Nome da Raça

Cane Corso Italiano

Porte

Grande

Peso

Fêmeas: 40-45 kg. Machos: 45-50 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 60-64 cm. Machos: 64-68 cm

Nível de atividade

Alta

Temperamento

Afetuoso, confiante, majestoso

Adestrabilidade

Alta

Introdução

Origem

O Cane Corso italiano é o descendente direto do antigo Molosso Romano “Canis pugnax”, cão utilizado em lutas entre animais e em guerras na Roma antiga. Os detalhes do surgimento desta raça não são definidos perfeitamente, porém estudiosos destes cães acreditam que o Cane Corso Italiano tenha surgido na região do Épiro, hoje Macedônia.

Os primeiros registros oficiais são do século XVI, quando os italianos usavam estes cães para caçar javalis e manter a segurança de fazendas e currais.

Seu nome vem do latim cohors, que significa “protetor, guardião da fazenda”, em referência a sua utilização como cão de guarda.

O padrão definitivo da raça pelo FCI foi aceito em 1996 e pela AKC em 2010.

Nome original

Cane Corso Italiano

País de origem

Itália

Características gerais

Aspectos raciais

O Cane Corso é um cão grande, robusto, forte, contudo, elegante. Seus contornos nítidos revelam músculos possantes. O comprimento da cabeça atinge 1/3 da altura da cernelha. É um pouco mais longo do que alto.

Sua cabeça é larga e tipicamente molossoide. Possui uma ligeira convergência dos eixos longitudinais superiores do crânio e do focinho. O crânio do Cane Corso é largo; no nível das arcadas zigomáticas, sua largura é igual ou maior do que seu comprimento. Sua parte anterior convexa se achata ligeiramente da testa até o occipital. O sulco mediano frontal é visível e o stop bem marcado. A trufa do focinho é preta e volumosa com grandes narinas, bem abertas na mesma linha que a cana nasal. Forte e quadrado; a face anterior do focinho é plana; suas faces laterais são paralelas e o focinho é tão largo quanto longo. Vista de perfil, a cana nasal é reta. O lábio superior pende moderadamente e cobre a mandíbula, de maneira que o perfil inferior do focinho é determinado pelos lábios. Os maxilares são muito largos, espessos e curvados. Possui um ligeiro prognatismo inferior. A mordedura em pinça (torquês) é admitida, mas não desejada.

Os olhos do Cane Corso são de tamanho médio, ovais, direcionados para a frente, ligeiramente protusos. As pálpebras são bem aderentes. A íris é a mais escura possível de acordo com a cor da pelagem. O olhar é vivo e alerta. As orelhas são triangulares, pendentes e largas; sua inserção está localizada bem acima do arco zigomático. Amputadas, elas são cortadas em triângulos equiláteros.

Forte e musculoso, o pescoço é tão longo quanto a cabeça. O tronco é ligeiramente mais longo do que a altura na cernelha, de constituição forte, sem ser atarracado. A cernelha é pronunciada, mais alta do que a garupa, o dorso é reto, bem musculoso e firme. A região lombar é forte e curta com a garupa ligeiramente oblíqua. O tórax é bem desenvolvido nas 3 dimensões, profundo, desce até a altura do cotovelo.

A cauda do Cane Corso é inserida alta, e muito grossa na raiz. Amputada na quarta vértebra. Quando o cão está em ação, portada alta, sem jamais enrolar ou ficar na vertical.

Os membros são bem musculosos, resistentes e muito fortes. Suas patas anteriores são do tipo pata de gato e as posteriores são um pouco menos compactas. O Cane Corso se movimenta com passadas longas, com um trote alongado.

Sua pele é espessa e bem aderente ao corpo. Já a pelagem é curta, brilhante, bem fechada com um ligeiro subpelo. As colorações são: preto, cinza chumbo, cinza ardósia, cinza claro, fulvo claro; vermelho cervo, fulvo escuro, tigrado (listras em diferentes tons de fulvo ou cinza). Os cães fulvos e tigrados têm no focinho uma máscara preta ou cinza que não deve ultrapassar a linha dos olhos. Admite-se uma pequena mancha branca no peito, na ponta dos dedos e sobre a cana nasal.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Inteligente, o Cane Corso é muito enérgico e equilibrado. Rústico, vigoroso e muito corajoso, possui um forte senso territorial. É um excelente cão de guarda e defesa, dócil e carinhoso com seu tutor, ele também tem forte vínculo com sua família, sendo especialmente paciente com crianças. Muito fácil de treinar, no entanto, pode ser um pouco teimoso, por isso é recomendado a pessoas experientes, que desenvolvam o respeito do cão com uma criação firme, responsável e equilibrada.

O Cane Corso não é o tipo de cão que costuma latir desnecessariamente ou excessivamente. Tranquilo, só fazem barulho quando acham que é realmente necessário.

É recomendado que, desde filhote, seja bem socializado para desenvolver um comportamento adequado.

O Cane Corso necessita de um amplo espaço e um grau de atividade física moderada, sendo importante caminhadas diárias.

No geral, o Cane Corso é uma raça bem saudável, e seus cuidados com a pelagem não são muitos exigentes, necessárias apenas escovações eventuais para reduzir o acúmulo de sujeira e o aparecimento de problemas de pele.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Gastrointestinais

Dilatação gástrica

  • Por gases, fluidos, alimento ou uma combinação destes
  • Compartimentalização e alteração do posicionamento gástrico

Musculoesqueléticas

Displasia coxofemoral

  • Determinada geneticamente

Displasia de cotovelo

  • Determinada geneticamente

Referências bibliográficas

AKC. Cane Corso. Disponível em: http://www.akc.org/dog-breeds/cane-corso/. Acesso em: 14 abr. 2017.

CACHORRO Gato. Ficha do Cane Corso. Disponível em: http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/cane-corso/. Acesso em: 14 abr. 2017.

CANE Corso Association of American. Home. Disponível em: http://www.canecorso.org/. Acesso em: 12 abr. 2017.

CHIEN. Cane Corso. Disponível em: https://www.chien.fr/race/cane-corso/. Acesso em: 13 abr. 2017.

CONFEDERAÇÃO Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Cane Corso Italiano.Disponívelem:http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo2/canecorsoitaliano.pdf. Acesso em: 12 abr. 2017.

GUIA de Raças. Cane Corso Italiano. Disponível em: http://www.guiaderacas.com.br/cane_corso.shtml. Acesso em: 15 abr. 2017.

JERICÓ, M. M.; DE ANDRADE NETO, J. P.; KOGIKA, M. M. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Rio de Janeiro: Roca, 2015, p. 2464.

NELSON, R. W.; COUTO, C. G. Medicina Interna de Pequenos Animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015, p. 1512.

TUDO Sobre Cachorro. Bull Terrier. Disponível em: http://2puppies.com/wp-content/uploads/2015/09/miniature-bull-terrier-. Acesso em: 27 abr. 2017.

Imagem disponível em: https://modernmolosser.com/wp-content/uploads/2017/02/CANE-CORSO-guarding.jpeg.