Nome da Raça

Buldogue Serrano

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 25-35 kg Machos: 31-40 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 48-53 cm Machos: 50-56 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Guardião, dócil, meigo

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

Acredita-se que ele tenha sua origem em cães do tipo buldogue, trazidos para o Brasil no século 19 por imigrantes europeus. Assim, alemães e poloneses contribuíram com o Bullenbeisser, enquanto os italianos com o Buldogue Maltês e o antigo Buldogue Inglês, um tipo diferente do atual. 

Outras raças que podem ter colaborado para a formação do Buldogue Serrano são o Buldogue Espanhol e o Alano, cães que provavelmente atravessaram a fronteira com o Brasil e auxiliaram no trabalho com o gado.

Com o objetivo de selecionar os cães mais aptos para a lida com o gado, surgiram duas raças distintas: o Buldogue Campeiro, um tipo mais pesado e comum nas regiões do Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina e nos campos do Rio Grande do Sul, próximos às fronteiras com Argentina e Uruguai, e o Buldogue Serrano, um cão mais leve e comum nas encostas das serras e nas serras gaúchas. 

Utilizados na função de pastoreio, estes cães auxiliavam os peões a levarem o gado ao seu destino. Além disso foram usados para arrastar porcos e bois ao abate. Com a proibição do uso de cães na atividade e o desenvolvimento da pecuária no país, tanto o tipo leve quanto o pesado foram quase extintos. O regaste das raças se deu no final da década de 1970, pelas mãos do cinófilo Ralf Schein Bender.

Em 2001, o Buldogue Campeiro foi reconhecido oficialmente pela Confederação Brasileira de Cinofilia – CBKC. Alguns criadores insatisfeitos com o tipo pesado do descrito no padrão solicitaram o reconhecimento do tipo mais leve.

Assim, em meados de 2009, o Buldogue Serrano também ganhava seu reconhecimento junto a CBKC. Entre os criadores que lutaram e colaboraram para o reconhecimento da raça, destacam-se o cinófilo Pedro Pessoa Ribeiro Dantas e o criador Ivanor Oliviecki.

Nome original

Buldogue Serrano

País de origem

Brasil

Características gerais

Aspectos raciais

O Buldogue Serrano é um cão de aspecto sólido, maciço, atarracado, mas dando impressão de grande agilidade. Músculos longos que denotem a agilidade do cão.

O comprimento do tronco deve ultrapassar a altura na cernelha em aproximadamente 18%. A profundidade do peito deve ser de aproximadamente 55% da altura da cernelha. 

A cabeça deve ser proporcional ao tamanho do cão e seu comprimento deve ter aproximadamente 35% do comprimento do tronco. As fêmeas tendem a ser minimamente mais longas e com cabeça proporcionalmente menor.

A cabeça não deve ser nem pesada nem leve. Os masséteres devem ser poderosos; arco zigomático largo, mas não exageradamente, e deve se sobressair em relação à largura do focinho. Stop profundo e arcadas superciliares aparentes.

Deve-se lembrar que a cabeça, para ser funcional, não pode ser frágil nem exageradamente pesada. Seu crânio é largo e profundo, mas sem exagero em nenhuma proporção. Deve ter um contorno reto na linha entre as orelhas e convexo na linha que vai do occipital ao stop. 

Na região facial, a rufa é preta, cinza ou cor de carne. O focinho deve ter comprimento aproximado de 1/3 do total da cabeça, relação crânio-focinho é de 2:1. Reto, relativamente largo.

A largura do arco zigomático deve se sobressair em relação a do focinho, não devendo, no entanto, tal proporção ser exagerada. Prognata, o maxilar inferior ultrapassa o maxilar superior, mas sem prognatismo exagerado.

Os lábios são curtos, aderentes. Não devem, de forma alguma, ser longos ou pendentes. Os olhos são ovais, de qualquer cor, exceto azul. As orelhas são pequenas, semi-caídas ou pendentes, com a pele relativamente fina, de implante alto. 

O pescoço é grosso, forte, de comprimento médio. Desprovido de barbelas. A linha superior do tronco é reta. A garupa é forte e redonda, com linha superior convexa. O dorso é relativamente curto e o ante-peito é amplo com costelas bem arqueadas. 

Os membros anteriores possuem ombros largos, musculosos e oblíquos. Braços são bem musculosos, mas não com músculos exageradamente definidos ou desenvolvidos, como o atual Alapaha Bulldog.

Os ossos são retos, fortes, mas não exageradamente pesados. As patas são levemente viradas para fora. Já os membros posteriores possuem coxas bem desenvolvidas e musculosas. As jarretes tem angulação moderada e as patas são voltadas para frente. A cauda é em saca-rolha ou enroscada. 

A pele não é solta em nenhuma parte do corpo, porém é comum rugas na face. A pelagem é lisa, de textura média, nem muito macia nem muito duro. O pelo é curto, de qualquer cor ou variação de cores. 

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

É um cão dócil e meigo com as pessoas de casa. É guardião de personalidade equilibrada, atenta e versátil. Possui extrema coragem e mostra submissão à disciplina ante seu dono. Não é comum demonstrar agressividade gratuitamente a pessoas ou a cães, mas é destemido quando provocado ou sob comando.

O pelame deve ser escovado semanalmente para remoção de pelo morto. O resto trata-se de manejo básico como escovação dentária semanal e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Não foram encontrados em literatura relatos de predisposição à doenças específicas relacionados à raça em questão.

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Buldogue Serrano. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

Imagem disponível em: https://i2.wp.com/www.cachorros.com.br/wp-content/uploads/2017/12/Buldogue-Serrano.jpg?resize=1024%2C720&ssl=1