Nome da Raça

Borzoi

Porte

Grande

Peso

Fêmeas: 27-39 kg. Machos: 34-47 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 68-78 cm. Machos: 75-85 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Sensível, equilibrado e dócil

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

A origem do Borzoi é bastante antiga, remonta aos primeiros séculos da história russa. Um dos primeiros registros escritos do Borzoi existe em uma carta do Grão-Duque de Novgorod para seu filho em 1260, explicando os requisitos para um bom cão de corrida. Esta carta está agora no Museu de Leningrado.

Por causa do vasto tamanho da Rússia, tipos locais de Borzoi desenvolvidos de acordo com a seleção do criador, o terreno local e o tipo de jogo de caça. Os dois tipos principais eram a antiga linhagem da Rússia do Norte, usada predominantemente na caça de lebre, de modo que eles eram bem construídos e muito rápidos, e o Borzoi das terras baixas, de construção mais pesada e usado para caçar lobos. Estes dois tipos foram usados para obter um Borzoi multifuncional capaz de correr vários jogos. São usados para caça na Rússia até hoje, pois eles não danificam as peles ao abater a presa.

Em 1650, uma descrição detalhada da raça foi publicada e está surpreendentemente perto do padrão atual. Como o Greyhound na Inglaterra da Idade Média, o Borzoi era a única prerrogativa da aristocracia russa.

A raça chegou a Grã-Bretanha em 1812 e quase vinte anos depois um par de cães foi dado pela Czar à Rainha Victoria, foi quando sua popularidade aumentou entre os aristocratas europeus.

A raça foi reconhecida pela FCI em 1956, pela AKC em 1891 e o padrão oficial válido pela CBKC é de 2006.

Nome original

Russkaya Psovaya Borzaya - Barzoï

País de origem

Rússia

Características gerais

Aspectos raciais

Cão de aparência aristocrática, de tamanho grande, de constituição ao mesmo tempo, seca e robusta, de construção ligeiramente alongada. A harmonia das formas e de movimentos é de suma importância.

Seu crânio é estreito. Visto de cima: alongado em uma forma oval; visto de perfil, quase plano. O stop é levemente marcado. A trufa é grande, móvel, consideravelmente saliente em relação ao maxilar inferior. A cana nasal é longa, cheia em todo seu comprimento, ligeiramente arqueada próximo à trufa. O comprimento do focinho, do stop à extremidade da trufa, é igual ou ligeiramente superior ao comprimento do crânio, do occipital ao stop. Seus olhos são grandes, levemente proeminentes, expressivos; de cor avelã escura ou marrom escura; de forma amendoada, mas não acentuado em demasia; inseridos obliquamente. As orelhas são pequenas, finas, flexíveis, inseridas acima da linha dos olhos e para trás, apontando quase em direção à nuca quando não está alerta. Quando o cão está em alerta, as orelhas são portadas mais para cima, sobre os lados ou para a frente. Seus dentes são pequenos, normalmente gastos e falta de 1PM2.

Seu dorso é largo, musculoso e elástico, formando com o lombo e a garupa uma curva que é mais pronunciada nos machos. O peito é de seção transversal oval, não estreito, mas não mais largo do que a garupa, profundo, bem desenvolvido em comprimento, espaçoso, descendo quase até o nível dos cotovelos.

A cauda é em forma de foice ou sabre, inserida baixa, fina e longa. Passando por entre os membros posteriores, ela deve atingir a saliência do osso do ilíaco (crista ilíaca), guarnecida de abundante penacho. Quando o cão estiver parado naturalmente, a cauda fica portada para baixo. Em ação, é elevada, mas não acima do nível do dorso.

Sua pele é flexível e elástica. Os pelos são sedosos, macios e flexíveis, ondulados ou formando cachos curtos, mas nunca cachos apertados pequenos. Na cabeça, nas orelhas e nos membros, o pelo é acetinado (sedoso, porém mais pesado), curto e bem assentado. No corpo, o pelo é bastante longo e ondulado; nas regiões das escápulas e da garupa, ele forma cachos mais finos; nas costelas e coxas, o pelo é mais curto; os pelos que formam as franjas, os “culotes” e o penacho da cauda são mais longos. O pelo do pescoço é denso e abundante.

Todas as combinações de cores são aceitas, mas nunca com azul, marrom (chocolate) e nenhuma derivação dessas cores. Todas as cores podem ser sólidas ou manchadas. As franjas, os “culotes” e o penacho da cauda são consideravelmente mais claros do que a cor de fundo. Para as cores encarvoadas, a máscara preta é típica.

Pelo

Longo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Borzoi é um cão bastante sensível, dócil, seguro, tranquilo e agradável. É amoroso com sua família, mas muito reservado com estranhos. Geralmente se dão bem com crianças. Dentro de casa é um cão calmo e educado. Às vezes pode ser teimoso, mas ainda um bom companheiro para toda a família.

O Borzoi é um velocista nato, por isso precisa de exercícios diários. Embora longos passeios possam deixá-lo satisfeito, o ideal é que ele possa correr em uma grande área segura. Na ação de caça, logo que ele vê a presa, ele se transforma completamente: se torna animado, impetuoso e completamente determinado. Sua visão é notavelmente eficiente.

A raça deve ser adestrada desde filhote, devido sua tendência a ser “cabeça dura”. Sua educação também deve incluir suavidade, porque o Borzoi é particularmente sensível.

Sua pelagem exige escovações regulares, assim como banhos.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Dermatológicas

Linfedema primário

  • Sem predisposição sexual
  • Geralmente ocorre nas primeiras 12 semanas de vida

Endócrinas

Tireoidite linfocítica

  • Causando hipotireoidismo

Gastrointestinais

Dilatação Gástrica-Vólvulo

  • Possível predisposição racial

Hematológicas e imunológicas

Deficiência de metemoglobina redutase

Defeito congênito do fator I de coagulação

Neurológicas

Síndrome de Wobbler

Oftálmicas

Plasmoma

  • Predisposição racial

Catarata

Retinopatia de Borzois

Referências bibliográficas

http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo10/borzoi.pdf

http://www.fci.be/en/nomenclature/BORZOI-RUSSIAN-HUNTING-SIGHTHOUND-193.html

http://tudosobrecachorros.com.br/borzoi/

http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/borzoi/

https://www.chien.fr/race/barzoi/

http://www.akc.org/dog-breeds/borzoi/

http://www.borzoiclubqld.com/history-of-the-borzoi.asp

JERICÓ, Márcia Marques; ANDRADE NETO, João Pedro de; KOGIKA, Márcia Mery. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. 1. ed. Rio de Janeiro: Roca, 2015.

GOUGH, Alex; THOMAS, Alison. Breed Predisposition to Disease in Dogs and Cats.1. Ed. Oxford:Blackwell Publishing Ltd, 2004 – páginas 29 à 30.

NELSON, R.W.; COUTO, C.G. Medicina interna de pequenos animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

Imagem: https://www.pets4homes.co.uk/images/articles/3925/large/learning-more-about-the-borzoi-dog-breed-589c3c0385e1c.jpg