Nome da Raça

Dachshund Kaninchen Pelo Curto

Porte

Pequeno

Peso

Fêmeas: 7-14 kg Machos: 7-14 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 20-23 cm Machos: 20-23 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Inteligentes, determinados, dominantes, curiosos, independentes

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

Acredita-se que a origem da raça Dachshund se deu na Alemanha, por volta do século XV, no entanto, estes cães apareceram na arte egípcia do Egito Antigo e os restos de um cão do tipo Dachshund foram encontrados com restos de naufrágio na Itália, que remontam ao século I d.C. 

O padrão de raça alemã foi estabelecido em 1879 e o clube da raça estabelecido em 1888. Dachshunds foram exportados para a Grã-Bretanha com o príncipe Albert e tornaram-se populares na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos ao longo do século XIX. Durante a Primeira Guerra Mundial, a raça perdeu popularidade nesses países, devido às origens germânicas, no entanto, os preconceitos foram postos de lado e o cão é novamente um animal de estimação favorito e companheiro de caça. Dachshunds anões foram historicamente usados para caçar coelhos. 

O Dachshund, também chamado de Dackel ou Teckel, é conhecido desde a Idade Média. Criavam-se, nessa época, muitos cães descendentes de Bracos que eram especialmente bons para a caça debaixo da terra. Desses cães providos de pernas curtas evoluiu-se o Dachshund, que foi reconhecido como uma das mais versáteis e úteis raças de caça. Ele também mostra excepcional trabalho sobre a terra, caçando silenciosamente, além disso, possui alto instinto de busca seguindo animais feridos. 

O Clube mais antigo para Teckel é o “Deutsche Teckelclub”, fundado em 1888. Durante décadas, o Dachshund tem sido criado em 3 diferentes tamanhos (Teckel Standard, Teckel Anão e Kaninchen) e em 3 diferentes pelagens (Pelo Curto, Pelo Duro e Pelo Longo)..

Nome original

Dachshund Kaninchen (Smooth)

País de origem

Alemanha

Características gerais

Aspectos raciais

A aparência geral do Dachshund é de um cão baixo, de pernas curtas, comprido, mas compacto, bem musculoso, com atitude imponente, de cabeça e expressão atenta. Apesar das pernas curtas em relação ao corpo comprido, é muito vivo e ágil. 

Sua cabeça é alongada, vista de cima e de perfil. Afinando gradualmente para a trufa, mas nunca pontuda. Arcadas superciliares claramente definidas. Cana nasal longa e estreita. Na região craniana, o crânio é plano, fundindo-se gradualmente com uma cana nasal ligeiramente arqueada.

Na região facial, a rufa é bem desenvolvida com focinho longo, suficientemente largo e forte. Pode ser bem aberto até a inserção dos olhos. Lábios: Bem aderentes cobrindo bem a mandíbula. Maxilares superior e inferior bem desenvolvidos. Mordedura em tesoura firmemente fechada.

O ideal para o padrão da raça são 42 dentes de acordo com a fórmula dentária, com fortes caninos ajustados entre eles. Olhos: Tamanho médio, ovais, bem afastados, com expressão enérgica, contudo amigável. Não penetrante. Cor brilhante, do marrom avermelhado escuro até o marrom enegrecido em todas as cores do pelo.

Olhos porcelanizados, olhos de peixe ou perolizados em cães marmorizados não são desejados, mas podem ser tolerados. Orelhas: Inseridas altas, não muito para a frente. Suficientemente longas, mas não exageradas. Arredondadas; não estreitas, pontiagudas ou dobradas; com as bordas da frente bem rentes às faces. 

O pescoço é suficientemente comprido, musculoso. Pele da garganta bem aderente. Ligeiramente arqueado, livre e portado alto. A linha superior do tronco se funde harmoniosamente da nuca até a garupa ligeiramente inclinada. Cernelha: Pronunciada.

Dorso: Após a cernelha, que é alta, é reto ou ligeiramente inclinado para trás. Firme e bem musculoso. Flancos: Fortemente musculosos. Suficientemente longos. Garupa: Larga, suficientemente longa e ligeiramente inclinada. Joelhos: Largos e fortes e muito bem angulados. Pernas: Curtas, quase a um ângulo reto com as coxas. Bem musculosas.

Articulação do jarrete: Seca, com fortes tendões. Jarretes: Relativamente compridos, bem articulados com as pernas. Ligeiramente curvados para a frente. Patas: Quatro dedos bem fechados e bem arqueados, pisando por inteiro sobre suas fortes almofadas. 

A movimentação padrão da raça deve cobrir bem o solo. É fluente e enérgica, com passadas de frente sem levantar muito e o movimento dos posteriores deve transmitir uma ligeira elasticidade para a linha do dorso. A cauda pode ser portada em prolongamento harmonioso com a linha do dorso, ligeiramente inclinada.

Na movimentação, anteriores e posteriores são paralelos. A pele de todas as variações da raça é bem aderente. O Dachshund de pelo curto, como o nome já diz, tem o pelo curto, denso, brilhante, assentado, cerrado e áspero. Não possui nenhuma área sem pelo. 

A cauda é fina, cheia, mas não abundantemente coberta. Pelos um pouco mais longos na parte inferior da cauda não é um defeito. A cor do pelo pode ser unicolor, bicolor ou arlequim. Unicolor: vermelho, amarelo avermelhado, amarelo, todos com ou sem pelos pretos entremeados. A cor sólida é preferível e o vermelho é melhor do que o amarelo avermelhado ou amarelo. 

Cães com muitos pelos pretos entremeados também são classificados como cores sólidas e não como outras cores. Trufa e unhas pretas. Bicolor: Preto profundo ou marrom com manchas ferrugem (castanha) ou amarela sobre os olhos, nas laterais do focinho, descendo até a mandíbula, no interior das orelhas, no antepeito, nas partes internas e traseiras dos posteriores, nas patas, na região do ânus e no terço proximal da face ventral da cauda. Trufa e unhas pretas em cães pretos, marrom nos cães de cor marrom.

O branco não é desejado, mas algumas pequenas manchas não desqualificam. Marcas muito extensas de castanho ou amarelo são indesejáveis. Arlequim (tigrado manchado, manchado): A cor básica é sempre a cor escura (preto, vermelho, cinza).

São desejadas manchas irregulares de cor cinza ou bege (manchas extensas não são desejadas). Nem as cores escura ou clara devem ser predominantes. A cor do Teckel é vermelha ou amarela com listras escuras. A cor da trufa e das unhas é a mesma que a dos sólidos e a dos bicolores.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Uma das palavras mais associadas ao Dachshund é a "determinação". O padrão da raça descreve-o como inteligente, animado e corajoso. Este é um cão que nunca desiste. Entretanto, cada tipo tem uma personalidade distinta. Um mini Dachshund não é menos determinado, simplesmente porque ele é menor. 

O Dachshund de pelo curto costuma ser arteiro, o de pelo duro mais agitado e arteiro e de pelo longo um pouco mais tranquilo e silencioso. Os Dachshunds podem ser teimosos, curiosos, independentes, mas nunca serão tímidos. Ele é um excelente cão de guarda. Treinando bem um Dachshund, ele pode se tornar um grande competidor em provas de obediência e outros esportes para cães. É apenas uma questão de encontrar o que o motiva.

Normalmente, os alimentos funcionam, mas os Dachshunds têm sua própria maneira de pensar e não importa o quão bom são os petiscos, às vezes seus desejos simplesmente não coincidem com o que você está pedindo para eles fazerem. Treinar um Dachshund exige paciência, consistência e um grande senso de humor.

Outra característica importante é que eles adoram cavar. É o que eles nasceram para fazer, afinal. Só porque eles vivem em uma casa com você não significa que eles não tenham mais o instinto de escavação. Se possível, dê ao seu Dachshund seu próprio lugar para cavar em seu quintal.

Quando nada mais estiver disponível, você pode encontrá-lo bagunçando os cobertores nas camas. Dachshunds adoram comer, seu apetite pode ser descrito como voraz. Se tiverem a oportunidade, eles comerão até ficarem doentes. Dachshunds obesos são mais propensos a desenvolverem doenças musculoesqueléticas. Sua alimentação deve ser sempre controlada, por toda a sua vida, e deverão realizar exercícios diários para evitar o sobrepeso. Ele ficará satisfeito com alguns passeios curtos diariamente, mas é capaz de caminhadas longas também.

Caminhadas não são a única maneira de exercitar um Dachshund, ele é um cão versátil que vai adorar brincar de caçar no campo, trabalhar como cão de terapia em lares de idosos e hospitais e correr por uma pista de obstáculos em agility para cães. 

É necessária uma socialização precoce para acostumá-los com crianças, estranhos e outros animais. Eles são uma raça que se torna bastante apegada à sua família e geralmente um membro da família em particular, portanto, eles serão menos amigáveis com estranhos. 

A socialização precoce é necessária para que ele aprenda a se dar bem com gatos e outros cães. A socialização também ajudará a superar sua cautela natural com estranhos.

Esta raça precisa ser escovada pelo menos uma vez por semana para remover os cabelos pois tendem a perder muito pelo. Não é necessário tosar o pelo. Mantenha as orelhas caídas do Dachshund limpas e secas. O resto trata-se de cuidados básicos como alimentação de boa qualidade, idas periódicas ao veterinário e escovação dentária semanal.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Doença valvar mitral: 

  • Prolapso de valva mitral é comum nesta raça.

Dermatológicas

Displasia folicular de pelame preto:

  • Rara;
  • Início precoce.

Celulite juvenil canina:

  • Provavelmente, há fator hereditário envolvido;
  • Início entre 1 e 4 meses de idade.

Dermatose linear pustular canina mediada por IgA:

  • Muito rara;
  • Idiopática;
  • Acomete adultos de ambos os sexos.

Alopecia em pavilhão auricular 

  • Machos mais acometidos que fêmeas;
  • Início entre 6 a 9 meses de idade.

Paniculite nodular estéril idiopática:

  • Causa múltiplas lesões;
  • Fêmeas mais predispostas.

Dermatite por Malassezia:

  • Condição comum;
  • Acomete qualquer idade;
  • Pode ser sazonal.

Onicodistrofia:

  • Doença idiopática e simétrica nesta raça;
  • Ocorre de 2 a 6 anos de idade.

Pênfigo foliáceo:

  • Doença incomum;
  • Não há predisposição sexual;
  • Idade média de acometimento: 4 anos.

Pododermatite:

  • Pode acometer qualquer idade e ambos os sexos;
  • Machos mais predispostos;
  • Patas da frente são mais usualmente acometidas.

Seborréia primária:

  • Provavelmente possui fator hereditário;
  • Sinais ocorrem em cães jovens e podem piorar a medida que o cão envelhece.

Vasculite:

  • Incomum;
  • Reação tipicamente do tipo III.

Endócrinas

Diabetes Mellitus:

  • Idade média de acometimento: 4 a 14 anos; 
  • Fêmeas inteiras e mais velhas são mais predispostas.

Hiperadrenocorticismo:

  • Idade média de acometimento: 10 anos.

Hipotireoidismo:

  • Pode ocorrer em animais jovens (2 a 3 anos de idade);
  • Machos e fêmeas castrados são mais predispostos.

Fisiológicas

Hipocondroplasia:

  • Aceitado como um padrão da raça.

Gastrointestinais

Gastroenterite hemorrágica

Hematológicas e imunológicas

Hemofilia A (Dachshund Miniatura)

  • Deficiência moderada do fator VIII de coagulação na raça.

Trombocitopenia imunomediada (Dachshund Pelo Longo):

  • Condição comum;
  • Provavelmente possui fator hereditário na raça;
  • Fêmeas mais acometidas que machos.

Deficiência de imunoglobulina:

  • Condição incomum;
  • Pode causar pneumonia protozoótica (Pneumocystis carinii);
  • Associada a baixos níveis de IgG.

Deficiência de piruvato-quinase:

  • Causa anemia hemolítica regenerativa crônica.

Musculoesqueléticas

Herniação perineal:

  • Machos inteiros são mais predispostos;
  • Condição comum.

Pes varus:

  • Deformidade tibial distal;
  • Visto em animais entre 5 e 6 meses de idade.

Neoplásicas

Tumor adrenocortical:

  • Resulta em hiperadrenocorticismo;
  • Fêmeas são mais acometidas.

Adenocarcinoma de saco anal:

  • Idade média de acometimento: 10 anos.

Histiocitoma cutâneo canino:

  • Idade média: 3.6 anos;
  • Acomete principalmente cabeça, pavilhão auricular e membros.

Mastocitoma:

  • Pode ser visto em qualquer idade a partir dos 4 meses, mas geralmente é visto em animais mais velhos;
  • Sítios de predileção incluem membros traseiros, períneo e escroto.

Tumor pituitário:

  • Resulta em hiperadrenocorticismo.

Tumores de glândula sebácea:

  • Idade média: 10 anos;
  • Sítio comum: cabeça.

Carcinoma de células escamosas no dígito:

  • Acometimento maior em cães de meia-idade a idosos.

Neurológicas

Miastenia gravis congênita:

  • Condição rara;
  • Sinais clínicos podem aparecer entre os 6 e 9 semanas;
  • Acredita-se em fator hereditário.

Surdez congênita:

  • Prevalência na raça ainda desconhecida;
  • Suspeita-se que tenha caráter hereditário.

Epilepsia idiopática:

  • Possui fator hereditário;
  • Idade média de aparecimento dos sinais clínicos: 6 meses a 6 anos;
  • Condição comum.

Doença do disco intervertebral:

  • Condição comum;
  • Acomete cães adultos.

Doença de armazenamento lisossomal – lipofuscinose ceróide:

  • Rara;
  • Suspeita-se de fator hereditário;
  • Sinais vistos entre 3 e 7 anos nesta raça.

Narcolepsia / Catalepsia:

  • Aparecimento dos sinais clínicos: antes de 1 ano de idade.

Neuropatia sensorial:

  • Suspeita-se de fator hereditário;
  • Rara;
  • Sinais vistos entre 8 e 12 semanas.

Oftálmicas

Catarata:

  • Suspeita-se de fator hereditário.

Ceratite crônica superficial:

  • Idade média: 2-4anos;
  • Suspeita-se de fator hereditário.

Coloboma (íris e nervo óptico):

  • Congênito;
  • Pode estar relacionado à microftalmia e múltiplos defeitos oculares.

Distrofia de córnea:

  • Suspeita-se de fator hereditário;
  • Início dos sintomas: 9 a 11 anos.

Distiquíase:

  • Condição comum.

Cílios ectópicos: 

  • Condição incomum.

Atrofia retiniana progressiva generalizada

Glaucoma primário:

Defeitos oculares múltiplos:

  • Pode incluir: microftalmia, microcórnea, catarata e colobomas.

Lipofuscinose neuronal ceróide

Hipoplasia de nervo óptico:

  • Congênito;
  • Não se sabe se há fator hereditário;
  • Condição incomum.

Renais e urinárias

Urolitíase:

  • Cálculos de cistina;
  • Cistinúria resulta de um defeito hereditário no transporte da cistina em túbulo renal, predispondo a urolitíase por cistina.
  • Cães jovens são mais acometidos (2 a 5 anos);
  • Machos mais acometidos.

Reprodutivas

Criptorquidismo

Distocia:

  • Na raça, pode ser causada canal pélvico estreito da fêmea e inércia uterina.

Respiratórias e pneumológicas

Estenose nasofaríngea

Pneumonia devido infecção secundária por Pneumocystis carinii

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Dachshund. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. 398 p.

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. Dachshund. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/Dachshund. Acesso em: 10 fev. 2018

Pet guide. Breeds. Dog Breeds. Dachshund. Disponível em: http://www.petguide.com/breeds/dogs/dachshund. Acesso em: 10 fev. 2018

Vet Street. Dog Breeds. Dachshund. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/dachshund. Acesso em: 10 fev. 2018

Imagem disponível em: http://img-aws.ehowcdn.com/750x428p/photos.demandstudios.com/getty/article/94/242/178526526.jpg