Nome da Raça

Beagle

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 8-14 kg Machos: 8-14 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 33-40 cm Machos: 33-40 cm

Nível de atividade

Muito Alta

Temperamento

Ativo, Alegre, Corajoso

Adestrabilidade

Alta

Introdução

Origem

A história conta que, no período de 400 anos a.C., matilhas de cães denominados “hounds” já caçavam com os gregos e que estes cães chegaram à Inglaterra certamente pela época romana.

A partir do ano de 1550 foi quando os cães começaram a ser classificados de acordo com o propósito deles, ou seja, existiam cães que caçavam pela visão (sighthounds), cães que caçavam pelo cheiro (scenthounhs), entre outros. É por volta desse período que um pequeno cão, criado para matar coelho e lebre, recebeu o nome "Begles" um termo francês que significa "boca larga".

A versão anglicada se tornou “Beagle”, sendo a Inglaterra o país de origem do Beagle moderno. O Beagle deve sua ascendência ao Foxhound, ao Harrier e a um pequeno cachorrinho, conhecido como "Kerry Beagle".

No início da criação da raça, o Beagle veio em uma variedade de tamanhos e tipos de pelagem. Havia até um "Beagle de bolso", de cerca de 25cm, criado para ser carregado em alforjes nos cavalos.

Nome original

Beagle

País de origem

Grã-Bretanha

Características gerais

Aspectos raciais

Um cão robusto, de construção compacta, que dá impressão de qualidade sem ser grosseiro.

A cabeça tem comprimento moderado. Poderosa sem ser grosseira. Mais refinada nas fêmeas, livre de rugas ou franzidos. 

Na região craniana, o crânio é ligeiramente arredondado; moderadamente largo, com uma leve crista occipital. Stop: Bem definido, divide a distância entre o occipital e a ponta da trufa o mais semelhante possível.

Na região facial, a trufa é larga; de preferência preta, porém, menos pigmentação é permitido em cães de cor mais clara. Narinas largas. Focinho não pontudo. Lábios razoavelmente desenvolvidos.

Maxilares fortes com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura, isto é, os dentes superiores recobrem os dentes inferiores e são inseridos ortogonalmente aos maxilares. Olhos são marrom escuro ou avelã, relativamente grandes; nem profundos, nem proeminentes; bem separados, com expressão meiga e suplicante.

Orelhas longas, de extremidades arredondadas, as quais devem atingir a ponta da trufa quando esticadas para frente. Inserção baixa, de textura fina, portadas graciosamente caídas rentes às faces.

O pescoço é suficientemente longo, de modo a facilitar o farejamento de trilhas; ligeiramente arqueado e apresentando pequena barbela. O tronco é curto no lombo, mas bem balanceado. Linha superior é reta e nivelada.

Lombo forte e flexível. O nível do peito abaixo do cotovelo. Costelas bem arqueadas e se estendendo perfeitamente para trás. Linha inferior e ventre sem excessivo esgalgamento. 

A cauda é forte, de comprimento moderado; inserção alta; portada empinada sem curvar-se sobre o dorso, nem inclinar-se para frente, desde a raiz. Bem revestida de pelos, especialmente na sua parte inferior. 

Os membros anteriores possuem ombros bem angulados, sem serem carregados. Cotovelos firmes, não virando nem para fora, nem para dentro. Antebraços retos, verticais e bem aprumados abaixo do corpo; com boa substância e ossos redondos, sem afinar até as patas. Metacarpos curtos.

Patas compactas e firmes. Dedos bem articulados e almofadas fortemente acolchoadas. Não apresenta pés de lebre. Unhas curtas. 

Os membros posteriores possuem coxas musculosas. Joelhos bem angulados. Jarretes firmes, bem descidos e paralelos. Patas compactas e firmes. Dedos bem arqueados com almofadas fortes. Não apresenta pés de lebre. Unhas curtas. 

A movimentação mantém o dorso firme, sem nenhum indício de oscilação. Passadas livres com bom alcance dos anteriores, sem ação alta dos mesmos. Posteriores com forte propulsão. Não deve apresentar uma movimentação muito fechada atrás ou movimento “remador”, nem trançar de frente.

O pelo curto, denso e resistente às intempéries. A cor padrão da raça é tricolor (preto, marrom e branco); azul, branco e marrom; manchas cor de texugo; manchas cor de lebre; manchas cor limão; limão e branco; vermelho e branco; marrom e branco; preto e branco; todo branco.

Com exceção do todo branco, as cores acima mencionadas podem ser encontradas como manchas mosqueadas. A extremidade da cauda deve ser branca

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Beagles geralmente são sociáveis e se dão bem com outros cães, pois foram criados para serem animais de matilha. São apegados à família e amam crianças, mas precisam ser expostas a gatos em uma idade precoce, a fim de desenvolver boas relações com os felinos. 

É comum encontrar um Beagle farejando a casa de ponta a ponta, cheirando todo o ambiente, pois costumam fazer um mapa olfativo de seu território. Eles verificarão a área periodicamente e se algo estiver errado, ele vocalizará. Desta forma, o Beagle é um bom cão de guarda, embora, uma vez que o ladrão esteja dentro, o Beagle possa preferir brincar com ele. 

O treinamento deve começar cedo ou ele vai se acostumar a satisfazer seus hábitos favoritos, ou seja, comer demais e fazer bagunça, portanto o proprietário deverá ser firme e consistente. Os Beagles precisam realizar exercícios físicos diariamente, por causa de seu forte instinto de caça. Uma maneira de manter o cão bem exercitado seria permitir que ele utilizasse seus talentos naturais de caça.

O Beagle não é exigente em relação a sua alimentação e poderá ser fornecido alimentos secos ou úmidos na quantidade recomendada para cada indivíduo, de acordo com suas necessidades calóricas. Ele possui tendência ao excesso de peso, então a quantidade de comida a ser fornecida deverá ser controlada. 

Esta raça é fácil de manter, sendo necessárias uma a duas escovações semanais do pelame para remoção dos pelos mortos e soltos. Recomenda-se escovação dentária semanal e as orelhas devem ser verificadas regularmente para garantir que elas estejam limpas e livres de infecção.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Síndrome da poliarterite juvenil canina: 

  • Causa um quadro de algia importante;
  • Relatada nos Estados Unidos, França e Reino Unido.

Estenose pulmonar:

  • Terceira causa mais frequente de doença cardíaca congênita em cães;
  • Possui característica hereditária nesta raça.

Dermatológicas

Displasia folicular de pelame preto:

  • Rara;
  • Característica hereditária.

Vasculopatia familial:

  • Vasculite necrotizante de artérias de pequeno e médio calibre;
  • Aparecimento dos sintomas, geralmente, entre 4 a 10 meses de idade;
  • Ausência de predisposição sexual.

Dermatite solar:

  • Uma combinação de fatores predispõe ao aparecimento desta condição;
  • Flanco e abdômen são as regiões mais acometidas.

Dermatose responsiva ao zinco:

  • Em Beagles, ocorre em filhotes alimentados com dietas deficientes em zinco.

Endócrinas

Diabetes Mellitus:

  • Característica hereditária;
  • Aparecimento da condição se dá dos 4 aos 14 anos, com maior incidência dos 7 aos 9 anos;
  • Fêmeas são mais acometidas.

Hiperadrenocorticismo:

  • Idade média no momento do diagnóstico: 10 anos.

Neoplasia de tireoide:

  • Animais geralmente apresentam-se eutireoideos;
  • Idade média no momento do diagnóstico: 10 anos.

Gastrointestinais

Mal-absorção seletiva de cobalamina (vitamina B12):

  • Condição rara;
  • Suspeita-se de componente hereditário;
  • Causa uma anemia não regenerativa com neutropenia.

Hematológicas e imunológicas

Deficiência de fator VII:

  • Característica hereditária;
  • Testes genéticos estão disponíveis para detecção.

Hemofilia A:

  • Relacionada com uma deficiência moderada do fator VIII;
  • Incidência esporádica nesta raça.

Anemia hemolítica sem formação de esferócitos:

  • Condição hereditária;
  • Causa fragilidade das hemácias.

Deficiência de piruvato-quinase:

  • Causa anemia hemolítica regenerativa de caráter crônico.

Deficiência seletiva de IgA:

  • Geralmente assintomático;
  • Pode gerar uma maior susceptibilidade a infecções entéricas.

Musculoesqueléticas

Displasia múltipla de epífeses:

  • Condição incomum;
  • Característica hereditária.

Neoplásicas

Histiocitoma cutâneo canino:

  • Idade média no momento do diagnóstico: 3.6 anos (50%: abaixo dos 2 anos);
  • Acometimento, principalmente em cabeça, pavilhão auricular e membros.

Hemangiossarcoma cutâneo:

  • Idade média no momento do diagnóstico: 9.6 anos.

Mastocitoma:

  • Pode ser visto em qualquer idade, mas geralmente é visto em cães mais velhos;
  • Sítios de acomentimento mais frequentes incluem membros traseiros, períneo e escroto.

Adenoma de glândula perianal:

  • Idade média no momento de diagnóstico: 10.5 anos;
  • Machos inteiros são mais predispostos.

Tumor pituitário:

  • Resulta em hiperadrenocorticismo.

Tumores de glândula sebácea:

  • Idade média no momento do diagnóstico: 9.1 anos;
  • Fêmeas podem ser mais predispostas;
  • Sítios comuns de acometimento: membros, dorso, pálpebras.

Neoplasia de tireoide

Neurológicas

Degeneração cerebelar:

  • Relatada no Japão e nos Estados Unidos;
  • Sintomas vistos por volta de 3 semanas de idade;
  • Condição rara.

Surdez congênita:

  • Suspeita-se que tenha componente hereditário.

Doença vestibular congênita:

  • Sinais vistos antes dos 3 meses de idade;
  • Pode ser visto em associação com surdez congênita;
  • Geralmente bilateral nesta raça.

Epilepsia idiopática:

  • Componente hereditário nesta raça;
  • Idade de início do aparecimento dos sintomas: 6 meses a 6 anos.

Doença do disco intervertebral:

  • Condição comum;
  • Adultos são mais acometidos.

Meningite e poliarterite:

  • Condição incomum;
  • Início do aparecimento dos sintomas: antes de 1 ano de idade;
  • Etiologia desconhecida, mas provavelmente possui origem infecciosa ou ambiental.

Oftálmicas

Catarata:

  • Suspeita-se que tenha característica hereditária;
  • Geralmente unilateral.

Catarata congênita com microftalmia:

  • Origem congênita, suspeita-se de componente hereditário.

Distrofia de córnea:

  • Suspeita-se de componente hereditário;
  • Caráter progressivo, mas raramente afeta a visão.

Glaucoma primário de ângulo aberto:

  • Desenvolve-se geralmente aos 6 meses.

Prolapso de membrana nictitante (“cherry eye”):

  • Geralmente ocorre entre nos primeiros 2 anos de vida.

Displasia de retina multifocal:

  • Condição congênita, suspeita-se de componente hereditário.

Renais e urinárias

Amiloidose renal:

  • Na maioria dos casos, sintomas iniciam-se acima de 6 anos de idade;
  • Em um estudo, fêmeas mostraram-se mais predispostas.

Agenesia renal unilateral:

  • Condição incomum.

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Beagle. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. 398 p.

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. Beagle. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/Beagle. Acesso em: 10 fev. 2018

Pet guide. Breeds. Dog Breeds. Beagle. Disponível em: http://www.petguide.com/breeds/dogs/beagle. Acesso em: 10 fev. 2018

Vet Street. Dog Breeds. Beagle. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/beagle. Acesso em: 10 fev. 2018

Imagem disponível em: https://www.clubeparacachorros.com.br/wp-content/uploads/2014/06/beagle-postura.jpg