Beagle Harrier

Nome da Raça

Beagle Harrier

Porte

Médio

Peso

Fêmeas: 18-27 kg Machos: 18-27 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 45-50 cm Machos: 45-50 cm

Nível de atividade

Muito Alta

Temperamento

Doce, afetuoso, energético e companheiro.

Adestrabilidade

Moderada

Introdução

Origem

A origem do Harrier é pouco conhecida. Um especialista em cães ingleses chamado Stonehenge especulou que este cão se originou do cruzamento do agora extinto Cão do Sul com o Greyhound. Os cães do tipo Harrier costumavam caçar lebres e podem ter sido trazidos para a Inglaterra depois que os normandos a invadiram em 1066.

A primeira matilha conhecida de Harriers era da Grã-Bretanha, depois veio a matilha de Penistone, em 1260, e a linhagem prosseguiu por pelo menos meio milênio. O American Kennel Club reconheceu o Harrier como membro do Hound Group em 1885, tornando-se uma das mais antigas raças reconhecidas por AKC.

O atual Harrier Club of America foi fundado em 1992. Hoje, por causa de seu trabalho altamente especializado, o Harrier é incomum e ocupa o 165º lugar entre as raças registradas pelo AKC.

Nome original

Beagle Harrier, Harrier

País de origem

França

Características gerais

Aspectos raciais

Cão de proporções medianas (mediolíneo), balanceado, expressivo, ágil e vigoroso.

Sua cabeça é moderadamente forte. Na região craniana, o crânio é muito largo e bastante volumoso. Protuberância occipital pouco marcada. Na região facial, a trufa é desenvolvida; preta. O comprimento do focinho é sensivelmente igual ao do crânio.

Jamais quadrado, mas afilando de perfil, sem, entretanto, ser pontudo. Ponte nasal preferivelmente reta, nunca arqueada. Lábios recobrindo o maxilar inferior. Olhos bem abertos, de cor escura, conferindo uma expressão franca, esperta e inteligente.

Orelhas mais para curtas e de largura média; inseridas no nível dos olhos; são ligeiramente arredondadas na porção mediana, descendo planas contra o crânio (faces) para tornarem-se ligeiramente ovais na região distal. 

O pescoço é livre, embora bem inserido nos ombros, com a linha superior ligeiramente arqueada de perfil. No seu tronco, o dorso é curto, bem sustentado (firme) e musculoso.

Lombo é forte e musculoso, pode ser ligeiramente arqueado. Peito bem profundo, mas com costelas nunca muito achatadas, o que poderia reduzir muito a caixa torácica. Esterno bem estendido para trás.

As costelas flutuantes não devem ser cilíndricas, porém, devem ser suficientemente longas e bem arqueadas para proporcionar uma caixa torácica suficiente. Ventre: Jamais muito esgalgado, mais para cheio.

Os membros anteriores são fortes, retos e paralelos. Ombros longos, oblíquos e musculosos. Os membros posteriores possuem a garupa bem destacada, oblíqua e forte.

Pernas bem descidas (longas), corpulentas e musculosas. Jarretes próximos ao solo e verticais. Patas nem muito longas nem muito delgadas, mas fechadas e com almofadas espessas e duras. 

A movimentação é flexível, ativa e segura. O pelo é bastante denso, não muito curto, mas bem assentado. A cor padrão da raça é tricolor (fulvo com manto preto e branco); não se deve dar muita importância ao manto, com marcações castanho mais ou menos vivas, pálidas ou sobrepostas de preto (encarvoadas).

Uma vez que existem Harriers cinza, os tricolores cinza ou os branco-cinza não devem ser nem desqualificados nem penalizados somente em razão de suas cores.

Pelo

Curto

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

Como a maioria dos cães de caça, o Harrier é extrovertido e amigável para com as pessoas. Ele também costuma ser amigável com outros cães. Ele não gosta de estar sozinho, portanto gosta muito quando tem companhia humana ou canina o tempo todo. 

Enquanto os Harriers têm a natureza tipicamente doce, eles também podem ser teimosos. É essencial mantê-los em um quintal seguro e cercado para que eles não possam fugir. Eles são bons solucionadores de problemas, então pense antes deles e tome medidas para bloquear as possíveis rotas de fuga. 

Quando eles não têm nada de interessante para fazer, Harriers gostam de cavar. Portanto, deve-se ter cuidado com jardins, assim sendo, é melhor disponibilizar um lugar próprio para ele cavar ou se certificar de que ele está sempre ocupado com outras atividades. 

Treine-os com firmeza, consistência e muito reforço positivo na forma de elogios e recompensas alimentares. Comece a treinar seu cachorro desde o primeiro dia que ele estiver com você, pois até oito semanas de idade, ele é capaz de absorver tudo que ensiná-lo. E falando de comida, mantenha esses cães fora do alcance de alimento, pois possuem tendência à obesidade. 

O manejo do Harrier envolve o manejo básico de qualquer outro cão, ou seja, escovação uma a duas vezes na semana para retirada de pelame morto, escovação dentária semanal, corte de unhas se necessário, e banhos conforme necessário. As orelhas devem ser sempre verificadas em busca de sinais de infecção como vermelhidão, secreções ou mau cheiro.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Não foram encontrados em literatura relatos de predisposição à doenças específicas relacionados à raça em questão.

Referências bibliográficas

CBKC Confederação Brasileira de Cinofilia. Padrão Oficial da Raça: Harrier. Disponível em: http://cbkc.org/racas. Acesso em: 15 fev. 2018. 

FOGLE, B. Guia Ilustrado Zahar Cães. 2 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 344 p.

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 3º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2018. 398 p.

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. Harrier. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/Harrier. Acesso em: 10 fev. 2018

Pet guide. Breeds. Dog Breeds. Harrier. Disponível em: http://www.petguide.com/breeds/dogs/harrier. Acesso em: 10 fev. 2018

Vet Street. Dog Breeds. Harrier. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/harrier. Acesso em: 10 fev. 2018

Imagem disponível em: https://www.dogmal.com/wp-content/uploads/2016/10/harrier-dog.jpg