Bullmastiff

Nome da Raça

Bullmastiff

Porte

Grande

Peso

Fêmeas: 41-50 kg. Machos: 50-59 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 61-66 cm. Machos: 64-69 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Poderoso, firme e confiável

Adestrabilidade

Alta

Introdução

Origem

A história conhecida do Bullmastiff começa por volta do ano 1860, na Inglaterra. A raça evoluiu a partir de cruzamentos entre o antigo Mastiff Inglês e o Bulldog Inglês, resultando essa combinação em um cão atlético e forte, que se provou bem-sucedido para patrulhar grandes áreas.

Primeiramente usado como cão de guarda, ajudava na proteção e apreensão de caçadores ilegais nas grandes propriedades inglesas, pois era um cão que tinha a capacidade de seguir em silêncio, cobrindo distâncias curtas rapidamente.

O Bullmastiff foi aceito como uma raça pelo American Kennel Club em outubro de 1933. Já a data de aceitação do padrão oficial pela Federação Cinológica Internacional ocorreu somente em 1955.

Nome original

Bullmastiff

País de origem

Grã-Bretanha

Características gerais

Aspectos raciais

O Bullmastiff é um cão poderoso, simétrico exibindo muita força, sem ser pesado. Seu crânio é largo e profundo, quadrado, visto de qualquer ângulo. Algumas rugas aparecem quando está alerta, mas não quando em repouso. O stop é bem pronunciado. O focinho é curto e a trufa é larga com narinas amplamente abertas. Lábios não pendentes, nunca ultrapassam o nível da mandíbula que é bem larga até o fim. Sua mordedura em torquês é desejada, no entanto, um leve prognatismo inferior é permitido. Os olhos do Bullmastiff são escuros ou castanhos, de tamanho médio. As orelhas em forma de V, caídas para trás, inserção alta e separadas, no nível do occipital, dando uma aparência quadrada ao crânio, o que é muito importante. São pequenas, de cor mais escura do que o corpo.

O pescoço é bem arqueado, de comprimento moderado, muito musculoso e quase igual em circunferência, ao crânio. Seu dorso é curto e reto, conferindo um porte compacto, mas não tão curto de modo a interferir em sua atividade. Seu tórax é largo e profundo e a região lombar é larga e musculosa.

A cauda é inserida alta, forte na raiz e afinando, alcançando os jarretes, portada reta ou curvada.

Os membros são bem separados, de boa ossatura e musculosos, oblíquos e poderosos, mas não sobrecarregados. As patas são bem arqueadas, tipo de gato, com dedos arredondados e coxins duros.

Sua movimentação indica potência e objetividade. Em movimento reto, nem os anteriores nem os posteriores se entrecruzam ou causam interferência.

A pelagem do Bullmastiff é curta e dura, resistente a intempéries, bem assentada em todo o corpo. A coloração pode ser de qualquer tonalidade de tigrado, fulvo ou vermelho. A cor deve ser pura e nítida. Uma pequena mancha branca no antepeito é permitida. Máscara preta é essencial, como também tons escuros em direção aos olhos que são contornados de preto, o que contribui para a expressão típica.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Bullmastiff é inteligente, observador e confiável, tanto física quanto mentalmente. Sua autoconfiança, coragem e defesa contra invasores é lendária. Esses cães são protetores devotos de suas casas.

Uma característica importante do estilo de guarda do Bullmastiff é que são cães que acoam o invasor, perdendo-o sem atacar de fato. São muito ligados em seus tutores, protegendo-os a qualquer sinal de ameaça. São amáveis com crianças, mas é necessária a supervisão de um adulto nas brincadeiras com Bullmastiff, em função de seu tamanho.

Também pelo seu porte físico, os Bullmastiffs devem receber uma educação, rígida e equilibrada desde filhotes. A socialização adequada e os limites devem ser estabelecidos logo cedo para que não desenvolva um comportamento indesejável.

Apesar de sua constituição física, o Bullmastiff se adapta bem à vida em quintais na cidade, até mesmo em apartamentos, mas mesmo não sendo excessivamente ativo, necessita de passeios diários. Durante o seu desenvolvimento, quando filhote, a atividade física deve ser moderada para evitar problemas musculoesqueléticos. Eles possuem certa tendência à obesidade, por isso a dieta destes cães deve ser equilibrada e coerente com seu gasto energético. Para sua pelagem, basta escová-la semanalmente. Banhos são recomendados, somente quando necessário.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Estenose valva pulmonar

- Terceira doença congênita mais frequente nesta raça

- Herança poligênica suspeita

Dermatológicas

Foliculite e furunculose nasal

- Susceptibilidade genética

Pododermatite

- Machos mais predispostos

- Mãos mais comumente afetadas

Gastrointestinais

Dilatação gástrica

- Predisposição da raça

Musculoesqueléticas

Luxação do cotovelo

- Normalmente manifesta-se de 4 a 5 meses de idade

Displasia coxofemoral

- Muito frequente nesta raça

Cranial ruptura do ligamento cruzado

Fenda palatina/ lábio leporino

- Fatores genéticos hereditários, nutricionais, terapia com certos fármacos durante o período gestacional, fatores hormonais e estresse emocional

Neoplásicas

Linfossarcoma

- Incidência familiar relatada

Tumores de mastócitos

- 20 a 25% dos tumores de pele e subcutâneos

Neurológicas

Abiotrofia cortical cerebelar

- O desenvolvimento normal do cerebelo ocorre primeiro e é seguido de degeneração progressiva e precoce dos neurônios, principalmente das células de Purkinje

- Ocorre de 4 a 28 semanas

- Cursa com hidrocefalia moderada a grave

Encefalopatia espongiforme da substância cinzenta

- Transmissão hereditária

- Displasia oligodendroglial

Encefalopatia espongiforme da substância branca

- Ruptura das bainhas de mielina

Oftálmicas

Entrópio

- Predisposição da raça

- Herança poligênica provável

Ectrópio

- Predisposição da raça

- Herança poligênica provável

Fissura macro palpebral

- Predisposição da raça;

Distiquíase

- Predisposição da raça

Membranas pupilares persistentes

- Herança suspeita

Glaucoma

- Possível predisposição da raça

Displasia retiniana multifocal

- Predisposição da raça

- Herança autossômica recessiva suspeita

Renais e urinárias

Urolitíase por cálculo de cistina

- A cistinúria resulta de um defeito hereditário no transporte tubular renal de cistina

- A média de idade no diagnóstico é de 1- 8 anos

- Machos parecem mais predispostos

Nefrite hereditária – Síndrome de Alport

- Nefropatia juvenil resultante de defeito genético na membrana basal glomerular

Nefropatia com perda de proteínas

- Presença de proteinúria, hipoalbuminemia, hipercolesterolemia e, na maioria das vezes, azotemia

- Causas genéticas implicadas no desenvolvimento de nefropatia com perda de proteínas são resistentes ao tratamento com esteroides

Glomerulonefrite

Reprodutivas

Hiperplasia vaginal

- Predisposição da raça

Referências bibliográficas

AKC. Bullmastiff. Disponível em: http://www.akc.org/dog-breeds/bullmastiff/. Acesso em: 13 abr. 2017.

CACHORRO Gato. Ficha do Bullmastiff. Disponível em: http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/bullmastiff/. Acesso em: 16 abr. 2017.

CHIEN. Bullmastiff. Disponível em: https://www.chien.fr/race/bullmastiff/. Acesso em:14abr.2017.

CBKC.Bullmastiff.Disponívelem:https://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo2/bullmastiff.pdf. Acesso em: 12 abr. 2017.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predisposition to Disease in Dogs and Cats.1. Ed. Oxford: Blackwell Publishing, 2004, p. 41.

GUIA de Raças. Bullmastiff. Disponível em: http://www.guiaderacas.com.br/bullmastiff.shtml. Acesso em: 17 abr. 2017.

JERICÓ, M. M.; DE ANDRADE NETO, J. P.; KOGIKA, M. M. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Rio de Janeiro: Roca, 2015, p. 2464.

NELSON, R.W.; COUTO, C.G. Medicina Interna de Pequenos Animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015, p. 1512.

Imagem disponível em: https://dogsbreedsinformation.files.wordpress.com/2014/05/bullmastiff1.jpg.