Nome da Raça

Braco de Auvergne

Porte

Grande

Peso

Fêmeas: 20-32 kg Machos: 20-32 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 56-69 cm Machos: 56-69 cm

Nível de atividade

Alta

Temperamento

Meigo, calmo, afetuoso

Adestrabilidade

Muito Alta

Introdução

Origem

Na França, existe o Braco Francês tipo Gascão e o tipo Pireneus. Enquanto a nobreza britânica preferia cães com papel de “setter”, que, ao encontrarem a presa, sentavam e esperavam, os franceses preferiam os cães que ficavam imóveis em pose de aponte ao farejar ou avistar a caça.

Os cães de aponte trabalhavam onde quer que o homem caçasse, mas as guerras e revoluções diminuíram sua variedade e quantidade. 

O Braco Francês tipo Gascão (type-gascogne), é a variedade de pernas longas do pointer do sul. É um pointer clássico e foi salva da extinção no início do século XX por dois criadores, Dr. Castets e M. Senac-Langrange. Ainda é usado como cão de trabalho na Gasconha e nos Pirineus.

Caçar em um terreno irregular nas montanhas dos Pirineus demandava um cão com pernas mais curtas do que os outros bracos franceses. O Braco Francês tipo Pirineus é raro fora do sul da França. 

Nome original

Braque d'Auvergne

País de origem

França

Características gerais

Aspectos raciais

A aparência geral, o Braco de Auvergne é retilíneo, de proporções médias. Cão robusto, fortemente construído, sem ser pesado, mostrando o tipo característico do Braco, leveza em sua movimentação e uma elegância acentuada através da pelagem e proporções harmoniosas.

Sua conformação o predispõe a cobrir longas distâncias com ação flexível, o que lhe permite manter sua atividade o dia inteiro sobre os terrenos mais difíceis.

Na região craniana, a linha do crânio e do focinho é ligeiramente divergente para frente (característica do Braco). A cabeça é longa, proporcional ao tamanho do cão, um pouco mais leve nas fêmeas.

Visto por cima, a forma do crânio se aproxima do oval. A protuberância occipital é um pouco saliente. A largura do crânio entre os arcos zigomáticos é igual ao seu comprimento. As arcadas superciliares são bem pronunciadas. O stop é moderadamente marcado. 

Na região facial, a trufa é sempre preta, suficientemente larga, brilhante, narinas bem abertas. Seu perfil superior está no prolongamento do focinho. O focinho tem comprimento próximo ao do crânio. O focinho nivelado. Lábios são bastante fortes, sendo que o lábio superior recobre o inferior. Comissuras limpas, sem dobra importante.

Vistos de frente, os lábios formam um focinho quadrado. Os dentes são fortes e articulados em tesoura ou torquês. Olhos são relativamente grandes, ovais, de cor de avelã escura, bem inserido na órbita, dando um olhar expressivo, franco e doce.

As pálpebras bem pigmentadas não deixam ver a conjuntiva. Orelhas portadas de preferência para trás. Em repouso, a inserção da orelha se situa abaixo da linha superior da trufa e dos olhos. Quando em atenção, sua inserção pode elevar-se até esta linha.

Viradas ligeiramente para dentro, porém nem enrolada nem achatada; é flexível e de textura ligeiramente acetinada. As pontas são razoavelmente arredondadas. Puxadas para a frente, elas devem alcançar a raiz da trufa, sem ultrapassar sua extremidade. 

O pescoço é de preferência longo, bem inserido entre os ombros, ligeiramente arqueado. Apresenta uma leve barbela. O comprimento é aproximadamente igual ao da cabeça. A linha superior do tronco é bem firme e reta. A cernelha é marcada e o dorso é estreito, plano e curto. Coluna vertebral não aparente.

O lombo é bem acoplado, largo (especialmente nas fêmeas), levemente convexo e a garupa é oblíqua (35º em relação à linha superior), ponta do íleo visível. O peito é longo e bem descido ao nível dos cotovelos.

Em seção transversal tem uma forma ovóide, regularmente curvado, sem ruptura na parte inferior. A linha inferior eleva-se suavemente em direção ao ventre não esgalgado. Os flancos são largos, pouco côncavos, unindo-se suavemente às ancas. 

A cauda é inserida bastante alta e deve ser portada horizontalmente de forma cilíndrica e não muito fina. Quando amputada em países onde a prática é ainda permitida, ela tem um comprimento de 15 a 20 cm. Quando não amputada, ela alcança a ponta do jarrete sem ultrapassá-lo.

Os membros estão alinhados ao corpo, os anteriores são aprumados. Os ombros são fortes, bem musculosos, bem livres na movimentação e angulados a 45º sobre a horizontal. Os cotovelos são bem alinhados com o tronco e os antebraços são fortes e longos, musculosos e retos. Os carpos são fortes sem serem nodosos e os metacarpos são curtos; vistos de perfil, são ligeiramente inclinados.

Os membros posteriores são bem angulados; eles trabalham em planos paralelos. As coxas são bem musculosas e os jarretes são secos e bem definidos. Metatarsos são sempre curtos e jamais delgados.

As patas são um pouco mais longas que as ditas “patas de gato” e um pouco mais curtas que as “patas de lebre”. Não viradas nem para dentro nem para fora. As unhas são fortes e curtas; as almofadas são duras e resistentes; os dedos são juntos. 

A marcha natural da raça é caracterizada por passadas de amplitude mediana, mas sustenta um ritmo que confere ao cão sua notória resistência. Sua movimentação habitual para a caça é um galope médio, regular e ligeiramente saltitante.

A pele é bastante fina, de preferência frouxa, sem exagero. O pelo é curto, não muito fino, nunca duro, brilhante. A sua cor padrão é o preto com manchas brancas de extensão variável. A particularidade da marca gera 2 tipos: mosqueado ou grisalho. Esta diferença não pode servir para separar dois cães da mesma qualidade.

A cabeça deve ser preta, de preferência, com uma lista branca de estendendo até o crânio. O branco desta lista pode se espalhar sobre as laterais do focinho. Uma orelha branca e mosqueada ou um lado da cabeça branco e mosqueado, não podem ser considerados como faltas. 

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Este cão é meigo, calmo e adora companhia humana e exercícios vigorosos. Não é exigente e seu entusiasmo torna-o um ótimo cão de trabalho e de estimação. Tem comportamento sereno e adora relaxar em seu tempo livre.

O pelo em si é fácil de cuidar, sendo necessário escovação semanal com uma escova firme para manter o pelo e a pele saudáveis. O restante se trata de manejo básico como escovação dentária e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Não foram encontrados em literatura relatos de predisposição à doenças específicas relacionados à raça em questão.

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Braco de Auvergne. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. 398 p.

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. Braque d'Auvergne. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/BraquedAuvergne. Acesso em: 10 fev. 2018

Pet guide. Breeds. Dog Breeds. Braque d'Auvergne. Disponível em: http://www.petguide.com/breeds/dogs/braquedauvergne. Acesso em: 10 fev. 2018

Vet Street. Dog Breeds. Braque d'Auvergne. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/braque-dauvergne. Acesso em: 10 fev. 2018

Imagem disponível em: http://bicharada.net/animais/fotos.php?id=7240