Russian Blue

Nome da Raça

Russian Blue

Peso

3 – 5,5 kg

Altura

25 – 30 cm

Temperamento

Calmo, tímido, afetuoso, delicado, inteligente

Introdução

Origem

Pouco se sabe sobre a verdadeira origem do Russian Blue, mas acredita-se que sua primeira linhagem tenha surgido no porto russo de Arcanjo, logo abaixo do Círculo Polar Ártico.

Supostamente trazido à Europa Ocidental por marinheiros, o Russian Blue atraiu interesse no Reino Unido no final do século 18, então, os criadores britânicos iniciaram o processo de seleção da raça.

Na França, este gato foi exposto pela primeira vez em 1925, mas a Segunda Guerra Mundial interrompeu a criação e fez a raça desaparecer quase completamente.

Depois da guerra, os escandinavos e os britânicos reavivaram a criação e aprimoraram a raça, cruzando o russo com o siamês, e o resultado foi um tipo oriental marcante. Atualmente, o Russian Blue é mais encontrado nos Estados Unidos, onde ele foi exportado no início do século 20 e onde sua criação se dá com grande rigor.

Outra designação

Russo Azul (português); Russian Shorthair

País de origem

Rússia

Características gerais

Aspectos raciais

Este gato de corpo esguio e gracioso, apresenta ossatura média, cauda longa e afilada na ponta. As patas são alongadas, com pés pequenos e redondos. O rabo é bastante longo e afilado. A cabeça, de crânio achatado, é curta, com plano nasal reto. Os olhos, ligeiramente arredondados, possuem coloração verde esmeralda vibrante.

As orelhas, tão altas quanto largas e em posição ereta, são quase desprovidas de pelos em seu interior e afilam na ponta. O Russian Blue europeu tende a ter um porte maior do que o Russian Blue americano.

O manto curto e espesso é macio e sedoso, possuindo uma luminosidade prateada a chumbo, característica da raça. A cor é única, podendo possuir diversos tons da coloração azul-acinzentada, a maioria das vezes com aspecto prateado.

A cor do manto do Russian Blue foi criada a partir de uma diluição da versão do gene que produz o pelame de coloração preta. Alguns filhotes da raça podem nascer com as chamadas “listras fantasma”, que parecem como marcas listradas que geralmente desaparecem assim que o gato atinge a idade adulta.

O Russian Blue na Austrália e Nova Zelândia (conhecido apenas como Russo) possui manto branco e preto, além do clássico azul-acinzentado/prateado.

Pelagem

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Russian Blue é um gato de fácil convivência, é inteligente, brincalhão, mas sem excesso. Assusta-se facilmente, detesta barulhos altos, agitação e deve ser manipulado com delicadeza.

Não se deve adquirir um Russian Blue se você está interessado em um gato que seja “grudento”, que siga você por todos os cômodos da casa. Eles podem ser muito afetuosos com um ou mais membros da família, porém, tendem a ser mais reservados com desconhecidos.

A raça se dá melhor com crianças que sejam mais velhas e adultos, pois é muito sensível a sustos e apertões que crianças menores eventualmente possam dar. Se, desde pequeno, for criado com outros animais, como gatos e cães, pode se dar bem com estes.

Como todo gato, o Russian Blue necessita de um ambiente enriquecido com brinquedos interativos, prateleiras e arranhadores, além de carinho, cuidados básicos de higiene e alimentação de qualidade. É um animal inteligente, capaz de aprender truques facilmente.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Urolítiase vesical: Alguns relatos reportaram a incidência de cálculos vesicais em animais desta raça, com tipo morfológico de urólito não especificado.

Referências bibliográficas

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 2º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2010. p. 234

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/russian-blue

Vet Street: http://www.vetstreet.com/cats/russian-blue-nebelung

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/russian-blue-nebelung