Nome da Raça

Bombay

Peso

Fêmeas: 2,5-5 kg. Machos: 2,5-5 kg

Altura

Fêmeas: 15-30 cm. Machos: 15-30 cm

Temperamento

Ativo, brincalhão e curioso

Introdução

Origem

Em 1958, no intuito de obter um Burmês negro, uma criadora americana do Kentucky, Nikki Horner, cruzou uma gata Burmesa zibelina com um American Shorthair negro de olhos acobreados. O resultado foi o nascimento de uma "mini-pantera negra" cujo nome lembra o Leopardo negro da Índia.

A raça foi reconhecida pela C.F.A., em 1976 e pela T.I.C.A., em 1979. Opium foi a primeira gata importada para França, em 1989. O Bombay, muito popular nos Estados Unidos, é praticamente desconhecido na Europa.

País de origem

Estados Unidos da América

Características gerais

Aspectos raciais

Corpo de tamanho médio. Estrutura óssea maciça e musculatura firme. Pelagem curta, muito próxima do corpo, brilhante. Praticamente sem subpelo. Textura semelhante a cetim. Cor: unicamente negro. A pele e os coxins plantares são igualmente negras. A cor dos olhos torna-se definitiva aproximadamente aos 6 meses de idade.

Cabeça de tamanho médio, arredondada, sem zonas achatadas. Orelhas médias, largas na base, extremidades ligeiramente arredondadas, bastante afastadas, posicionadas em estado de alerta. Pelagem interna com pouco subpelo. Olhos grandes, redondos, bastante espaçados. Brilhantes, vivos, cor de cobre a dourado (de preferência acobreados). Nariz muito curto, ligeiramente abaulado. Focinho largo, de curto a médio com um “stop” ligeiro.

Patas de comprimento médio, proporcionais ao corpo. Estrutura óssea maciça, musculatura forte. Pés pequenos a médios, redondos. Cauda de comprimento médio, direita, bastante grossa, afilando progressivamente em direção à extremidade.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

É um gato muito seguro de si, ativo, brincalhão, bom caçador, curioso e com uma agilidade fantástica. Muito sociável, adapta-se facilmente ao meio onde é inserido e é de fácil convivência. Suporta bem a companhia de um cão, mas nem sempre se mostra muito paciente com os seus contactantes.

Afetuoso, extremamente meigo, é muito carinhoso, sendo mesmo exclusivo com o dono. Não tolera a solidão. Seu miado é um pouco rouco.

Fácil manutenção. Os cuidados com a higiene corporal, oral, alimentação e hidratação são extremamente importantes. A raça possui pelagem curta, necessitando de apenas uma escovação semanal.

A higiene oral diária evita doenças periodontais. A ração deve ser de boa qualidade e a hidratação deve estar sempre disponível.

Manter o animal domiciliado para protegê-lo de doenças propagadas por outros gatos, ataques de cães e acidentes automobilísticos.

A vacinação e desverminação devem sempre estar em dia. Visitas periódicas ao veterinário são bem-vindas, mesmo que seja para um simples “check-up”. Sua expectativa de vida varia, em média, é de 12 a 16 anos.

Sensibilidade a fármacos

Os felinos apresentam respostas diferentes daquelas manifestadas pelos cães quando submetidos à administração de diversos fármacos.

A intoxicação de gatos medicados com drogas como o paracetamol, o ácido acetilsalicílico e a dipirona por seus donos é bastante frequente, podendo por vezes, levar o animal a óbito. Por outro lado, sabe-se hoje que drogas anteriormente contra-indicadas para gatos, como os opióides, podem ser usadas com segurança nas doses recomendadas para felinos.

Para isso, é necessária a constante busca por atualização por parte dos veterinários nesta área que é tão pouco discutida, mas que vem ganhando importância cada vez maior com o crescente número da população felina.

As doses de muitos medicamentos utilizados em felinos são obtidas a partir daquelas utilizadas para cães, podendo desencadear reações adversas nesses animais. Essas manifestações ocorrem devido às diferenças no metabolismo entre as espécies.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas como a glicuronil transferase, que catalisam as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis à metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuir um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, comparado com cães e humanos.

Sendo assim, é importante que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes.

Predisposição à doenças

O Bombay é um gato muito saudável que não apresenta histórico de problemas de saúde sérios. Geneticamente, o único problema que se tem conhecimento é o defeito craniofacial.

O defeito craniofacial (BHD), às vezes chamado defeito da cabeça do Burmês, afeta o desenvolvimento da cabeça e áreas faciais do feto durante a gravidez e é herdado como um traço autossômico recessivo. Os gatinhos afetados podem nascer vivos e requerem eutanásia, uma vez que a condição é incompatível com a vida normal ou prolongada. Um teste genético para identificar portadores está disponível e a triagem e práticas cuidadosas de melhoramento devem reduzir a frequência da mutação nesta raça.

Referências bibliográficas

HASS, R. A. Metabolismo de Fármacos por Felinos – revisão de literatura. Monografia (Especialização Clínica Médica de Pequenos Animais) – Mossoró, 2011. 36f.

http://www.cattime.com/cat-breeds/bombay-cats#/slide/1

http://www.enciclopediagato.royalcanin.com.br/

http://www.icatcare.org/advice/cat-health/burmese-head-defect

http://www.mundogato.net/razas/bombay

Imagem:http://www.cat-breeds-encyclopedia.com/images/Bombay-wearing-bell.jpg