Pixie Bob

Nome da Raça

Pixie Bob

Peso

4,0 – 7,0 kg

Altura

20 – 25 cm

Temperamento

Amável, companheiro, ativo, brincalhão, curioso

Introdução

Origem

Relativamente nova, esta raça tem aparência semelhante à do Bobcat nativo das montanhas da costa do Pacífico da América do Norte. A semelhança é intencional. Características do Pixie Bob têm sido desenvolvidas para atender à crescente tendência dos gatos domésticos com aparência selvagem.

A matriz macho desta raça era um Bobtail tigrado, excepcionalmente alto, que, em 1980, cruzou com uma fêmea sem raça definida, gerando filhotes com cauda curta e feições peculiares – um deles, batizado de “Pixie”, passou seu nome para a raça.

País de origem

Estados Unidos

Características gerais

Aspectos raciais

De estrutura vigorosa e com ar de valentões, os Pixie Bobs são atléticos, possuem pelagem espessa, orelhas peludas, caras pontudas e se movem graciosamente. Sua cauda pequena se dá em “pompom”, possui flancos profundos, corpo bem musculoso, tórax largo, membros longos e com ossos fortes, patas longas e largas e nariz avermelhado.

Tanto o Pixie Bob de pelo curto quanto sua variante de pelo longo possuem pelagens com marcações ricamente coloridas, que favorecem a ilusão de ser este um gato selvagem. A pelagem aceita é a tigrada spotted marrom, com cores mais claras nas partes inferiores, garganta e tórax.

O Pixie Bob variante de pelagem semilonga possui aspecto de lince, corpo atlético e robusto, com densa pelagem dupla com marcas tigradas, sobressaindo do corpo; orelhas com tufos de pelo. Sobrancelha densa e pelos faciais que crescem em costeletas. O comprimento da cauda varia, podendo ser longa ou do tipo escova.

Pelagem

Curto e semilongo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Pixie Bob é um gato totalmente doméstico, adora a vida familiar, é afetuoso e gosta muito de ficar perto de seus proprietários. Geralmente se dá bem com crianças e outros animais.

É um gato muito curioso, ativo e inteligente, portanto necessita se exercitar física e mentalmente, todos os dias, e isto pode ser provido através de jogos interativos que estimulem o hábito de caça, interação com proprietário e enriquecimento ambiental com arranhadores, plateleiras, tocas, etc.

O Pixie Bob de pelame curto pode ser escovado de uma a duas vezes na semana e o de pelo semilongo de duas a três vezes, para evitar nós. O restante abrange cuidados básicos de manejo para qualquer gato que envolvem escovação dentária semanal, idas periódicas ao veterinário e alimentação de qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Existe uma grande preocupação da comunidade veterinária acerca da ausência ou presença parcial da cauda em certas raças de gatos, que é geralmente causada por uma deformidade do final da coluna vertebral adquirida de forma hereditária e perpetuada por criadores.

A raça Manx, por exemplo, possui ausência da cauda, um resultado de uma mutação genética perpetuada por criadores. O Manx verdadeiro possui apenas uma cavidade onde seria a cauda, embora existam alguns com cauda residual.

O gene defeituoso responsável pela perda da cauda também pode afetar outras partes da coluna vertebral e pode causar problemas graves na coluna vertebral e alterações neurológicas e motoras.

Quando dois gatos Manx completamente sem cauda acasalam, os defeitos podem ser tão graves que muitos descendentes podem nascer mortos ou morrer logo após o nascimento. Os mesmos problemas podem acontecer em algumas raças com caudas curtas, embora não haja muita informação acerca deste fato.

Entretanto, visto o risco potencial da ocorrência destes graves problemas, a ausência de uma cauda normal levanta sérias questões sobre até quando deverão existir raças exibindo deformidades deste tipo.

Deve ser questionado é justificado continuar perpetuando, de forma deliberada, gatos com estas deformidades como caudas em tamanho anormal, uma vez que não é interesse do animal.

Alguns Pixie Bobs são polidáctilos, ou seja, podem possuir dígitos extras em suas patas.

Referências bibliográficas

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care. Cat Breeds. Pixie Bob. Disponível em: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/pixie-bob. Acesso em: 28 jan. 2018

Vet Street. Cat Breeds. Pixie Bob. Disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/pixiebob. Acesso em: 28 jan. 2018

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/pixiebob