Van Turco

Nome da Raça

Van Turco

Peso

3,5 – 6,5 kg

Altura

25 – 30 cm

Temperamento

Ativo, extrovertido, inteligente, curioso, brincalhão

Introdução

Origem

Assim como o Angorá Turco, o Van Turco é originário das altas montanhas da Turquia e do Irã. Entretanto, esta raça só se desenvolveu muito localmente às margens do Lago Van, que fica a uma altitude de 1.700 metros.

O clima rigoroso, com grandes diferenças térmicas sazonais, sem dúvida foi favorável à seleção natural da característica de pelame longo da qual se beneficiam os dois gatos turcos.

A história da felinicultura do Van Turco só começa na década de 1960, quando uma criadora inglesa, Laura Lushington, levou para a Grã-Bretanha os primeiros exemplares desta raça. Esta foi reconhecida pelos principais clubes de criadores de felinos em 1969.

Outra designação

Turkish Van (inglês), Turco Van

País de origem

Turquia / Reino Unido (raça moderna)

Características gerais

Aspectos raciais

O Van Turco é um gato do tipo mediolíneo, possui corpo largo e musculoso, especialmente os machos. Seus membros são longos, com patas arredondadas e razoavelmente grandes, com tufos de pelos entre os dedos.

A cabeça, bem mais massiva que a do Angorá Turco, forma um triangulo, com focinho longo, nariz rosado, bochechas proeminentes e orelhas bem separadas, colocadas no alto, largas na base e pontiagudas.

Os olhos são grandes, com contorno em rosa e coloração âmbar da íris, podendo ser azuis ou de coloração diferentes nos outros padrões de manto. A cauda é emplumada, de comprimento mediano.

A pelagem possui comprimento semilongo, textura suave, sedosa e sem subpelo lanoso. A textura da pelagem normalmente varia com as estações: só é abundante no inverno. A distribuição dos pigmentos sobre o manto constitui a característica mais espetacular da raça.

A coloração clássica é a branca com vermelha. Neste padrão, a cor predominante é branca, com uma pigmentação ruiva limitada ao rabo e cabeça, onde há duas manchas separadas por uma chama branca, que cobrem as zonas desde a base das orelhas até os olhos.

O branco forma um “V” invertido sobre a face. Nos países anglo-saxões, o nome “Van” qualifica toda a pelagem que apresenta desenhos idênticos aos do Van Turco (fala-se, assim, de persas van, por exemplo). Os mantos sólidos (isto é, de cor unida) e particolores, assim como para o padrão van, todas as cores, exceto o chocolate, o canela, o lilás e o castanho-claro são aceitas.

Pelagem

Semilongo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Van Turco é um gato conhecido por ser um gato ativo, curioso e explorador. Não costuma ser muito sociável com outros gatos. Dinâmico e independente, ele prefere um jardim à vida em apartamento. Apega-se muito à seu dono e pode se revelar um pouco possessivo.

Como todo gato, é muito curioso e inteligente, além do mais gosta muito de brincar, por isso deve ser estimulado fisica e mentalmente diariamente através de brinquedos interativos, enriquecimento ambiental e interação com o proprietário.

A ausência de subpelo longo facilita a manutenção da pelagem, pois não se formam nós espontaneamente, como ocorre com os persas. Uma escovação semanal é suficiente. O restante trata-se do manejo básico para qualquer gato, que inclui escovação dentária semanal, idas periódicas ao veterinário e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Até o momento não foram descritas doenças específicas da raça.

Referências bibliográficas

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care. Cat Breeds. Turkish Van. Disponível em: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/turkish-van. Acesso em: 01 fev. 2018

Vet Street. Cat Breeds. Turkish Van. Disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/turkish-van. Acesso em: 01 fev. 2018

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/turkish-van