Bernese

Nome da Raça

Bernese

Porte

Gigante

Peso

Fêmeas: 40-44 kg Machos: 40-44 kg

Altura na Cernelha

Fêmeas: 58-66 cm Machos: 63-68 cm

Nível de atividade

Moderada

Temperamento

Afetuoso, curioso, amoroso

Adestrabilidade

Alta

Introdução

Origem

Esta raça é conhecida há 2000 anos, quando os romanos invadiram a Suíça, então conhecida como Helvetia. O cão de montanha de Bernese, ou Berner Sennenhund na Suíça natal, era utilizado como um cão de pastoreio junto aos pastores alpinos no cantão de Berna. 

Os cães levavam o gado para pastar, puxavam carrinhos de laticínios e agiam como cães de guarda nas fazendas. Geralmente, Berners rebocavam o leite em pares, por isso era comum ver dois deles enganchados a um carrinho. Os cachorros romanos de Mastiff provavelmente foram cruzados com cachorros de rebanhos que poderiam suportar o clima severo nos Alpes e serviram para suavizar seus temperamentos. 

Durante a década de 1800, a raça havia quase desaparecido devido ao interesse na raça São Bernardo e à falta de programas de melhoramento genético. Foi quando, no final do último século, um suíço, Herr Franz Schertenlieb, foi ao campo tentar encontrar o último desses cães. Ele teve algum sucesso em torno do distrito Durrbach de Berne e, em seguida, um professor de Zurique, Albert Heim se juntou a ele. Graças a eles, o Bernese Mountain Dog retornou. 

No início, esses cães eram conhecidos como 'Gelbbackler' (bochechas amarelas), 'Vierauger' (quatro olhos) ou mais comumente, 'Durrbachler'. Como eles agora vieram de toda a área de Berne e não apenas de Durrbach, em 1908 o clube mudou seu nome para Berner Sennenhund. O Bernese tinha, então, diversos admiradores na Suíça e na Escandinávia e, em 1936, finalmente foi reconhecido na América. 

O American Kennel Club reconheceu o Bernese Mountain Dog em 1937. Ele atualmente ocupa o 39º lugar nas inscrições AKC. O Canadá seguiu o exemplo na década de 1970, mas a raça ainda permanece relativamente rara na Grã-Bretanha.

Nome original

Bernese Mountain Dog, Berner, Berner Sennenhund, Bernese Cattle Dog

País de origem

Suiça

Características gerais

Aspectos raciais

O Bernese Mountain Dog é um cão de porte grande e possui um corpo robusto e equilibrado. É uma raça inteligente, forte e ágil o suficiente para realização de trabalho, principalmente pastoreio, atividade a qual ele foi designado por muito tempo nas regiões montanhosas de sua origem. 

Os machos possuem feição masculina, enquanto as cadelas possuem traços femininos. Sua expressão é esperta, animada e gentil.

Os olhos são castanhos escuros e ligeiramente ovais, com pálpebras bem ajustadas. As orelhas são de tamanho médio, possuem formato triangular, tornando-se suavemente arredondadas na ponta e pendulares perto da cabeça quando em repouso.

Quando o Bernese está alerta, as orelhas são trazidas para frente e levantadas na base. A parte superior da orelha está nivelada com a parte superior do crânio. O crânio é plano em cima e largo, possuindo um leve sulco. Seu focinho é tem aspecto forte e é sempre reto. Os dentes se encontram em uma mordida de tesoura. 

O pescoço é forte, musculoso e de comprimento médio. As costas são amplas e firmes. O lombo é forte e a garupa é larga e suavemente arredondada para a inserção da cauda. A cauda é espessa, mas nunca pode enrolar ou ficar em cima das costas.

Seus ombros são moderadamente descontraídos, bem musculosos. As pernas são retas e fortes e os cotovelos estão bem debaixo do ombro quando o animal está parado. Os pés são redondos e compactos com dedos bem arqueados.

Possui pelame espesso, moderadamente longo e ligeiramente ondulado ou reto em algumas partes do corpo, possuindo um brilho natural. Seu manto é sempre tricolor, sendo a cor preta predominante.

Preenchendo os outros espaços, encontram-se manchas cor de ferrugem e manchas brancas claras. A coloração de ferrugem aparece sobre cada olho, nas bochechas atingindo o canto da boca, as quatro pernas e debaixo da cauda.

Existe uma marcação branca no tórax, tipicamente em formato de cruz invertida. A ponta da cauda é branca. O branco nos pés é desejado, mas não deve se estender mais para o restante do membro. 

A marcha natural do Bernese é um trote lento. No entanto, devido à sua capacidade de trabalho para tração, ele é capaz de se movimentar com velocidade e agilidade. As pernas dianteiras e traseiras de cada lado seguem no mesmo plano. A uma velocidade aumentada, as pernas tendem a convergir em direção à linha central.

Pelo

Semi-longo

Comportamento e cuidados

Comportamento e cuidados

O Bernese é um cão autoconfiante e bem-humorado, nunca tímido. São cães de natureza amigável, que adoram ser incluídos em todos os aspectos da vida familiar, tornando-os companheiros maravilhosos. 

São cães afetuosos, pacientes e especialmente bons com crianças, muitas vezes protegendo-as, se necessário. Eles demandam atenção e afeto, precisando estar próximo das pessoas.

Desde que sejam introduzidos para gatos e outros animais domésticos quando jovens, eles sempre os aceitarão. Alguns deles podem ser dominantes com outros cães. 

O Bernese é muito inteligente e é relativamente fácil de treinar, desde que o adestramento seja realizado quando jovens. Treiná-lo tarde demais resultará em um cachorro barulhento e incontrolável que pensa que pode fazer o que quiser. 

Como qualquer cão desse porte, o exercício deve ser restrito por pelo menos 4 a 5 meses para permitir que os ossos e as articulações se formem adequadamente.

Pelo mesmo motivo, também deve-se ter cuidado quando há escadas na casa. Após a idade de 6 meses, caminhadas com a guia são indicadas. Depois de 1 ano de idade, eles podem realizar exercícios mais intensos, como a corrida livre.

Quando adultos, os Berneses precisam de um exercício moderado, variando entre 1 a 5 km por dia, dependendo do nível de aptidão física. Contudo, eles são muito ativos e aceitarão realizar exercícios. 

É importante manter a alimentação destes cães controlada e realizar uma dieta balanceada para evitar doenças ósseas e articulares, além de obesidade. A escovação dentária semanal é fundamental para evitar doença periodontal.

A escovação do pelame também é importante para evitar nós e retirar o excesso de pelame morto. Os cães dessa raça, em comum com as outras grandes raças, podem ter uma vida relativamente curta, cerca de 7 anos, embora muitos vivam 10 anos ou mais.

Sensibilidade a fármacos

Não foram encontrados em literatura relatos de sensibilidade à fármacos específicos relacionados à raça em questão.

Predisposição à doenças

Dermatológicas

Hipopigmentação nasal sazonal:

  • Condição comum; 
  • Ocorre geralmente no inverno.

Hematológicas e imunológicas

Deficiência de fator I de coagulação: 

  • Provavelmente possui característica hereditária; 
  • Raça desenvolve apresentação grave da doença. 

Deficiência de fator VII de coagulação: 

  • Provavelmente possui característica hereditária; 
  • Raça desenvolve apresentação moderada da doença.

Musculoesqueléticas

Displasia de cotovelo: 

  • Nesta raça envolve a não-união do processo ancôneo e fragmentação de processo coronóide; 
  • É uma causa comum de claudicação em membro anterior na raça.

Displasia coxofemoral: 

  • Comum na raça; 
  • Cães machos castrados são mais predispostos.

Panosteíte:

  • Comum na raça; 
  • Machos jovens mais acometidos.

Osteocondrose de ombros:

  • Comum na raça; 
  • Machos são mais predispostos; 
  • Acomete animal geralmente dos 4 a 7 meses, mas pode acometer cães mais velhos.

Neoplásicas

Histiocitose: 

  • Pode ter apresentação localizada ou disseminada; 
  • Fator hereditário envolvido; 
  • Acomete cães mais velhos, entre 7 e 8 anos; 
  • Mais comum em machos.

Histiocitose sistêmica:

  • Rara; 
  • Não necessariamente é uma condição estritamente neoplásica; 
  • Acomete cães dos 3 a 4 anos; 

Tumores de glândula sudorípara:

  • Relatos descrevem raça acometida por adenoma ductal apócrino;
  • Idade média de 9 anos. 

Neurológicas

Hipomielinização de sistema nervoso central:

  • Raro; 
  • Suspeita-se que tenha fator hereditário; 
  • Sinais clínicos vistos entre 2 a 8 semanas de idade.

Epilepsia idiopática:

  • Comum na raça; 
  • Geralmente acomete cães entre 6 meses a 6 anos de idade; 
  • Presume-se que haja fator hereditário envolvido. 

Meningite e poliarterite: 

  • Incomum; 
  • Acomete cães com menos de 1 ano de idade; 
  • Etiologia desconhecida, mas provavelmente exista uma origem infecciosa.

Oftálmicas

Catarata: 

  • Suspeita-se que haja fator hereditário envolvido; 
  • Geralmente acomete cães com até 1 ano de idade; 
  • Pode progredir, afetando a visão.

Entrópio:

  • Provavelmente exista fator hereditário envolvido. 

Atrofia retiniana progressiva: 

  • Suspeita-se que haja fator hereditário envolvido; 
  • Acomete cães jovens.

Uveíte, quemose e esclerite secundários à histiocitose sistêmica:

  • Ver em condições neoplásicas.

Renais e urinárias

Glomerulonefrite mebranoproliferativa e nefrite intersticial: 

  • Suspeita-se que haja fator hereditário envolvido; 
  • Geralmente acomete cães de 2 a 5 anos; 
  • Animal apresenta falência renal e proteinúria importante; 
  • Maioria dos cães descritos com a doença possuíam alta titulação de Borrelia burgdorferi, sugerindo que esta bactéria pode estar envolvida no desenvolvimento da doença.

Reprodutivas

Hiperplasia cística endometrial e piometra:

  • Raça acometida em diversos estudos; 
  • Doenças comuns entre fêmeas não castradas.

Referências bibliográficas

GOUGH, A.; THOMAS, A. Breed Predispositions to Disease in Dogs and Cats. 2º Ed. Oxford: Wiley-Blackwell, 2010. p. 23 – 24 

Nestlé Purina Australia. Dog Breeds. Bernese. Disponível em: http://www.purina.com.au/owning-a-dog/dog-breeds/Bernese-Mountain. Acesso em: 31 jan. 2018

Vet Street. Dog Breeds. Bernese Mountain Dog. Disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/bernese-mountain-dog. Acesso em: 31 jan. 2018

Imagem disponível em: http://www.vetstreet.com/dogs/bernesemountain-dog