Cornish Rex

Nome da Raça

Cornish Rex

Peso

2,5 – 4 kg

Altura

20 – 25 cm

Temperamento

Ativo, afetuoso, inteligente, brincalhão, travesso

Introdução

Origem

A história do Cornish Rex se inicia na Cornualha, sudoeste da Inglaterra, em 1950, onde uma gata de pelagem tartaruga deu à luz a uma ninhada de 5 gatinhos. Um deles, de coloração vermelha e branca tinha uma pelagem ondulada não usual.

Deu-se então, o nome de Kallibunker a este gatinho, que foi o primeiro gato da raça. Sua proprietária, Nina Ennismore, pressentindo o interesse que poderia despertar a partir de Kallibunker, ela fez contato com especialistas em genética.

A raça foi paralelamente desenvolvida combinando cruzamentos consanguíneos para fixar a mutação, e cruzamentos específicos, especialmente com o siamês, para diversificar as linhagens.

País de origem

Reino Unido

Características gerais

Aspectos raciais

Nos gatos Cornish Rex, a qualidade da pelagem é muito importante. Ela deve ser curta, muito macia e totalmente desprovida de pelos eréteis. Esta pelagem forma ondulações uniformes e cerradas sobre a parte dorsal e lateral do corpo, sendo curta e enrolada nas partes descendentes (garganta, ventre, interior das patas).

As sobrancelhas e os bigodes são crespos. O Cornish Rex possui uma morfologia longilínea e seu dorso arqueado lembra o do cão da raça Whippet. Sua cabeça apresenta formato oval, tanto de perfil quanto de frente, a aresta do nariz é grande e saliente. O stop é leve. O focinho é curto. As orelhas devem ser grandes, bastante largas na base e posicionadas de forma ereta no alto da cabeça.

Todas as cores e padrões de manto são aceitas pelas associações de criadores de felinos, incluindo cores uniformes, bicolores, tricolores, padrões tabby, tartaruga e colourpoint.

Pelagem

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Cornish Rex é um gato ativo e apegado à família. Eles possuem um alto nível energético e adoram brincar, mesmo quando chegam à fase adulta. Fazem muitas acrobacias e adoram escalar locais altos, por isto é importante prover um ambiente enriquecido com prateleiras e arranhadores para que ele possa exibir este comportamento.

São gatos inteligentes e devem ter sua mente estimulada através de jogos interativos e interação diária com seus proprietários, para não sofrer de tédio e consequentemente de alterações comportamentais. Geralmente se dá bem com crianças e outros animais, incluindo gatos e cães.

A escovação de seu pelame deve ser feita de forma muito gentil, com escova de cerdas macias, podendo ser feita no máximo duas vezes na semana, além de outros cuidados básicos como escovação dentária semanal e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Cardiomiopatia hipertrófica: Estes animais também são predispostos a desenvolver cardiomiopatia hipertrófica (CMH), a doença cardíaca mais comum dos gatos.

Esta condição causa um espessamento (hipertrofia) do músculo cardíaco, o que resulta no volume reduzido de sangue dentro dos ventrículos, reduzindo assim o volume de sangue que o coração bombeará para a circulação sistêmica.

A CMH pode gerar falência cardíaca, tromboembolismo arterial sistêmico e é uma causa de morte súbita em gatos. Um ecocardiograma pode confirmar se o gato a possui.

Doença renal policística e atrofia retiniana progressiva também foram descritas nesta raça.

Referências bibliográficas

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 2º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2010. p. 224

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care. Cornish Rex. Disponível em: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/cornish-rex

Vet Street. Cornish Rex. Disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/cornish-rex

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/cornish-rex