Bull Terrier

Nome da Raça

Bull Terrier

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 20-24 kg. Machos: 24-29 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 53-55 cm. Machos: 53-55 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Brincalhão, enérgico e charmoso

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

O Bull Terrier descende de cães usados para luta com touros desde a Idade Média, e posteriormente, no século XIX, virou moda que os cães lutassem entre si e contra todo tipo de animal selvagem ou doméstico.

Na busca por cães que juntassem uma série de características físicas como força, agilidade, coragem e poder de mordida, deu-se origem a diversas raças como Bull Terrier, Pitt Bull, entre outras. Porém foi James Hinks quem primeiro padronizou o tipo da raça nos idos de 1850, selecionando a cabeça em forma de ovo.

A raça foi mostrada pela primeira vez, em sua forma atual, em Birmingham em 1862. O Bull Terrier Club foi formado em 1887.

Algo verdadeiramente interessante sobre a raça é que o padrão diz deliberadamente: “não há limites de peso nem de altura, mas o cão deve dar a impressão de máxima substância para seu tamanho, condizente com suas qualidades e o sexo. O cão deve ser, a todo o momento, equilibrado”.

Menores exemplares do Bull Terrier eram conhecidos desde o princípio do século XIX, mas perderam a popularidade antes da Primeira Guerra Mundial e foram removidos dos registros do Kennel Club da raça em 1918.

Em 1938, uma recuperação da raça foi encabeçada pelo Coronel Richard Glyn e um grupo de amigos entusiastas que fundaram o “Miniature Bull Terrier Club”. O padrão é o mesmo do Bull Terrier, com exceção do limite de altura, que não deve exceder 35,5 cm.

A raça foi reconhecida pela FCI, em 1993, pela AKC, em 1885, e o padrão oficial válido para CBKC é de 2011.

Nome original

Bull Terrier

País de origem

Grã-Bretanha

Características gerais

Aspectos raciais

De construção forte, musculoso, bem balanceado e ativo com uma expressão viva, determinada e inteligente.

Uma característica singular é sua cana nasal descendente e a cabeça em forma de ovo. A trufa deve ser preta, bem inclinada para baixo na ponta e as narinas bem desenvolvidas. Olhos de aparência estreita e triangulares, obliquamente colocados; pretos ou marrons nos tons mais escuros possíveis, de maneira a parecer quase preto e com uma expressão penetrante. Olhos azuis ou parcialmente azuis são indesejáveis. Suas orelhas são pequenas, finas e erguidas.

A pelagem é curta, plana, densa, áspera ao toque e brilhante. O subpelo macio pode estar presente no inverno.

São aceitáveis as cores: pura pelagem branca, preto, tigrado, vermelho, fulvo e tricolor. Pequenas marcas na pelagem branca são indesejáveis. Azul e fígado são altamente indesejáveis. Independentemente do tamanho, os machos devem parecer masculinos e as fêmeas femininas.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Bull Terrier é uma raça ativa, brincalhona e que adora mastigar, por isso é necessário mantê-los entretidos com brinquedos e atividades físicas diárias para evitar que causem estragos em casa.

É disciplinado e inteligente, porém, às vezes, é teimoso e desobediente, o que pode dificultar seu treinamento. Territorialista, que cumpre bem o papel de cão de guarda, podendo ser agressivo em situações de ameaça.

Apesar disso é considerado um cão equilibrado e que gosta de crianças. É aconselhado o adestramento desde filhote, pois é dono de uma poderosa mordida, o que pode gerar risco em um cão indisciplinado.

Os cuidados com a pelagem são mínimos e banhos quinzenais são suficientes para mantê-los limpos.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Displasia de mitral

  • congênito

Estenose aórtica

  • Doença congênita comum
  • Herança possivelmente autossômica dominante com genes modificadores ou poligênicos

Dermatológicas

Foliculite e furunculose nasal

Pododermatite

  • Machos predispostos

Demodicose

- possível predisposição racial

Acrodermatite

  • Herdado como uma característica autossômica recessiva

Síndrome de Waardenburg-Klein

  • Herdado como uma característica autossômica dominante com penetrância incompleta

Dermatite solar

  • Afeta animais brancos

Dermatose responsiva ao zinco

  • ocorre em filhotes alimentados com dietas com deficiência de zinco

Musculoesqueléticas

Osteocondrodisplasia

Luxação de cotovelo congênita

Avulsão da tuberosidade da tíbia

Osteocondrite dissecante

  • afeta cães com 4-6 meses de idade

Paralisia de laringe

  • congênito

Neoplásicas

Queratose actínica

  • animais com oportunidade de exposição à radiação solar por longos períodos

Mastocitoma

  • possível predisposição racial
  • visto em qualquer idade

Carcinoma gástrico

  • predisposição racial

Neurológicas

Surdez congênita

  • sugestão de herança autossômica recessiva

Malformação cerebelar

  • congênito

Oftálmicas

Fissura micropalpebral

  • predisposição racial

Entrópio

  • predisposição racial
  • provável herança poligênica

Ectrópio

  • predisposição racial
  • provável herança poligênica

Prolapso da cartilagem da membrana nictitante

  • predisposição racial
  • geralmente presente antes dos 2 anos de idade

Renais e urinárias

Doença renal policística

  • sugestão de herança autossômica dominante

Doença renal familial

Referências bibliográficas

AKC. Bull Terrier. Disponível em: http://www.akc.org/dog-breeds/bull-terrier/. Acesso em: 22 abr. 2017.

CACHORRO Gato. Ficha do Bull Terrier. Disponível em: http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/bull-terrier/.

CONFEDERAÇÃO Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: American Staffordshire Terrier. Publicado em mar. 2015. Disponível em: http://cbkc.org/padroes/pdf/grupo3/americanstaffordshireterrier.pdf. Acesso em: 12 abr. 2017.

FEDERATION Cinologique Internationale. Bull Terrier. Disponível em: http://www.fci.be/Nomenclature/Standards/359g03-de.pdf. Acesso em: 3 abr. 2017.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predisposition to Disease in Dogs and Cats. Oxford: Blackwell Publishing, 2004, p. 43-44.

GUIA de Raças. Bull Terrier. Disponível em: http://www.guiaderacas.com.br/bullterrier.shtml. Acesso em: 25 abr. 2017.

JERICÓ, M. M.; ANDRADE NETO, J. P. de; KOGIKA, M. M. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Rio de Janeiro: Roca, 2015.

NELSON, R.W.; COUTO, C.G. Medicina Interna de Pequenos Animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015, p. 1512.

TUDO Sobre Cachorro. Bull Terrier. Disponível em: http://tudosobrecachorros.com.br/bull-terrier/. Acesso em: 27 abr. 2017.

Imagem disponível em: http://2puppies.com/wp-content/uploads/2015/09/miniature-bull-terrier-image.jpg.