Staffordshire Bull Terrier

Nome da Raça

Staffordshire Bull Terrier

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 11-15,4 kg. Machos: 12,7-17 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 35,5-40,5 cm. Machos 35,5-40,5 cm

Nível de atividade

Muito alta

Temperamento

Destemido, tenaz e brincalhão

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

O Staffordshire Bull Terrier foi originado na Grã-Bretanha do século XIX, com o objetivo de se obter um cão para combates.

Na região de Staffordshire, Inglaterra, durante os anos de 1800, confrontos caninos eram muito populares. Em função disso, o Staffordshire Bull Terrier foi desenvolvido a partir do cruzamento de cães tipo Bull e tipo Terrier, principalmente o Old English Bulldog, o Old English Terrier e o atualmente extinto White English Terrier, para ser um lutador feroz.

Aos poucos, com a proibição dos combates caninos, o Staffordshire Bull Terrier deixou de ser um gladiador agressivo e tornou-se um cão de companhia, com temperamento agradável. O padrão da raça foi estabelecido em 1974 pela AKC e, em 4 de junho de 1987, pela FCI.

Nome original

Staffordshire Bull Terrier

País de origem

Grã-Bretanha

Características gerais

Aspectos raciais

Musculoso, ativo e ágil, o Staffordshire Bull Terrier é um cão bem balanceado que possui uma grande força para seu tamanho.

Possui uma cabeça curta, com o crânio profundo e largo com stop distinto. O focinho é curto com a trufa preta. Os maxilares são muito fortes e os dentes grandes, com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura. Os lábios são cerrados e secos e as bochechas, por sua vez, apresenta, músculos muito pronunciados. Os olhos do Staffordshire Bull Terrier são de preferência escuros, mas é tolerado alguma relação com a cor da pelagem. Redondos e de tamanho médio são inseridos de forma a olhar para a frente. As bordas das pálpebras são pretas. As orelhas são em rosa ou semieretas, nem grandes nem pesadas.

O Staffordshire Bull Terrier possui pescoço musculoso, bastante curto, de bom formato, alargando gradualmente para os ombros. Seu tronco apresenta o dorso curto com a linha superior plana. Seu tórax profundo tem frente larga, costelas bem arqueadas e músculos muito definidos. A cauda é de tamanho médio, inserida baixa, afinando para a ponta e portada baixa.

Os membros torácicos são retos e de boa ossatura, colocados de preferência, afastados entre si, não mostrando nenhuma fraqueza nos metacarpos, nos quais a ponta das patas são viradas um pouco para fora. Os membros pélvicos também são bem musculosos, paralelos, quando vistos por trás. Mãos e pés são fortes e de tamanho médio, tendo coxins bem desenvolvidos. O Staffordshire Bull Terrier possui movimentação livre, poderosa e ágil, com economia de esforço e perceptível propulsão dos membros pélvicos.

A pelagem é formada por pelos curtos, lisos e assentados. A coloração pode ser vermelho, fulvo, branco, preto ou azul ou qualquer uma dessas cores com branco. Qualquer sombreado de tigrado ou qualquer sombreado de tigrado com branco. Preto e castanho (black and tan) ou cor de fígado são altamente indesejáveis.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Staffordshire Bull Terrier é um caçador de extrema habilidade e resistência, conserva altos níveis de coragem, inteligência e tenacidade. São cães alegres, extrovertidos e estáveis. Afetuosos, são equilibrados e com uma personalidade destemida.

O Staffordshire Bull Terrier é um cão voltado para a família, que não se amedronta facilmente, sendo um bom guardião. Dá-se bem com as crianças e com os idosos, mas pode ser um pouco teimoso.

Por isso sua educação e socialização devem ser iniciadas bem cedo, ainda quando filhote, trabalhada de maneira séria e equilibrada para que o cão não apresente problemas de comportamento na idade adulta. Um bom controle, com exercícios, disciplina e afeto desde tenra idade são essenciais para seu desenvolvimento correto.

O Staffordshire Bull Terrier pode adaptar-se em um apartamento, entretanto, é muito importante que faça exercícios regularmente e longas caminhadas diárias, mesmo morando em uma casa com mais espaço.

Sua pelagem não exige cuidados especiais, recomendando-se escovações eventuais e banhos quando necessário.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Dermatológicas

Displasia folicular canina

  • Frequente nesta raça
  • Perda de pelo inicia-se de 2 a 4 anos de idade
  • Ocorre principalmente no flanco

Endócrinas

Hiperadrenocorticismo: dependente da hipófise (PDH)

  • Possível predisposição da raça
  • Cães de meia-idade / mais velhos
  • 55-60% fêmeas

Musculoesqueléticas

Extrusões traumáticas de discos intervertebrais

  • Repentina ruptura explosiva do anel fibroso
  • Raça predisposta

Miotonia

  • Distúrbio muscular
  • Causa a contração involuntária do músculo, que persiste após o movimento voluntário ou estimulação

Sinovite Linfoplasmocítica

  • Nenhum sinal de doença sistêmica
  • Ruptura do ligamento cruzado cranial
  • Linfócitos e plasmócitos no líquido sinovial

Neoplásicas

Tumores de mastócitos

  • Predisposição da raça
  • Geralmente observada em animais mais velhos

Tumor pituitário resultando em hiperadrenocorticismo

Neoplasias gástricas

  • Elevado risco observado nesta raça
  • Cães machos mais comumente afetados
  • Idade da ocorrência: 8-10 anos

Oftálmicas

Catarata

  • Herança autossômica recessiva

Renais e urinárias

Aminoacidúria

  • Geralmente defeito hereditário
  • Maior frequência em machos

Referências bibliográficas

AKC. Stafforshire Bull Terrier. Disponível em: http://www.akc.org/dog-breeds/staffordshire-bull-terrier/. Acesso em: 23 abr. 2017.

BLOG do Cachorro. Stafforshire Bull Terrier. Disponível em: http://www.blogdocachorro.com.br/racas-de-cachorros/staffordshire-bull-terrier/. Acesso em: 25 abr. 2017.

CHIEN. Stafforshire Bull Terrier. Disponível em: https://www.chien.fr/race/staffordshire-bull-terrier/. Acesso em: 27 abr. 2017.

CONFEDERAÇÃO Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Stafforshire Bull Terrier.Disponívelem:http://cbkc.org/padroes/pdf/grupo3/staffordshirebullterrier.pdf. Acesso em: 22 abr. 2017.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predisposition to Disease in Dogs and Cats: Blackwell Publishing, 2004, p. 70.

GUIA de Raças. Stafforshire

JERICÓ, M. M.; DE ANDRADE NETO, J. P.; KOGIKA, M. M. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. Rio de Janeiro: Roca, 2015, p. 2464.

NELSON, R. W.; COUTO, C. G. Medicina Interna de Pequenos Animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015, p. 1512.

SBTCA. Breed History. Disponível em: http://www.sbtca.com/index.php?option=com_content&view=article&id=12&Itemid=13. Acesso em: 23 abr. 2017.

Imagem disponível em: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/0a/42/a6/0a42a60552fb24f62cf38a72cce8caee.jpg.