Controle Integrado de Ectoparasitos

Empresa

Ceva

Data de Publicação

31/12/2000

PDF

Produtos Relacionados

O Médico Veterinário e o lojista do segmento pet têm um papel fundamental no processo de decisão de compra de seus clientes. Deste modo, o conhecimento sobre os produtos disponíveis no mercado, bem como alguns conceitos-chave relativos ao seu uso, são importantes para instruir o cliente de acordo com a sua necessidade. O estudo a seguir teve como objetivo avaliar o conhecimento de Médicos Veterinários e lojistas, sobre o Controle Integrado de Ectoparasitos – animal e ambiente, uma vez que a efcácia no tratamento de qualquer infestação por ectoparasitos se baseia no emprego correto de produtos tanto nos animais quanto no ambiente, com frequência adequada, visando combater as formas de pulgas e carrapatos, imaturas e/ou adultas, presentes sobre os animais e no ambiente.

Para isso, foram realizadas entrevistas em diferentes regiões do Brasil em dois momentos diferentes: 2003 e 2011. As entrevistas foram aplicadas na forma de dois questionários distintos – um para Médicos Veterinários e o outro para lojistas –, com questões que abordavam o nível de conhecimento a respeito do controle integrado de ectoparasitos, os parasitos mais frequentes, as vantagens da utilização de um produto de amplo espectro em comparação a um mais específco e qual a percepção do uso da permetrina em termos de segurança e efcácia. Para os lojistas, foi ainda adicionada uma questão sobre a preferência do método de aplicação dos produtos (spray ou spot-on). As entrevistas foram realizadas em diferentes regiões do Brasil de modo a se obter uma representatividade do cenário nacional.

Os resultados revelaram que:

• O carrapato foi considerado o ectoparasita mais grave por Médicos Veterinários e lojistas, com média nacional superior a 50%, principalmente nos estados de MS, CE e GO.

• Em comparação aos resultados obtidos em 2003, houve uma diminuição do conhecimento de controle integrado de ectoparasitos por parte dos lojistas.

• Foi demonstrado ainda que os clientes dos Médicos Veterinários e lojistas possuem um baixo nível de conhecimento sobre o conceito de controle integrado de ectoparasitos, principalmente nos estados de MS, GO e CE.

• O produto na formulação spot-on foi apontado como preferência da maioria dos lojistas nas duas pesquisas e, em 2011, a preferência aumentou ainda mais: 80% elegeram essa apresentação como de eleição. Provavelmente, o aumento na escolha dessa apresentação se deve pela sua praticidade.

Seu cliente conhece o Controle integrado de ectoparasitos? (Médicos e Veterinários)

Seu cliente conhece o Controle integrado de ectoparasitos? (Lojistas)

Grau de conhecimento do controle integrado de ectoparasltos pelo clientes fnais, segundo o médico veterinário e o logista, nos estados investigados, e cálculo da medida para estados estudados - São Paulo 2013

Observe o gráfco:

Comparação entre os resultados das entrevistas realizadas em SP, nos anos de 2003 e 2011 entre lojistas, para a escolha da apresentação ideal do ectoparasita indicado

O resultado da pesquisa em 2011 demonstrou que a percepção dos Médicos Veterinários em relação à permetrina mudou, tendo havido uma piora: 8% dos entrevistados julgaram-na insufciente. Na pesquisa anterior, nenhum Médico Veterinário havia considerado essa opção. Conclui-se que existe falta de conhecimento dos proprietários de cães e gatos a respeito do controle integrado de ectoparasitas, em especial nos estados com menor IDHM - Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, reforçando a necessidade dos Médicos Veterinários exercerem o seu papel como educadores junto a esse público.

Além disso, se especula que, com o crescimento do mercado Pet, o conhecimento do lojista sobre o assunto parece ter diminuído, o que demanda uma intensifcação das empresas do setor no sentido de melhor treinamento e capacitação de suas equipes para transmissão desse conhecimento aos lojistas e seus clientes. Em relação à apresentação dos produtos, a formulação spot-on foi considerada preferencial por 70% dos lojistas entrevistados, em 2003, e por 80%, em 2011.

As pulgas e carrapatos encontrados nos animais domésticos representam 5% de toda a população destes ectoparasitas; os outros 95% se encontram no ambiente em suas formas imaturas (ovos, larvas e ninfas, no caso dos carrapatos, e ovos, larvas e pupas, no caso das pulgas). Visando combatê-los de forma efcaz, aplica-se o Controle Integrado, processo que consiste no tratamento do ambiente e do animal de forma simultânea, com o objetivo de eliminar todas as fases (imaturas e adultas) dos ectoparasitos (pulgas e carrapatos). Para o tratamento do animal, é recomendada a utilização de ectoparasiticidas tópicos, encontrados na forma de spray ou spot-on (esses aplicados diretamente na pele do animal, na região cervical), utilizados mensalmente ou de acordo com as especifcações do fabricante. A aplicação tópica mensal (ou em intervalos menores, caso seja

necessário) visa combater as formas parasitárias presentes sobre os animais, e que representam apenas 5% de toda a massa de parasitos, estando os 95% restantes no ambiente. Devemos lembrar ainda de recomendar o tratamento de todos os animais presentes na casa (ou fora dela). Um problema comum é quando apenas um animal é tratado (muitas vezes, aquele que permanece dentro de casa em maior contato com os proprietários), enquanto outro permanece sem tratamento (no ambiente externo da casa), perpetuando a infestação ambiental e o insucesso do tratamento. Por fm, deve-se recomendar a limpeza cuidadosa de todos os locais onde o animal permanece a maior parte do tempo, incluindo colchões, camas, casinhas, tapetes etc. Para o tratamento ambiental, devemos levar em consideração o parasito envolvido para entendermos seu ciclo de vida e, então, tratarmos com o produto, frequência e forma adequados.

Pulgas

As pulgas passam por quatro fases durante seu ciclo de vida: ovo, larva, pupa (pouco visíveis a olho nu) e adulto. As pulgas adultas presentes nos animais depositam em torno de 50 ovos por dia, durante um período de até 3 meses em média. Esses ovos são lisos e escorregadios e caem no ambiente, principalmente quando os animais se coçam. Os ovos no ambiente se alojam em carpetes, cobertores e frestas de pisos e eclodem em um período de até 10 dias, transformando-se em larvas, onde se alimentam de restos orgânicos e fezes de pulgas adultas

Dentro de 5 a 11 dias, a larva se transforma em pupa, que é protegida por um casulo. A pupa é capaz de sobreviver no ambiente por mais de seis meses e, em condições ideais de temperatura e umidade, transformam-se em pulgas que fcam à espera de um hospedeiro para iniciar novamente o ciclo. Normalmente, o ciclo de vida se completa entre três e quatro semanas e as pulgas vivem no animal por mais de 100 dias. A partir do quarto dia se alimentando de sangue e se reproduzindo sobre o animal, começam a colocar seus ovos. Se não interrompermos o ciclo, a infestação no animal e no ambiente se torna extremamente incômoda e maléfca à saúde, uma vez que as pulgas podem causar irritação cutânea e transmitir o verme Dipylidium caninum, ou “verme da pulga”. As pulgas podem ainda transmitir a micoplasmose para os gatos (Mycoplasma haemofelis), uma bactéria que pode causar quadros graves de anemia, inclusive levando ao óbito gatos não tratados.

Carrapatos

Os carrapatos passam por quatro fases durante seu ciclo de vida: ovo, larva, ninfa e adulto, e, necessariamente, passam três vezes pelo hospedeiro até que seu ciclo se reinicie. São extremamente resistentes, podendo sobreviver por até dois anos no ambiente. As fêmeas adultas se alimentam em seu primeiro hospedeiro e voltam para o ambiente, onde colocam seus ovos. Os ovos eclodem e as larvas procuram um novo hospedeiro para se alimentar. Antes que evoluam para ninfa, descem do animal e fcam no ambiente por dias, até se tornarem ninfa. Nesta fase, sobem em seu terceiro hospedeiro, se alimentam, descem novamente e então se tornam adultos, onde o ciclo se reinicia.

As larvas podem sobreviver até 568 dias sem se alimentar, sendo, portanto, muito resistentes. As ninfas também suportam longos períodos sem alimento, podendo sobreviver até 180 dias. Em condições ideais de umidade e temperatura, as ninfas se transformam em adultos. Os adultos se fxam nos hospedeiros após a cópula e as fêmeas se encontram totalmente alimentadas entre seis e 50 dias, quando então podem abandonar os animais e começar a postura, que pode durar até 29 dias, depositando aproximadamente 4.000 ovos cada uma. A postura é feita em frestas, muros e até na cobertura dos canis, já que as fêmeas podem escalar até quatro metros de altura.

Independente do ectoparasito envolvido, fca claro que o grande inimigo no combate aos ectoparasitas dos cães e gatos é aquele que o proprietário não vê, ou seja, os ovos, larvas, ninfas e pupas presentes no ambiente. Assim, muitos são os casos onde há o combate da pulga e do carrapato no animal, mas nunca conseguem eliminá-los por completo. Diante disso, pode-se estabelecer um tratamento ambiental amplo, visando exterminar tanto as pulgas quanto os carrapatos, tendo por base seu tempo de ciclo médio (15 dias).

Esquema de tratamento ambienta

• Pulverização de toda a área interna (todos os cômodos) bem como área externa com produto específco para o combate de pulgas e carrapatos no ambiente: canis, quintal, varanda, garagem e casinha do animal. Deve-se atingir todas as frestas nas paredes, muros e pisos. Repetir o tratamento a cada 15 dias, num total de quatro tratamentos. Dia Zero, 15, 30 e 45.

• Após a 4ª aplicação, o tratamento poderá ser feito a cada 15 ou 20 dias, sempre dependendo da infestação animal e ambiental.

• As camas (paninhos, borracha, espumas) podem ser lavadas com parasiticida e deixar secar ao sol forte. Em seguida, fazer lavagem do material retirando resíduos dos produtos.

• Manter a grama aparada (baixa) para que seja possível uma boa penetração solar. Para esta fnalidade, devem ser utilizados produtos específcos para o combate de pulgas e carrapatos presentes no ambiente, e esta indicação deve conter em bula, uma vez que produtos para higiene ambiental diária, como desinfetante e água sanitária, não agem sobre estes parasitos.

Soluções Ceva

Fiprolex Drop Spot

Combate e controla as pulgas e carrapatos nos cães e gatos, uso mensal. Princípio ativo: Fipronil

Mypet Plus Spray

Combate e controla as pulgas e carrapatos nos cães e gatos, uso mensal. Princípios ativos: D-Fenotrina e Piriproxifen

Amipur Cães

Combate e controla pulgas e carrapatos nos ambientes externos. Princípio ativo: Amitraz

Mypet Aerosol

Combate e controla pulgas e carrapatos nos ambientes internos. Princípios ativos: D-Fenotrina e Piriproxifen