Samoieda

Nome da Raça

Samoieda

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 15-22 kg. Machos: 20-30 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 48-53 cm. Machos: 53-60 cm

Nível de atividade

Alta

Temperamento

Amigável, alegre e carinhoso

Adestrabilidade

Alta

Introdução

Origem

O Samoieda originou-se nas antigas tribos Samoyed do norte da Rússia e da Sibéria. Os Samoyeds eram nômades pacíficos, que manifestaram um cuidado extraordinário por seus cães, tratando-os como membros da família. Estes cães tinham um bom temperamento e eram usados como cães de caça e de trenó. Os Samoiedas viviam perto de seus donos, dormiam dentro dos abrigos e serviam como aquecedores.

O zoólogo britânico Ernest Kilburn Scott passou 3 meses entre as tribos Samoyeds em 1889. Ao retornar para a Inglaterra, levou consigo um filhote macho chamado “Sabarka”. Mais tarde ele importou uma fêmea chamada “Whitey Petchora” da parte ocidental do Ural e um macho chamado “Musti” da Sibéria. Estes cães foram a base do desenvolvimento da raça no Ocidente

Os Samoiedas foram utilizados nas expedições de exploração do Ártico e na Antártica no final do século XIX e início do século XX.

A AKC reconheceu o Samoieda oficialmente em 1906, já a FCI em 1959 determinando seu padrão oficial definitivo 1997.

Nome original

Samoiedskaïa Sabaka

País de origem

Rússia

Características gerais

Aspectos raciais

De tamanho médio e elegante, o Samoieda é um Spitz Ártico branco. Sua aparência dá a impressão de força, resistência, graça, agilidade, dignidade e segurança.

Sua cabeça é poderosa e cuneiforme, e seu crânio visto de frente e de perfil, é ligeiramente convexo. É largo entre as orelhas e o sulco entre os olhos é ligeiramente visível, com stop claramente definido, mas não muito proeminente. A trufa é bem desenvolvida, de preferência preta, mas durante alguns períodos do ano, sua pigmentação pode ficar mais clara, chamada de “nariz de neve”, porém sempre deve ser escura em sua borda. O focinho é forte e profundo, de comprimento quase igual ao do crânio, afilando gradualmente até a trufa, nem pontudo nem pesado ou quadrado, com a cana nasal reta. Os lábios bem aderentes e cheios com sua linha levemente recurvada nas comissuras, criando o característico “sorriso do Samoieda”.

Seus dentes são fortes, maxilares regulares e a mordedura completa em tesoura. Os olhos do Samoieda são marrom escuros, bem inseridos nas órbitas, colocados separados, ligeiramente oblíquos e de forma amendoada. Suas pálpebras são bem pigmentadas de negro. As orelhas são eretas, mais para pequenas, triangulares, espessas e ligeiramente arredondadas nas pontas. Devem ter mobilidade, inseridas altas, devido à largura do crânio, bem separadas.

O Samoieda possui pescoço forte, de comprimento médio e de porte orgulhoso. O tronco é de comprimento ligeiramente maior que sua altura na cernelha. Seu tórax é profundo e compacto, porém flexível, com costelas bem arqueadas. A cauda é inserida alta, e em alerta ou em movimento, é portada curvada para a frente sobre o dorso ou de lado, já em repouso, quando portada pendente, chega a alcançar o nível dos jarretes.

Seus membros são bem colocados, musculosos e de ossatura forte conferindo ao Samoieda uma movimentação poderosa, livre, aparentemente incansável, com bom alcance graças a propulsão dos posteriores. Mãos e pés são ovais com dedos longos, flexíveis e bem direcionados para a frente.

O Samoieda possui uma pelagem chamada de típica polar. Dupla, é composta por um pelo de cobertura mais longo, profuso, áspero e reto, já o sub pelo é mais curto, macio e denso. Os pelos em torno do pescoço formam uma juba que vai até os ombros, emoldurando a cabeça, principalmente, nos machos. Na cabeça e nas partes dianteiras, o espaço pelo é mais curto e macio. Na face externa das orelhas, o pelo é curto, reto e macio.

O interior das orelhas é bem forrado. Nos espaços interdigitais, encontram-se os pelos de proteção. A cauda é abundantemente revestida. Nas fêmeas, a pelagem é frequentemente mais curta e de textura mais suave do que nos machos. A correta textura da pelagem deve sempre ter um especial lustre brilhante.As cores devem ser: branco puro, creme ou branco com biscoito (a cor de fundo deve ser branca com ligeiras marcas biscoito). Jamais deve dar a impressão de ser bege.

Pelo

Semi-longo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Samoieda é um cão amigável, alerta e cheio de vida, nunca tímido ou agressivo. Tende a se relacionar melhor com seu dono, mas tem uma ótima índole gostando de todas pessoas no geral, especialmente as crianças. Por isso não deve ser utilizado como cão de guarda.

Esta raça não gosta de ficar sozinha por muito tempo, podendo se tornar destrutivo com objetos caso se sinta entediado. Este cão é mais adequado para climas frios e temperados, mas pode viver bem em climas com temperaturas um pouco mais moderadas.

São cães bastante adaptáveis a ambientes menores, como um apartamento, mas por originalmente terem sido utilizados para tração, é de extrema importância que pratiquem atividades físicas regulares, devendo evitar horários e dias mais quentes.

Escovações diárias e o banhos ocasional, quando necessário iram manter a pelagem do Samoieda saudável. Suas fortes unhas têm desenvolvimento rápido e devem ser aparadas regularmente para evitar o crescimento excessivo. Suas orelhas devem ser verificadas com frequência para evitar um acúmulo de cera e detritos.

Sensibilidade a fármacos

Não relatada

Predisposição à doenças

Cardiovasculares

Estenose Pulmonar

  • Terceira causa mais frequente de doença cardíaca
  • Herança poligênica provável

Dermatológicas

Síndrome Uveodermatológica Canina

  • Também conhecida como síndrome Vogt-Koyanagi-Harada-like

Despigmentação Nasal

  • Também conhecido como focinho Dudley
  • Causa desconhecido

Adenite Sebácea Granulomatosa

  • Nenhuma predisposição sexual
  • Afeta o rosto e as orelhas, progredindo no pescoço e tronco

Dermatose

  • Predisposição da raça
  • Machos podem estar mais predispostos
  • Sinais clínicos geralmente vistos dos 1 – 5 anos

Endócrinas

Diabetes Mellitus

  • Possível predisposição da raça
  • Faixa etária mais comum: 4 – 14 anos
  • Incidência de pico: 7 – 9 anos
  • Fêmeas não castradas estão predispostas

Musculoesqueléticas

Enfraquecimento do Ligamento do Carpo

  • Afeta cães obesos e mais velhos
  • Os ligamentos tarsais também podem ser afetados

Neoplásicas

Adenomas da Glândula Perianal (Hepatóide)

  • Predisposição da raça
  • Idade média foi de 10,5 anos
  • Machos não castrados mais predispostos

Neurológicas

Surdez Congênita

  • Sinais vistos desde o nascimento

Hipomielinização do sistema nervoso central

  • Sinais vistos em 2 – 8 semanas de vida

Abiotrofia Cortical Cerebelar

  • O desenvolvimento normal do cerebelo ocorre primeiro e é seguido de degeneração progressiva e precoce dos neurônios, principalmente das células de Purkinje
  • Ocorre de 4 a 28 semanas
  • Cursa com hidrocefalia moderada a grave

Oftálmicas

Distiquíase

  • Predisposição da raça

Ulceração corneana refratária

  • Predisposição da raça
  • Geralmente de meia-idade

Distrofia corneana

  • Distrofia lipídica estromal
  • Idade do início: 6 meses a 2 anos

Glaucoma primário

  • Predisposição de raça
  • Idade do início: 2-3 anos

Múltiplos defeitos oculares e nanismo

  • Possivelmente herdado de forma semelhante à condição em Labrador Retrievers, ou seja, o gene tem efeitos recessivos no esqueleto efeitos dominantes incompletos nos olhos
  • Os defeitos oculares podem incluir displasia da retina, desprendimentos e cataratas

Renais e urinárias

Doença renal familiar

  • Herança dominante sugerida ligada ao X

Transtorno da membrana basal glomerular

  • Nos machos é progressiva
  • Apresentam proteinúria e isostenúria aos 2 -3 meses de idade
  • Insuficiência renal aos 6 – 9 meses de idade
  • Geralmente morte aos 12 - 16 meses de idade
  • Em fêmeas portadoras, a condição é mais suave e não progressiva a ponto de causar insuficiência renal
  • Fêmeas podem não atingir o peso corporal normal do adulto

Referências bibliográficas

http://cbkc.org/padroes/pdf/grupo5/samoieda.pdf

http://www.akc.org/dog-breeds/samoyed/care/#grooming

https://www.samoyedclubofamerica.org/the-samoyed/in-depth/breed-origin-and-history/

http://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/samoieda/

http://www.fci.be/en/nomenclature/SAMOYED-212.html

https://www.chien.fr/race/samoyede/

JERICÓ, Márcia Marques; ANDRADE NETO, João Pedro de; KOGIKA, Márcia Mery. Tratado de Medicina Interna de Cães e Gatos. 1. ed. Rio de Janeiro: Roca, 2015.

GOUGH, Alex; THOMAS, Alison. Breed Predisposition to Disease in Dogs and Cats.1. Ed. Oxford:Blackwell Publishing Ltd, 2004 – páginas 131 à 133 .

Imagem: https://www.pets4homes.co.uk/images/breeds/101/large/271c1166abbbae6de503cb95214dc869.jpg