Singapura

Nome da Raça

Singapura

Peso

2 – 4 kg

Altura

20 – 25 cm

Temperamento

Curioso, ativo, brincalhão, travesso, sociável

Introdução

Origem

Não se sabe a origem exata desta raça. A pelagem salpicada (ticked colt) característica deste felino atraiu a atenção do cientista americano Hal Meadow quando ele trabalhava em Singapura na década de 1970.

Meadow e sua mulher iniciaram um programa de criação desta raça, realizado tanto em Singapura quanto nos Estados Unidos. Por volta da década de 1990, os criadores britânicos também se interessaram pelo animal.

Hoje, os Singapuras são conhecidos no mundo inteiro, apesar de ainda serem raros. É a raça de menor tamanho entre os gatos domésticos.

País de origem

Singapura

Características gerais

Aspectos raciais

Possui corpo firme e musculoso, membros fortes, musculosos e de comprimento médio, cauda delgada e com a ponta amarronzada, orelhas grandes em formato de “concha”.

Seus olhos são grandes e redondos tendendo a oblíquos, bem separados e de coloração verde, amendoada ou dourada com marcações lineares em máscara na região das bochechas. O Singapura atingirá seu tamanho apenas com 2 anos de idade.

Sua pelagem tem coloração denominada de sépia agouti, com seal amarronzado pontilhado sobre base marfim. Aceita-se apenas esta coloração de pelagem, neste padrão. A pelagem sépia pontilhada é mais pálida no queixo, no peito e em região abdominal. Cada fio da pelagem fina e macia tem listras claras e escuras alternadas.

Pelagem

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Singapura é um gato muito ativo, curioso e afetuoso. Ele pode ser pequeno, mas é um felino de presença. Tem fama de travesso, podendo aprontar pela casa, carregando ou derrubando objetos pela casa, principalmente quando filhote.

É muito brincalhão e inteligente, por isto deve ser estimulado física e mentalmente através de brinquedos interativos e enriquecimento ambiental para evitar alterações comportamentais relacionadas ao tédio.

Seu pelame pode ser escovado em média uma a duas vezes por semana para remoção de pelos mortos. O restante envolve o manejo básico de qualquer gato, que inclui alimentação de boa qualidade, idas periódicas ao médico veterinário e escovação dentária semanal.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Deficiência de piruvato-quinase: Trata-se da deficiência de uma enzima que participa do metabolismo energético das hemácias. Esta deficiência gera, tipicamente, uma anemia intermitente e pode ocorrer em gatos Abissínios dos seis meses aos doze anos de idade.

É uma condição hereditária, causada por um gene recessivo. Atualmente, existe um teste específico para saber se o gato possui a doença.

Atrofia retiniana progressiva: É o termo utilizado para descrever um grupo de desordens genéticas que resultam na degeneração e atrofia da retina. Isto pode levar a um declínio progressivo da qualidade da visão e, algumas vezes, levar à cegueira. Pode ser vista em gatos Abissínios dos oito meses até quatro anos de idade, em média.

Referências bibliográficas

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care. Cat Breeds. Singapura. Disponível em: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/singapura. Acesso em: 01 fev. 2018

Vet Street. Cat Breeds. Singapura. Disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/singapura. Acesso em: 01 fev. 2018

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/singapura