Siamês

Nome da Raça

Siamês

Peso

2,5 – 5,5 kg

Altura

25 – 30 cm

Temperamento

Curioso, ativo, inteligente, tagarela e amoroso

Introdução

Origem

A raça siamesa guarda segredo quanto às espécies selvagens que lhe deram origem e ao momento em que se produziu a mutação responsável por seu manto tão característico. Contudo, sabe-se que o siamês há muito tempo era conhecido no Sião (nome antigo da Tailândia).

Existem representações muito parecidas com o siamês em manuscritos provenientes de Ayuthaya, capital do Sião, entre os anos de 1347 e 1767. Pode-se dizer que a designação “siamês” reflete sua origem geográfica. A entrada do siamês na história da felinicultura ocidental, ao fim do século XIX, suscitou algumas controvérsias.

Conta-se que dois animais, cuja origem permanece desconhecida, foram apresentados, em 1871, na primeira exposição felina do Crystal Palace, em Londres.

Esse primeiro aparecimento fez notícia no mundo felino e os dois animais suscitaram reações muito contraditórias, mas sobretudo não de indiferença. Dois casais foram apresentados mais tarde. Em 1884, o primeiro casal, Pho e Mia, foi levado do Sião para a Inglaterra por Owen Gould.

O segundo foi levado para a França, no ano seguinte, por Auguste Pavie. Subsiste a dúvida quando às modalidades de aquisição destes gatos. Alguns dizem que foram presentes do rei do Sião aos diplomatas estrangeiros; outros, que a obtenção foi ilegal, visto que a exportação de siameses, propriedade exclusiva da corte real, era punida com a pena de morte.

Os gatos eram frágeis e Auguste Pavie confiou os seus ao Jardin des Plantes de Paris. Apesar de todas as precauções, os primeiros siameses não sobreviveram muito tempo.

Felizmente, a raça fez adeptos. As importações do Sião foram retomadas pela Europa e pelos Estados Unidos, onde os primeiros siameses foram introduzidos em 1890. Em 1892, o primeiro padrão foi estabelecido na Inglaterra. As técnicas de criação se aperfeiçoaram, a raça se adaptou ao clima europeu e, a partir da década de 1920, o siamês se tornou popular em todo o mundo.

Outra designação

Siamese (inglês)

País de origem

Tailândia (Sião)

Características gerais

Aspectos raciais

Por sua morfologia, o siamês constitui o modelo perfeito do tipo oriental: em outros termos, possui uma estrutura longilínea. Assim, o corpo é longo, esbelto, com a largura dos ombros equivalente à dos quadris. O siamês é dotado de membros longos e finos, os posteriores um pouco mais altos do que os anteriores.

Porém, ter uma estrutura longilínea não significa ser magro – o siamês deve ser perfeitamente equilibrado, ostentar um porte médio e músculos vigorosos. A cauda deve ser estreita na base, longa e ir se afinando em direção à ponta.

Sua face é triangular e a cabeça deve ser harmoniosa com o corpo. O rosto desenha um triângulo tão aberto quanto possível, prolongado em linha reta por orelhas largas na base e muito grandes, além de separadas e pontudas.

O perfil é reto da fronte à ponta do nariz, sem corcova nem stop. O nariz é longo, a mandíbula bastante forte. Eles devem estar no mesmo plano vertical. Os olhos amendoados, bem afastados, são oblíquos em relação ao nariz. Qualquer que seja a variedade, os olhos são sempre de um magnífico azul-escuro, particularmente límpido.

A pelagem é curta, fina, cerrada, brilhante e bem deitada. O manto, bem como a cor dos olhos, constitui uma característica essencial da raça. De fato, o pelo só é pigmentado nas extremidades do corpo: face (máscara), orelhas, membros, patas e cauda.

Deve existir um contraste bem nítido entre a cor das extremidades e o restante do corpo. Os anglo-saxões costumam chamar estas extremidades de points, ou pontas, termo utilizado também por criadores de todo o mundo.

É desejável a ausência de listras sobre as patas e a cauda, qualquer que seja a cor, exceto para os mantos tabby point. Para as variedades reconhecidas, existe, entre os siameses, uma diferença sensível entre os padrões norte-americano e europeu.

De fato, apenas variedades ditas de base – seal (marrom-escuro), chocolate, blue point (azul) e lilac point (lilás) são admitidas nos Estados Unidos. Na Europa, todos os siameses são reconhecidos e as variedades são quase ilimitadas: smoke point (esfumaçado), cinnamon point (canela), fawn point (castanho-claro), etc.

Pelagem

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Muito vivaz, com frequência, o siamês é exagerado em suas reações. É muito apegado ao seu dono, mas por ser muito possessivo, pode não aceitar outros animais com facilidade. É um gato tagarela e muito expressivo.

É um animal ativo, que necessita de estímulo físico e mental através de enriquecimento ambiental, brinquedos interativos e interação diária com proprietário. Geralmente se dá bem com crianças mais velhas.

Seu manto pode ser escovado uma a duas vezes na semana para retirada de pelame morto. O restante trata-se de manejo básico de qualquer gato como idas periódicas ao médico veterinário, escovação dentária semanal e alimentação de boa qualidade.

Sensibilidade a fármacos

Quando submetidos à administração de alguns fármacos, os felinos apresentam diferentes respostas daquelas manifestadas pelos cães.

Em gatos, a intoxicação pelo uso de substâncias como o paracetamol, ácido acetilsalicílico e dipirona se faz bastante frequente na rotina médico-veterinária, podendo, muitas vezes, levar o animal a óbito e isto ocorre devido às particularidades dos mecanismos de metabolização farmacológica da espécie.

Gatos apresentam uma deficiência relativa na atividade de algumas enzimas, como a glicuronil-transferase, responsável por catalisar as reações de conjugação mais importantes no metabolismo de fármacos dos mamíferos.

Além disso, estes animais são muito suscetíveis ao desenvolvimento de metahemoglobinemia e à formação de corpúsculos de Heinz após a administração de alguns fármacos, por possuírem um número maior de grupos sulfidril nas hemácias, quando comparado com cães e humanos.

Desta forma, é fundamental que o médico veterinário esteja atento a essas peculiaridades metabólicas dos gatos para melhor atender e informar seus clientes quanto ao risco da administração de certas substâncias.

Predisposição à doenças

Existem dezenas de condições e doenças que estão relacionadas ao Siamês, dentre algumas estão a asma / bronquite felina, síndrome de pica, atrofia retiniana progressiva, estrabismo convergente e nistagmo, displasia de quadril, linfoma mediastinal, alguns tumores intestinais como adenocarcinoma, mucopolissacaridose, gangliosidose, amiloidose sistêmica, cardiomiopatia dilatada, fibroelastose endocardial, blastomicose, hipotricose congênita, acromelanismo, hipersensibilidade alimentar, alopecia psicogênica, vitiligo, hipertireoidismo, megaesôfago, estenose de piloro, tritricomoníase, mastocitoma, lipoma, tumores em cavidade nasal, tumor mamário, síndrome da hiperestesia felina, sequestro de córnea, glaucoma, urolitíase por cálculos de oxalato de cálcio, estruvita e urato, distocias e quilotórax.

Referências bibliográficas

GOUGH, A.; THOMAS, A.; O’NEILL, D. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. p. 249-253.

The Cat Encyclopedia: The Definitive Visual Guide. Editora: Penguim Random House / DK, 2014.

Enciclopédia Larousse do Gato e do Gatinho. Editora: Larousse, 2010.

International Cat Care. Cat Breeds. Siamese. Disponível em: https://icatcare.org/advice/cat-breeds/siamese. Acesso em: 01 fev. 2018

Vet Street. Cat Breeds. Siamese. Disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/siamese. Acesso em: 01 fev. 2018

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/cats/siamese