gastroenterites: Escherichia coli, Salmonella spp Tétano: Clostridium tetani Otite: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Pasteurella multocida Feridas infectadas e pós-operatórios: Staphylococcus spp, Streptococcus spp, Corynebacterium spp, Escherichia coli, Pasteurella multocida.

CONTRAINDICAÇÕES / PRECAUÇÕES

Não administrar em animais com menos de 30 dias de idade. Não adminsitrar em animais que estejam recebendo tratamento com barbitúricos ou fenitoína. Se houver disfunção renal, as doses devem ser reduzidas para evitar acúmulo sistêmico excessivo

EFEITOS ADVERSOS

O tratamento prolongado pode causar distúrbios gastrointestinais, como náusea, vômitos e diarreias; que podem ser minimizados pela administração do produto junto com alimentos. A presença de alimentos no estomago não prejudica a absorção da doxicilina. Devido à capacidade que a doxicilina tem de se ligar com o cálcio, pode provocar arritmias cardíacas.

Administração e doses

Via(s)

Oral

Videos da(s) via(s)

FREQUÊNCIA DE UTILIZAÇÃO

12 horas

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

7 dias consecutivos ou a critério do Médico Veterinário. Recomendamos a continuidade do tratamento por até 48 horas após o desaparecimento do quadro clínico.

Doxifin 50 mg

Recomendado

Cães e Gatos

1 comprimido / 10 kg

calcular

Doxifin 100 mg

Recomendado

Cães e Gatos

1 comprimido / 20 kg

calcular

Doxifin 200 mg

Recomendado

Cães e Gatos

1 comprimido / 40 kg

calcular

OBSERVAÇÕES

Os comprimidos podem ser administrados junto com alimentos ou dissolvidos em líquidos. A absorção da doxiciclina pode ser afetada na presença de hidróxido de alumínio, bicarbonato de sódio, sais de cálcio e de magnésio e preparações de ferro. Não administrar junto com antiácidos. A interação com sais de cálcio pode inibir o crescimento dos ossos e desenvolvimento dos dentes.

Interações medicamentosas

Anticoagulantes

Tipo de Interação

Sinergismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado dos anticoagulantes com risco de sangramento

Mecanismo de Ação

As Tetraciclinas podem afetar a hemostasia

Conduta

Ajustar dose

Barbitúricos

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Doxiciclina

Conduta

Ajustar dose

Carbamazepina

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Doxiciclina

Conduta

Ajustar dose

Digoxina

Tipo de Interação

Toxicidade

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico aumentado da Digoxina, levando a toxicidade

Mecanismo de Ação

Digoxina é metabolizada por bactérias do trato gastrointestinal. Tetraciclina pode impedir este processo ao alterar a microbiota intestinal, permitindo que mais Digoxina possa ser absorvida

Conduta

Evitar o uso

Fenitoína

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Aumento do metabolismo hepático da Doxiciclina

Conduta

Dobrar dose da Doxiciclina

Hidróxido de Alumínio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam um quelato insolúvel com sais de alumínio, diminuindo a absorção

Conduta

Evitar o uso

Hidróxido de Magnésio

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido da Doxiciclina

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam um quelato insolúveis com sais de magnésio, diminuindo a absorção

Conduta

Evitar o uso

Metoxiflurano

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Toxicidade renal

Mecanismo de Ação

Desconhecido

Conduta

Incompatível

Penicilinas

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Grave

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido das Penicilinas

Mecanismo de Ação

Ação bacteriostática das tetraciclinas pode preservar uma parte dos microorganismos da atividade bactericida da penicilina

Conduta

Incompatível

Sulfato Ferroso

Tipo de Interação

Antagonismo

Grau de Interação

Moderado

Efeito Clínico

Efeito terapêutico diminuido de ambas as subst.

Mecanismo de Ação

Tetraciclinas formam quelatos insolúveis com sais de ferro, diminuindo a absorção e os níveis séricos de ambas as subst.

Conduta

Evitar o uso

* Aviso Legal - Interações Medicamentosas - O Aplicativo Vet Smart contém informações de interação medicamentosas em geral, que foram levantadas por pesquisa realizada pelo próprio Vet Smart, de modo que as informações médicas e sobre medicamentos não é um aconselhamento médico veterinário e não deve ser tratado como tal. Portanto, a Vet Smart não garante nem declara que a informação sobre tratamentos médicos veterinários ou interações medicamentosas do Aplicativo Vet Smart: (A) estará constantemente disponível, ou disponíveis a todos; ou (B) são verdadeiras, precisas, completas, atuais ou não enganosas.

Farmacologia

FARMACODINÂMICA

Atua inibindo a síntese proteica dos agentes etiológicos sensíveis.

FARMACOCINÉTICA

Possui absorção oral elevada, cerca de 95%, com meia-vida plasmática prolongada, de aproximadamente de 18 a 24 horas, necessitando, portanto, de dosagens diárias menores que outras tetraciclinas. A presença de alimento no estomago não interfere na absorção da doxiciclina. Possui excelente distribuição e penetração na maioria dos líquidos e tecidos orgânicos. Apresenta o mais alto grau de lipossolubilidade entre todas as tetraciclinas, o que facilita a penetração direta da droga ativa através da dupla camada lipídica dos agentes infecciosos, atingindo inclusive algumas cepas resistentes a outras tetraciclinas. A doxiciclina não se acumula significativamente na circulação de animais com insuficiência renal. Por conseguinte, constitui a mais segura das tetraciclinas no tratamento de infecções extrarrenais desses animais. A doxiciclina é excretada nas fezes, em grande parte como conjugado inativo, ou talvez como quelato; por esse motivo, seu impacto sobre a microflora intestinal é relativamente menor.

EFEITOS ADVERSOS

O tratamento prolongado pode causar distúrbios gastrointestinais, como náusea, vômitos e diarreias; que podem ser minimizados pela administração do produto junto com alimentos. A presença de alimentos no estomago não prejudica a absorção da doxicilina. Devido à capacidade que a doxicilina tem de se ligar com o cálcio, pode provocar arritmias cardíacas.

Avaliações

Como você avaliaria a performance do produto?

Desempenho do Produto

Muito satisfatório
Satisfatório
Insatisfatório
Muito insatisfatório

Referências Bibliográficas

Este produto ainda não tem Referências/Literatura Recomendada.