Tonquinês

Nome da Raça

Tonquinês

Peso

2,5 – 5,5 kg

Altura

20 – 25 cm

Temperamento

Brincalhão, extrovertido, sociável, inteligente, afetuoso

Introdução

Origem

O Tonquinês, segundo a Canadian Cat Association – a primeira associação que reconheceu a raça –, é um gato originário da Birmânia e da Tailândia. Para outros, trata-se de uma raça híbrida criada na América do Norte na década de 1930, a partir da mistura do Siamês e do Burmês, por mestiçagem e depois seleção.

Se o Tonquinês é relativamente bem conhecido na América, ele continua raro na Europa, onde os exemplares são frequentemente provenientes diretamente de cruzamentos entre Siameses e Burmeses.

Outra designação

Tonkinese (inglês)

País de origem

Estados Unidos

Características gerais

Aspectos raciais

O Tonquinês é de morfologia intermediária entre a do Siamês, muito longilínea, e a do Burmês, mais mediolínea. A cabeça, notadamente, é um pouco mais longa do que larga, com um stop muito leve e orelhas de tamanho médio, com as pontas arredondadas nas laterais da cabeça.

Os membros são delgados, com as patas ovais. Os olhos, levemente amendoados, devem ser de cor típica: água-marinha nos mink, azul nos point ou amarela nos sépia, todas as cores sendo brilhantes e profundas.

A pelagem, brilhante, é curta e densa. A textura é fina, suave e sedosa. A distribuição dos pigmentos da pelagem do Tonquinês é, como sua morfologia, intermediária entre a do Siamês e do Burmês. As extremidades (orelhas, máscara, ponta das patas e cauda) são escuras como no siamês. Todas as cores e padrões de manto, exceto canela, são aceitos.

Pelagem

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O comportamento do Tonquinês lembra o de suas duas raças de origem. É um gato ativo e adapta-se sem dificuldade a um novo ambiente. Possui um espírito independente e um pouco territorialista, mas revela também uma natureza agradável e gosta de ficar no colo, além de ser muito sociável com pessoas.

Se adapta facilmente à crianças, mas deve ser introduzido a outros animais de forma gradual.

Como todo gato, é muito curioso e inteligente, além do mais gosta muito de brincar, por isso deve ser estimulado fisica e mentalmente diariamente através de brinquedos interativos, enriquecimento ambiental e interação com o proprietário.

O manto do Tonquinês pode ser escovado de uma a duas vezes na semana para retirada do pelame morto e evitar os nós. O restante trata-se do manejo básico para qualquer gato, que inclui escovação dentária semanal, idas periódicas ao veterinário e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Urolitíase por cálculo de oxalato: A raça foi descrita em relatos como sendo predisposta a desenvolver este tipo de condição. Machos mostraram-se mais predispostos.

Diabetes Mellitus: A Diabetes Mellitus ocorre quando o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o organismo não consegue utilizar a insulina que ele produz (resistência insulínica), gerando aumento dos níveis de glicose sérica e diversos efeitos deletérios em vários sistemas.

Gatos da raça Tonquinês possuem risco aumentado de desenvolverem esta doença endócrina devido a sua genética relacionada ao Burmês. Em outras raças, sabe-se que um dos fatores predisponentes para o desenvolvimento da doença é a obesidade.

Devido ao seu parentesco com o Siamês e Burmês, pode herdar a predisposição à alterações relatadas em ambas as raças.

Referências bibliográficas

GOUGH, A.; THOMAS, A.; O’NEILL, D. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. p. 255

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care. Cat Breeds. Tonkinese. Disponível em: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/tonkinese. Acesso em: 01 fev. 2018

Vet Street. Cat Breeds. Tonkinese. Disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/tonkinese. Acesso em: 01 fev. 2018

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/tonkinese