Relato de Caso: Dermatite Esfoliativa em Cão

Empresa

Ceva

Data de Publicação

19/10/2015

PDF

Produtos Relacionados

Chiara Noli, DVM, Dipl. ECVD, Ospedale Veterinário Cuneese, Borgo San Dalmazzo (CN), Itália

Histórico

Cão SRD, caquético, 14 meses de idade, nome “Ultimo”. O cão havia sido adotado filhote em um abrigo de animais e sua origem era desconhecida. Não possuía contactantes.

Alimentação à base de atum e arroz, disponível no mercado. Animal estava com normorexia e normodipsia, porém apresentava diarreia. Vacinação incompleta, decorrente de problemas de saúde: diarreia intermitente, perda de peso e hipertermia recorrente a cada três semanas desde poucos meses de vida. Foi feito teste para Leishmania ssp. oito meses antes, com resultado negativo.

O cão havia sido tratado com diversos antibióticos (clindamicina, enrofloxacina) e estava recebendo ciclosporina (5 mg/kg) com pequena melhora na época da primeira consulta. Recebia tratamento regular com Fipronil para controle de pulgas.

A queixa dermatológica dos donos era a “caspa”, que vinha piorando nos últimos meses (Figura 2).

Exame clínico

Animal estava magro e com pelagem opaca. Porém, estava muito alegre e sem outras alterações detectadas.

No exame dermatológico, o cão apresentou esfoliação seca difusa em todo o dorso, com exceção do ventre, cabeça e extremidades. Não foi observado prurido.

Diagnóstico Diferencial

Achava-se que a dermatite esfoliativa seca era decorrente de doença metabólica, infecciosa (erliquiose), parasitária (leishmaniose) ou imunomediada, enquanto a diarreia e a perda de peso (com normorexia) poderiam ter sido causadas por parasitas intestinais, leishmaniose, alergia alimentar, erliquiose ou doença imunomediada.

A hipertermia recorrente poderia ter sido decorrente de infecção (erliquiose, leishmaniose ou outra enfermidade), de doença imunomediada (por exemplo, lúpus) ou ainda de origem desconhecida.

O exame tricoscópico, da fita adesiva e da lâmpada de Wood apresentaram resultados negativos para fungos e parasitas. Foram coletadas amostras de sangue para exame hematológico, pesquisa de dirofilariose e de leishmaniose e amostra de pelos para cultura de fungos.

O resultado do exame microscópico de fezes pelo método de flutuação fecal foi negativo para parasitas intestinais.

Tratamento

Enquanto se aguardava os resultados dos exames, o cão recebeu 10 mg de doxiciclina por kg diariamente, DOUXO® Seb Shampoo semanalmente e DOUXO® Seb Microemulsão a cada dois dias, durante quatro semanas; a administração de ciclosporina foi reduzida para a cada dois dias.

O cão recebeu uma dieta hipoalergênica, considerando-se a possível suspeita de hipersensibilidade alimentar.

Resultados e conclusão

Na consulta de retorno após quatro semanas, o teste para fungos deu resultado negativo e o exame de sangue não revelou nenhuma anormalidade, com exceção de hiperglobulinemia. Os testes para leishmaniose e dirofilariose deram resultado negativo.

A dermatite esfoliativa no cão apresentou bastante melhora, assim como ao estado corporal. Foi recomendado ao dono do animal continuar apenas com o uso semanal de DOUXO® Seb Microemulsão e parar completamente a administração de ciclosporina.

Após oito semanas, o cão continuou apresentando melhora dos sintomas. O dono se recusou a realizar testes de exposição provocativa na dieta e continuou a utilizar um alimento hipoalergênico.