Estágios de Vida dos Parasitas

Empresa

Bayer

Data de Publicação

09/02/2015

PDF

Produtos Relacionados

COLETA DE AMOSTRAS

Os exames de fezes devem ser feitos de material fecal fresco. De preferência coletar a porção superior que não teve contato com o solo (pois este pode estar contaminado com nematoides de vida livre) e armazenar em um coletor universal. Se as amostras fecais são enviadas ao laboratório após passarem horas ou dias no ambiente o diagnóstico fi cará muito prejudicado ou até mesmo inviabilizado. Os ovos de nematoides geralmente eclodem em poucos dias e no caso de helmintos e protozoários de cães e gatos, o diagnóstico baseia-se na morfologia dos ovos, oocistos e cistos presentes em fezes frescas.

EXAME DE AMOSTRAS

Antes de realizar testes específi cos em amostras fecais, deve-se realizar um exame macroscópico, observando a aparência geral, consistência, cor, a presença de sangue ou muco. A presença de parasitas adultos ou segmentos de cestoides também deve ser observada. Cápsulas ovígeras de Dipylidium caninum também são observadas em fezes frescas, são móveis, esbranquiçadas, lembrando uma pequena semente e muito raramente encontradas nos métodos de diagnóstico utilizados.

POR QUE OS EXAMES FECAIS PODEM NÃO SER CONCLUSIVOS

. Período pré-patente do ciclo de vida do parasita incompleto;

. Eliminação intermitente de ovos, cistos ou cocistos;

. Baixo número de ovos;

. Amostras inadequadamente conservadas;

. Técnica falha.

ARMAZENAGEM E ENVIO DE AMOSTRAS

Se as fezes coletadas não puderem ser examinadas dentro de poucas horas, a amostra deve ser refrigerada (não congelar) até a realização do exame, até no máximo 24-48h. Se as fezes forem inspecionadas para a presença de trofozoítos de protozoários (Giardia), elas devem ser examinadas imediatamente após a coleta. Se as amostras não puderem ser avaliadas em 24-48h pode-se utilizar solução de formol a 10% para conservação, porém esta pode deformar as formas evolutivas dos parasitos e difi cultar o diagnóstico

DRONTAL É PROTEÇÃO EFICAZ CONTRA VERMES E GIARDIA. SÓ DRONTAL É BAYER

DIRETRIZES DE UMA VERMIFUGACÃO ESTRATÉGICA

Os animais precisam de cuidados adaptados às suas necessidades individuais, por isso alguns fatores devem ser considerados:

Saúde

É importante observar a presença de outras doenças concomitantes e ou de ectoparasitas, como pulgas, que fazem parte do ciclo do Dipylidium caninum

Histórico

Cães e gatos que viajam estão expostos a um maior risco de adquirir infecções parasitárias, pois as prevalências de alguns parasitas variam nas diferentes regiões do pais (litoral, campo...). O diagnóstico de doenças não endêmicas pode ser um desafi o, por isso conhecer o histórico dos animais é muito importante.

Ambiente

Animais que vivem em canis ou gatis, ambientes externos, convivem com outros animais, passeiam com frequência, tem hábito de caça, estão expostos a um maior risco de adquirir parasitas, por isso precisam de vermifugações em intervalos menores.

Idade

Filhotes e animais idosos são mais susceptíveis que animais adultos. Em fi lhotes o primeiro tratamento deve acontecer com 2 semanas de idade e repetido a cada 2 semanas até os 2 meses de idade, ou a cada 2 semanas até a segunda semana após o desmame. Repetir uma vez por mês entre os 3 e 6 meses de idade e depois dessa idade pode entrar no esquema preventivo de vermifugação.

Cães e gatos adultos

O número e a frequência de tratamentos variam de acordo com a região, com base na prevalência dos parasitas e orientação do Médico Veterinário. De maneira preventiva, um aumento na frequência de tratamentos diminui a ocorrência de animais positivos. A vermifugação a cada 3 meses com Drontal® é indicada para diminuir infecções parasitárias.

Estado reprodutivo

Gestantes e Lactantes necessitam de uma atenção especial, as cadelas podem transmitir Toxocara canis aos fetos durante a gestação e após o nascimento dos filhotes durante o período de lactação. Durante a lactação elas também podem transmitir Ancylostoma caninum, enquanto que as gatas podem transmitir Toxocara cati também nas primeiras semanas de lactação. As fêmeas devem ser vermifugadas antes da cobertura e sempre repetir a vermifugação junto com os filhotes.