Pequeno Spaniel Continental

Nome da Raça

Pequeno Spaniel Continental

Porte

Pequeno

Peso

Fêmeas: 1,5-2,5 kg. Machos: 2,5-4,5 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 20-28 cm. Machos: 20-28 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Gentil, amável e brincalhão

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

As primeiras referências à raça do Pequeno Spaniel Continental remontam aos tempos medievais. Foi produzido através da redução do tamanho dos spaniels de caça. Seu primo próximo, a variedade Moth, é ainda mais antiga. O Spaniel Papillon, parece ter sido desenvolvido no final do século 19. Foi particularmente popular entre famílias ricas e cortes reais.

O nome papillon, como a raça é mais conhecida, é a palavra em francês que significa borboleta e faz referência a face e as orelhas deste cão, que lembram uma borboleta.

A raça foi reconhecida pela FCI em 1954, pela AKC em 1915 e o padrão oficial válido pela CBKC é de 1990.

Nome original

Epagneul Nain Continental

País de origem

França, Bélgica

Características gerais

Aspectos raciais

Seu crânio não é muito redondo com stop uma depressão suficientemente acentuada. A trufa é pequena, preta e redonda, mas ligeiramente achatada no topo. O focinho é mais curto do que o crânio, fino, pontudo e não muito côncavo nos lados; não deve ser arrebitado. Seus olhos são muito grandes, bem abertos, em forma de amêndoa grande, não proeminentes, inseridos baixo na cabeça. De cor escura e muito expressivos, pálpebras fortemente pigmentadas. As orelhas são bastante finas, mas firmes. Seja nas orelhas oblíquas ou nas orelhas pendentes, quando examinadas com a mão, a cartilagem não deve acabar em ponta muito afilada.

Variedade de orelhas caídas, chamada: PHALENE

A orelha em repouso é inserida alta, consideravelmente mais alta do que a linha dos olhos, portada pendente e bem móvel. Guarnecida de pelos ondulados que podem alcançar um bom comprimento, dando ao cão uma linda aparência.

Variedade de orelhas eretas, chamada: PAPILLON

A orelha é inserida alta, a cavidade auricular bem aberta e lateral; a borda interna do pavilhão da orelha forma um ângulo de aproximadamente 45° com a horizontal. De forma alguma a orelha deve apontar para cima, que seria como uma orelha do tipo Spitz e que deve ser definitivamente rejeitada. A parte interna do pavilhão da orelha é coberta de finos pelos, também ondulados. Os pelos mais longos ultrapassam ligeiramente a borda da orelha; a face externa, ao contrário, é coberta por pelos longos que formam franjas caídas, ultrapassando bem as bordas das orelhas. O cruzamento, entre as duas variedades, produz frequentemente, orelhas semi-eretas, com as pontas caídas; esta forma mista de porte de orelha é um defeito grave.

A cauda é inserida muito alta, bastante longa, franja abundante formando uma bonita plumagem. Quando o cão está em ação, a cauda é portada levantada ao longo da linha do dorso, e, curvada, a extremidade pode tocar o dorso; nunca deve ser enrolada ou deitada sobre o dorso.

Sua pelagem é abundante, lustrosa, ondulada (não confundir com encaracolada), sem ser macia, mas ligeiramente resistente ao toque, com reflexos sedosos. Todas as cores são aceitas em uma pelagem sobre fundo branco. No tronco e membros o branco deve ser predominante em relação a cor. O branco na cabeça, preferivelmente estendido por uma faixa mais ou menos larga. Uma mancha branca é admitida na parte inferior da cabeça, mas o branco dominante na cabeça é uma falta. Em todos os casos, os lábios, as pálpebras e, principalmente a trufa, devem ser pigmentados.

Pelo

Longo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Pequeno Spaniel Continental é conhecido pela sua grande vivacidade, seu extraordinário entusiasmo pela vida e sua constante busca de afeto.

Extremamente apegado ao seu dono, é um excelente companheiro e chama atenção pela sua suavidade e ternura, mas também por ser muito divertido. A raça é sociável com estranhos e ótimo com crianças.

Muito inteligente e obediente deve mostrar-lhe os limites cedo o suficiente para que ele seja um companheiro muito bom, agradável e dócil. É um cão que se adapta facilmente a todos os tipos de situações.

A raça precisa de estimulação mental e física diária, caminhadas na coleira são suficientes. Sua pelagem exige escovações semanais.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Dermatológicas

Displasia folicular do pelo preto

Hematológicas e imunológicas

Baixa concentração de FvW normal

Neurológicas

Surdez congênita

Meningoencefalite necrosante

Oftálmicas

Entrópio

  • Predisposição racial
  • Herança poligênica provável

Catarata

  • Herança suspeita

Atrofia progressiva generalizada da retina

  • Herança autossômica recessiva suspeita

Referências bibliográficas

http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo9/pequenospanielcontinental.pdf

http://www.fci.be/en/nomenclature/CONTINENTAL-TOY-SPANIEL-77.html

http://tudosobrecachorros.com.br/papillon/

http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/papillon/

https://www.chien.fr/race/epagneul-nain-continental/

http://www.akc.org/dog-breeds/papillon/

JERICÓ, Márcia Marques; ANDRADE NETO, João Pedro de; KOGIKA, Márcia Mery. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. 1. ed. Rio de Janeiro: Roca, 2015.

GOUGH, Alex; THOMAS, Alison. Breed Predisposition to Disease in Dogs and Cats.1. Ed. Oxford:Blackwell Publishing Ltd, 2004 – página 113.

NELSON, R.W.; COUTO, C.G. Medicina interna de pequenos animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

Imagem: http://www.mascotarios.org/wp-content/gallery/papillon/papillon5.jpg