Manual Técnico - Douxo Calm Shampoo

Empresa

Ceva

Data de Publicação

17/09/2018

PDF

Produtos Relacionados

Os novos dados científicos aqui apresentados confirmam que, no âmbito de doenças de pele, é crucial fazer de tudo para restabelecer a integridade da barreira cutânea. É importante avaliar, sobretudo esse fator nos casos de dermatite atópica.

Douxo® Calm oferece uma formulação exclusiva com 6 ingredientes ativos:

Avenantramidas, STIMU-TEX®AS, SK-InfluxTM V, Pseudofilagrina, Lipidure® PMB e Fitosfingosina.

Essa fórmula inovadora utiliza os mais recentes avanços tecnológicos em benefício de cães e gatos.

Douxo® Calm cumpre três objetivos básicos: auxilia no combate a inflamação e prurido cutâneo, estimula a regeneração da barreira cutânea e ajuda no controle da microbiota passível de proliferação na pele (Figura 1).

Auxilia no Controle da Inflamação e do Prurido

A fórmula de Douxo® Calm contém dois ingredientes ativos de efeito sinérgico:

  • As avenantramidas auxiliam no alívio instantâneo do prurido,
  • Um coquetel exclusivo de esteróis vegetais que auxiliam na diminuição dos processos inflamatórios que perpetuam as reações alérgicas. Dessa forma, é possível controlar melhor a inflamação crônica.

Avenantramidas

As avenantramidas são uma fração purificada de extratos de aveia coloidal.

Tais extratos são utilizados há bastante tempo para alívio da coceira e da irritação associadas a diversas doenças cutâneas. Na dermatologia humana, é comum o uso desses extratos vegetais para alívio da dermatite atópica e da psoríase. Porém, por muito tempo não foi possível definir os ingredientes ativos específicos responsáveis pela ação anti-inflamatória da aveia.

A) Origem e Propriedades das Avenantramidas

Um grão de aveia (Avena sativa) é constituído de amido (67%), proteína (14%), lipídios (9%), betaglucanas (6%), matéria inorgânica (3%) e 1% de outros componentes, inclusive as avenantramidas (Figura 2).

As avenantramidas são polifenóis, ou seja, antioxidantes potentes encontrados apenas na camada externa do grão de aveia (mostrado na cor fluorescente na Foto 1) e em pequeníssima quantidade (25 ppm).

Os resultados de testes com várias frações da aveia revelam que o efeito anti-inflamatório deve-se quase que exclusivamente à presença das avenantramidas (Figura 3). Também é observado efeito antioxidante com essa fração.

B) Propriedades Anti-inflamatórias

Mesmo em concentrações bem baixas, as avenantramidas utilizam diversos mecanismos para inibir a liberação de citocinas inflamatórias pelos queratinócitos. Os resultados de testes in vitro foram confirmados in vivo, sendo tais efeitos dose-dependentes.

Mecanismo de Ação

  • As avenantramidas inibem a atividade da luciferase de NF-kB (Fator Nuclear de transcrição Kappa B): essa proteína é um regulador importante da expressão de várias proteínas pro-inflamatórias. Na maioria das células, as proteínas NF-KB são mantidas no interior do citoplasma, ligadas a proteínas inibidoras KB-α (inibidora de NFKB-alfa). Quando as células são expostas a estímulos extracelulares (tal como TNF-α), são ativadas as enzimas que liberam essas proteínas NF-kB. 
  • As avenantramidas também reduzem a degeneração da KB-α e inibem a liberação da IL-8 (Interleucina-8), complementando-se assim o efeito anti-inflamatório descrito acima.

Em estudo recente, foi analisado o mecanismo de ação do efeito anti-inflamatório das avenantramidas.

Foram utilizados dois tipos de agonistas:

  • O composto 48/80, constituído de síntese experimental (poliamina) que induz a secreção de mastócitos serosos, 
  • e a substância P, para estimular a degranulação em mastócitos humanos e a posterior liberação de histamina e 
  • citocinas pró-inflamatórias

O composto 48/80 mimetiza uma resposta imune humoral, enquanto a substância P desencadeia uma resposta imune celular (Figura 4).

As avenantramidas inibem a liberação de histamina e de citocinas pró-inflamatórias qualquer que seja o tipo de reação imune testada (Figura 5), modulando assim tanto a resposta imune humoral como a celular.

Esses dados foram confirmados in vivo. Em camundongos, a aplicação tópica de avenantramidas provocou redução estatisticamente significativa de reações de hipersensibilidade de contato (Figura 6). Em modelo experimental, a frequência da coceira diminuiu 41% (Figura 7), ou seja, resultado equivalente ao efeito da hidrocortisona. Além dessa ação na cascata inflamatória, as avenantramidas modulam a resposta nociceptiva associada ao prurido.

Um estudo controlado em humanos, mostrou a redução estatisticamente significativa do eritema e do prurido induzidos pela histamina.

Nesse estudo com dez indivíduos, a solução de histamina foi aplicada em seis locais diferentes por indivíduo, sendo cada um deles o seu próprio controle. Foi utilizada uma solução à base de avenantramidas com aplicação tópica para reduzir o prurido, o eritema e o edema em mais de 90% (Quadro 1). Foram então comprovados os benefícios clínicos das avenantramidas.

Propriedades Antioxidantes Com Várias Aplicações

As avenantramidas são polifenóis conhecidos pelo efeito antioxidante.

Especialmente sua ação anti-inflamatória e antiproliferativa pode desempenhar papel de proteção contra certas patologias em humanos, tais como as doenças coronarianas e o câncer de cólon. De fato, o risco de câncer de cólon é menor em pessoas que consomem cereais integrais, como a aveia, e acredita-se que as avenantramidas estejam envolvidas nessa função de proteção.

Esse efeito antioxidante também é benéfico em termos dermatológicos, ao limitar a expressão de radicais livres que contribuem para o ciclo vicioso da inflamação.

Em Resumo

As avenantramidas são polifenóis com fortes propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. De fato, o efeito antipruriginoso dos extratos de aveia coloidal baseia-se quase que exclusivamente na presença das avenantramidas.

Os resultados conhecidos sobre os efeitos das avenantramidas respaldam seu uso no tratamento adjuvante da dermatite atópica, com a finalidade de reduzir as doses de corticosteroides geralmente administrados.

STIMU-TEX®AS

STIMU-TEX®AS é um complexo vegetal. Como integrante da fórmula de Douxo® Calm, ele ajuda a complementar o efeito anti-inflamatório iniciado pelas avenantramidas, auxiliando no controle de inflamação persistente. STIMUTEX®AS contém cera de bagaço (de cevada) misturada a frações selecionadas de manteiga de karité e óleo de argan. Esses três extratos vegetais são amplamente conhecidos na medicina tradicional pelo efeito calmante, anti-histamínico, anti-inflamatório, confirmado pelos resultados de estudos clinicamente controlados.

A) Composição

A cera de bagaço derivada da cevada possui ação anti-inflamatória e anti-histamínica direta, ao inibir a interleucina IL-1α. É muito rica em ácido linoleico, ácido graxo essencial que possibilita à epiderme atuar como “impermeabilizante”.

O óleo de argan é extraído das castanhas de uma árvore cultivada exclusivamente no Marrocos: Argania spinosa (da família Sapotaceae). Esse óleo é utilizado na medicina tradicional desse país, tanto em aplicação tópica como em alimentos para o tratamento de problemas dermatológicos. O óleo de argan possui concentração bem elevada de vitamina E, ácido linoleico, carotenoides e outros ácidos graxos insaponificáveis. Ele contribui para a ação anti-histamínica de STIMU-TEX®AS

A manteiga de karité também é derivada do óleo das castanhas de uma árvore da família Sapotaceae: a Butyrospermum Parkii. As propriedades calmantes da manteiga de karité já eram conhecidas no Egito há no mínimo 2000 anos. Ela possui ação anti-inflamatória (inibição da interleucina IL-1α). Seu alto teor de ácidos graxos essenciais fortalece a barreira cutânea.

B) Potentes Propriedades Anti-inflamatórias e Anti-histamínicas

  • Resultados em testes de laboratório

Em testes in vitro, o efeito inibidor de STIMU-TEX®AS na secreção da interleucina-1α, importante mediador inflamatório, foi considerado equivalente ao da dexametasona (Figura 8).

As propriedades anti-histamínicas também foram demonstradas in vitro. Sob condições de teste, STIMU-TEX®AS bloqueou totalmente a bioatividade de 1µM de histamina.

Resultados em Testes Clínicos

A eficácia anti-histamínica de STIMU-TEX®AS em humanos foi pesquisada na Universidade de Iena (Alemanha, Elsner P). A pele de dez voluntários sadios foi tratada por ionoforese no antebraço (técnica que utiliza a aplicação de corrente elétrica baixa para transportar moléculas pela pele). Os resultados observados após a administração de histamina por ionoforese foram comparados aos obtidos nos indivíduos de controle que receberam apenas água destilada:

  • A administração de água destilada não causou nenhuma reação cutânea - indivíduo de controle negativo.
  • A administração de histamina provocou alterações na perfusão cutânea (observada por meio de sistema de imagens a laser doppler) e a formação de vergões (medição computadorizada da superfície cutânea) - indivíduo de controle positivo.
  • A aplicação de STIMU-TEX®AS reduziu significativamente as reações induzidas pela histamina (Figura 9).

C) Efeito na Qualidade da Barreira Cutânea

Em paciente atópicos, a barreira cutânea danificada não oferece proteção adequada contra a penetração de alérgenos ambientais, facilitando assim, a sensibilização a alergias. STIMU-TEX®AS consegue melhorar a eficiência da barreira cutânea por atuar como preenchedor, hidratante, anti-irritante. 

Em Resumo

STIMU-TEX®AS é uma associação de substâncias vegetais ativas: cera de bagaço de cevada, manteiga de karité e óleo de argan. Sua eficácia baseia-se nos componentes insaponificáveis (ácidos graxos essenciais, fitoesterois) que atuam de forma sinérgica para bloquear a cascata inflamatória.

STIMU-TEX®AS auxilia no controle de reações cutâneas alérgicas, reduzindo os processos inflamatórios e reconstruindo a barreira cutânea (Figura 10).

Regeneração da Barreira Cutânea

O controle do prurido e da inflamação ajuda a quebrar o ciclo vicioso da atopia e previne lesões auto infligidas. Porém, isso não é suficiente para animais atópicos, visto que foi comprovado que sua barreira cutânea apresenta danos genéticos primários que estimulam o desenvolvimento de reações alérgicas.

Portanto, as lesões na epiderme não são decorrentes apenas do prurido e da inflamação: elas também são resultado de uma barreira cutânea intrinsicamente frágil que precisa ser protegida o máximo possível.

A fórmula de Douxo® Calm foi desenvolvida para estimular a regeneração do estrato córneO com o componente fitosfingosina, pró-ceramida universal que reestrutura a barreira cutânea e está presente na fórmula de Douxo® Calm.

Para complementar e reforçar sua ação, é utilizada uma nova substância ativa resultante das pesquisas mais recentes: SK-InfluxTM V. Além disso, foram adicionados à fórmula mais dois ingredientes ativos para otimizar a reconstrução da barreira cutânea.

2.1. SK-InfluxTM V

Esse complexo tem por objetivo reconstruir ao máximo a barreira cutânea, estimulando a regeneração do estrato córneo.

SK-InfluxTM V fornece todos os componentes essenciais para a síntese de lipídeos epidérmicos no estrato córneo:

  • Fitosfingosina,
  • Complexo de ceramidas (ceramidas 1, 3, 3B e 6),
  • Colesterol vegetal semi-sintético (para evitar qualquer risco de reação a possíveis traços de proteína animal),
  • Ácidos graxos livres. 

SK-InfluxTM V caracteriza-se por uma estrutura multilamelar que se assemelha à contida no estrato córneo (Foto 2).

A) Mecanismo de Ação

SK-InfluxTM V é um componente biomimético: é rapidamente integrado ao cimento lipídico e seus componentes penetram fundo para auxiliar na regeneração da pele. Graças à similaridade de sua estrutura multilamelar com o estrato córneo, SKInfluxTM V preenche as áreas deficientes em lipídeos (Figura 11).

B) Excelente Penetração 

A altíssima capacidade de integração dos componentes de SK-InfluxTM V no cemento lipídico do estrato córneo, foi demonstrada em estudo conduzido pelo Instituto Dows da Universidade de Iowa (Estados Unidos). Foram comparadas três formulações diferentes, todas com a mesma concentração (0,5%) de ceramida 6 radiomarcada com C14.

Formulação 1: Emulsão óleo/água com éster de sorbitan etoxilado,

Formulação 2: Emulsão óleo/água com éster de poliglicerol,

Formulação 3: Sistema multilamelar SK-InfluxTM V.

As formulações foram aplicadas em uma amostra isolada de estrato córneo (1,5 cm x 1,5 cm). A aplicação tópica foi deixada no local por uma hora e depois removido o excesso: esse procedimento foi repetido três vezes.

Em seguida foram retiradas dez camadas do estrato córneo para causar o rompimento da barreira cutânea (método da fita adesiva). A radioatividade de cada uma das bandas foi medida por meio de contagem por cintilação líquida.

Ao final, foi o sistema multilamelar SK-InfluxTM V que demonstrou a maior incorporação de ceramida 6 radiomarcada: esse complexo aumenta a biodisponibilidade da ceramida 6 em mais de 38% em comparação a outras emulsões óleo/água. As quantidades de ceramida 6 medidas nas camadas inferiores também são maiores do que observado com as outras emulsões. Portanto, a penetração profunda dos lipídeos nos tecidos é otimizada com SK-InfluxTM V (Figura 12).

C) Regeneração Da Barreira Cutânea

O efeito regenerador de SK-InfluxTM V na barreira cutânea foi avaliado em teste com amostra de pele de suínos. A pele foi primeiro submetida a irritação artificial por meio da aplicação repetida de acetona e o rompimento da barreira cutânea foi quantificado pela medição da TEWL (perda de água transepidermica).

SK-InfluxTM V foi então aplicado durante 20 horas e uma segunda medição da perda de água transepidérmica (TEWL) foi realizada, com o objetivo de quantificar a regeneração da barreira.

A comparação com o produto de controle (constituído de um sistema lamelar livre de lipídeos) revelou que o percentual de pele regenerada foi significativamente maior (p<0,05) com o uso de SKInfluxTM V, comprovando que esse complexo é eficaz em auxiliar a reconstrução da barreira cutânea (Figura 13).

O efeito da aplicação tópica de produto semelhante a SK-InfluxTM V na pele foi analisado em 182 pacientes (humanos) com dermatite atópica ou alergia de contato. Os dermatologistas avaliaram a severidade dos sintomas (secura da pele, prurido e eritema) na 4ª e 8ª semanas, respectivamente, após a aplicação. Os resultados mostraram melhora clínica estatisticamente significativa (Figura 14).

Em Resumo

SK-InfluxTM V é eficaz em auxiliar a regeneração da barreira cutânea danificada em pacientes atópicos.

O efeito de SK-InfluxTM V reflete clinicamente no aumento da hidratação da pele e na redução de reações de hipersensibilidade.

Ao melhorar a função da barreira cutânea, esse complexo inibe a penetração de alérgenos, contribuindo assim para a prevenção de recidivas em animais atópicos.

Fitosfingosina

A desorganização da pele e o prurido (que cria lesões) fomentam o crescimento de flora residente. Em animais atópicos, as anomalias na membrana dos corneócitos também estimulam a fixação do Staphylococcus intermedius e seu crescimento na superfície da pele.

Quando isso ocorre, observa-se a presença de colônias absurdamente grandes de bactérias que se multiplicam de forma proporcional à severidade das lesões. Trata-se do Supercrescimento Bacteriano (BOG).

Esse mesmo fenômeno pode ser observado com leveduras, como Malassezia; nesse caso, trata-se do Supercrescimento de Malassezia (MOG). Portanto, é essencial controle da microbiota da pele para limitar complicações. E esse é o papel da fitosfingosina, uma vez que repara a barreira cutânea evitando a proliferação anormal da microbiota da pele.

3.1. Precursor Universal De Ceramidas

A fitosfingosina é um componente natural das ceramidas (3, 6 e 9) que constituem o filme hidrolipídico da pele. A aplicação da fitosfingosina estimula a síntese total de ceramidas pelos queratinócitos.

A fitosfingosina também ativa o anabolismo proteico e desempenha inúmeros papéis: a formação de desmossomas, a criação do citoesqueleto queratinoso e a hidratação cutânea (por meio da síntese da filagrina, precursora do Fator de Hidratação Natural ou NMF). Em termos gerais, a fitosfingosina estimula a integridade da barreira epidérmica.

Em Resumo

A fitosfingosina, presente em toda a linha Douxo® possui a capacidade de reconstrução da barreira cutânea e efeito regulador da microbiota na superfície da pele.

Pseudofilagrina

A função da pseudofilagrina é promover a hidratação da pele. Uma das funções essenciais da barreira cutânea é limitar a perda de água transepidérmica (TEWL) para proteger o corpo contra a desidratação.

Entre as moléculas que contribuem para manter a pele hidratada, é importante destacar a filagrina e a involucrina. Esses dois polipeptídeos são proteínas que estão ligadas a filamentos de queratina. A degradação da filagrina produz o Fator de Hidratação Natural (NMF), que é essencial para a hidratação da pele (Figura 15).

A) Peptídeo Rico em Glutamina

Ao que tudo indica, um aminoácido específico, a glutamina, desempenha papel importante nos polipeptídeos que fazem a ligação entre a estrutura lipídica lamelar e as proteínas na pele.

A glutamina, derivada do ácido glutâmico, também pode ser suprida na dieta: a suplementação é considerada benéfica para pacientes em recuperação e/ ou pacientes sob estresse. Parece estar cada vez mais evidente que níveis baixos de glutamina no plasma e nos músculos alteram o status imune. 

É com base nesses dados que a pseudofilagrina foi desenvolvida. Trata-se de uma fração de peptídeo rica em glutamina obtida a partir de leveduras. O consumo da pseudofilagrina tem por objetivo melhorar as funções da involucrina e da filagrina, promovendo assim a integridade da barreira cutânea.

B) Conservação da Hidratação da Pele

Vários testes mostraram que a pseudofilagrina aumenta a capacidade de retenção de água na pele em animais atópicos e, portanto, contribui para a hidratação da epiderme.

Doze indivíduos (8 do sexo masculino e 4 do sexo feminino, com idade entre 24 e 37) participaram de um estudo para confirmar a importância da pseudofilagrina para a eficiência e a função de hidratação da barreira cutânea. No início do estudo, foram medidas a hidratação da pele e a TEWL do antebraço a fim de obter valores de referência.

Os participantes aplicaram o produto no antebraço duas vezes por dia durante uma semana, todos seguindo o mesmo protocolo. Cada um dos indivíduos foi seu próprio controle: o antebraço não tratado atuou como controle.

Após uma semana de tratamento, foi aplicado um adesivo (contendo lauril sulfato de sódio a 3%) em ambos os antebraços durante 24 horas para causar dano à barreira cutânea. A TEWL e a hidratação da pele foram medidas aos 5, 15, 30, 45 e 60 minutos após a retirada do adesivo.

Foi observado aumento acentuado da TEWL após a retirada do adesivo, o que confirma o rompimento da barreira cutânea. Depois, os valores da TEWL apresentaram queda gradual nos 60 minutos seguintes. As áreas tratadas apresentaram valores mais baixos de TEWL (Figura 16).

A capacidade de hidratação da pseudofilagrina foi avaliada por corneometria. Esse método é utilizado para cálculo do índice de hidratação cutânea (em unidades arbitrárias) nas camadas superficiais da epiderme.

A corneometria não identificou nenhuma capacidade de hidratação direta da pseudofilagrina (Figura 17). Portanto, isso indica que os efeitos positivos da pseudofilagrina residem na sua capacidade de conservar a integridade da barreira cutânea, o que resulta na redução da perda imperceptível de água, mantendo-se assim a hidratação (efeito indireto).

Em Resumo

A pseudofilagrina é um peptídeo sintético.

Os resultados clínicos indicam que a pseudofilagrina estimula a regeneração da barreira cutânea e contribui indiretamente para a limitação da perda de água transepidérmica.

LIPIDURE® PMB

Lipidure® PMB é um polímero sintético de fosforilcolina. A estrutura de seu grupo catiônico confere forte afinidade com a queratina.

A estrutura química de Lipidure® PMB foi desenvolvida para permitir que seja totalmente absorvido nas bicamadas fosfolipídicas que constituem as membranas celulares (Figura 18). Após a aplicação, Lipidure® PMB liga-se ao pelo e à epiderme em menos de 30 segundos, permanecendo por vários dias.

A) Propriedades De Hidratação

Lipidure® PMB age simultaneamente em dois níveis para favorecer a hidratação cutânea.

  • A estrutura de Lipidure® PMB é semelhante à do Fator de Hidratação Natural (NMF) que capta e retém água no estrato córneo. Atua de forma sinérgica com os mecanismos de hidratação natural da pele.
  • Graças à sua natureza lipolítica, Lipidure® PMB fortalece a estrutura lamelar dos lipídeos da pele, auxiliando assim a limitar a Perda de Água Transepidérmica (ou TEWL). Essa “função dual” permite que Lipidure® PMB proporcione alívio à pele seca.

Lipidure® PMB também age na pele: promove hidratação cutânea (Figura 19) e ajuda na regeneração das áreas danificadas da haste capilar, ao ligar-se a essas áreas.

B) Fortalecimento de Longo Prazo da Barreira

Lipidure® PMB também liga-se aos primeiros micrômetros do estrato córneo, formando um hidrogel de proteção (Foto 3) que permanece na superfície da camada cutânea viva, mesmo após várias lavagens. 

Em Resumo

Lipidure® PMB é um poderoso hidratante. Hidrata tanto diretamente, ao captar e reter água, como indiretamente, ao limitar a perda de água transepidérmica ou TEWL.

Referencias

Sur R, Nigam A, Grote D et al - Avenanthramides, polyphenols from oats, exhibit anti-inflammatory and anti-itch activity. Arch Dermatol Res 2008; 300: 569-574.

Lee-Manion AM, Price RK, Strain JJ, et al - In vitro antioxidant activity and antigenotoxic effects of avenanthramides and related compounds. J Agric Food Chem 2009; 57(22): 10619-10624.

Cerio R, Dohil M, Downie J, et al. – Mechanism of action and clinical benefits of colloidal oatmeal for dermatologic practice. J Drugs Derm 2010; 9: 1116-1119.

Schaums G. Oat avenanthramides: new actives to reduce itch sensations in skin. Presented at 23th Congress of International Federation of Societies of Cosmetic Chemists; October 24-27, 2004, Orlando FL.

Données internes Ceapro Inc.

Fagerlund A. et al. Radical-scavenging and antioxidant activity of avenanthramides. Food Chemistry 2009; 113: 550-556

Guo W et al. Avenanthramides inhibit proliferation of human colon cancer cell lines in vitro. Nutr Cancer. 2010; 62(8): 1007-16.

Liu L. et al. The antiatherogenic potential of oat phenolic compounds. Atherosclerosis 2004 Juil; 175(1): 39-49.

Données internes DSM Nutritional Products.

Wollenweber U, Korevaar K, Rawlings AV, et al. Application of a skin-identical lipid concentrate for enhanced skin moisturization and protection. SOFW Journal 2004; 9: (130); 12-18.

Berardesca E, Barbareschi M, Veraldi S, et al. Evaluation of efficacy of a skin lipid mixture in patients with irritant contact dermatitis, allergic contact dermatitis or atopic dermatitis: a multicenter study. Contact Dermatitis 2001; 45(5): 280-285.

Maltoltsy, AG et al. Characterization of the keratin polypeptides of normal and psoriatic horny cells”, Jrnl Invest Derm 1983; 80: 185-188.

Lacey JM, Wilmore DW - Is glutamine a conditionally essential amino acid? Nutr Rev 1990; 48: 297-309.

Souba, WW, Herskowitz K, Salloum RM, et al - Gut glutamine metabolism. J Parenter Enteral Nutr 1990; 14: 45-50.

Wagemaakers AJM - Amino acid metabolism, muscular fatigue and muscular wasting. Int J Sports Med 1992; 13: 110-113.

Données internes Arch Personal Care Products, 2006.

SPC Asia, Mars 2004.

Tsuchida M, Shimada K - 2003, C&T. 118: 63-68.

Documentation Evonik Personal care.

Farwick M. et al. Antimicrobial and Anti-inflammatory activity and efficacy of phytosphingosine: An In vitro and In vivo Study Addressing Acne Vulgaris. Cosmetic Science Technology 2008; 143-147.